sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Carteira de identidade alemã terá microchip


SÃO PAULO – Em novembro deste ano, a carteira de identidade em uso na Alemanha será substituída por novo modelo com funções de assinatura eletrônica.

Ela terá a mesma forma e tamanho de um cartão de crédito e, além de permitir a verificação da identidade de forma mais rápida, poderá ter aplicações para compras online e telefonia.

Entre os parceiros do governo estão os institutos Fraunhofer's FOKUS e Fraunhofer Institute for Secure Information Technology SIT. Nessas instituições, os pesquisadores testam a segurança e a funcionalidade dos novos modelos.

A carteira de identidade contará com um chip RFID, e seus dados poderão ser lidos wireless. Para garantir que somente pessoas autorizadas tenham acesso a eles, a informação é protegida por criptografias e protocolos seguros.

O dono do cartão também tem um PIN, código de seis dígitos que autentica o usuário.
Entre as vantagens apontadas está a validação de identidades na Internet (eID) para aumentar a confiança das transações online.

Com seu PIN, o cidadão ativa a eID e pode, além de fazer compras, realizar ligações VoIP. Se os bancos oferecerem o uso da eID, também é possível fazer transações via telefone mais seguras – inclusive para o banco, que tem a certeza de que, do outro lado da linha, está o cliente.

Desde 1º de janeiro, empresas e instituições podem participar dos testes realizados com a nova tecnologia. No futuro, ela poderá ser aplicada também a autenticação via celular: bastaria que o chip RFID da identidade fosse lido pelos aparelhos móveis.

Fonte: info. abril.com. br

Nota: O uso de microchips em documentos está se tornando irreversível. Cada vez mais governos estão implantando essa tecnologia em documentos de seus cidadãos; são documentos de identidade, passaportes e cartões de crédito, todos estão aprimorando o uso e ajudando a disseminação da codificação das pessoas.

Em breve quem não possuir um documento com microchip não poderá realizar nenhuma atividade civil ou comercial, porque não estará nos bancos de dados dos governos nem das instituições financeiras. Será um pária, totalmente invisível.

16 E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mäo direita, ou nas suas testas,

17 Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.
18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis. Apoc. 13:16,17



Reblog this post [with Zemanta]

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Voce faria tatuagem em realidade aumentada? - INFO Online - (23/02/2010)

Interessante essa tecnologia. Seria isso uma preparação para a marca da besta?

16 E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mäo direita, ou nas suas testas. Apoc. 13:16




more about "Voce faria tatuagem em realidade aume...", posted with vodpod

As fraudes nos relatórios do IPCC

Rajendra K. Pachauri, the chair of the Intergo...Image via Wikipedia

As fraudes nos relatórios do IPCC

O dogma derrete antes das geleiras

Quem duvida do aquecimento global é tratado como inimigo da humanidade. Agora, revelações sobre manipulações e fraudes nos relatórios climáticos mostram que os céticos devem ser levados a sério


Okky de Souza

Bill Stevenson/Corbis/Latinstock

O FRIO CONTINUA
Geleiras do Himalaia: as previsões de que derreteriam até 2035 não tinham base científica

Nos últimos anos, a discussão sobre o aquecimento global e suas consequências se tornou onipresente entre governos, empresas e cidadãos. É louvável que todos queiram salvar o planeta, mas o debate sobre como fazê-lo chegou ao patamar da irracionalidade. Entre cientistas e ambientalistas, estabeleceu-se uma espécie de fervor fanático e doutrinário pelas conclusões pessimistas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), órgão da ONU. Segundo elas, ou se tomam providências radicais para cortar as emissões de gases do efeito estufa decorrentes da atividade humana, ou o mundo chegará ao fim do século XXI à beira de uma catástrofe. Nos últimos três meses, numa reviravolta espetacular, a doutrina do aquecimento global vem se desmanchando na esteira de uma série de escândalos. Descobriu-se que muitas das pesquisas que dão sustentação aos relatórios emitidos pelo IPCC não passam de especulação sem base científica. Pior que isso: os cientistas que conduzem esses estudos manipularam dados para amparar suas conclusões.

O primeiro abalo na doutrina do aquecimento global se deu no fim do ano passado, quando um grupo de hackers capturou e divulgou mais de 1 000 e-mails trocados entre cientistas ligados à Universidade de East Anglia, na Inglaterra, o principal centro mundial de climatologia. As mensagens revelam que cientistas distorceram gráficos para provar que o planeta nunca esteve tão quente nos últimos 1 000 anos. As trocas de e-mails também mostraram que os climatologistas defensores da tese do aquecimento global boicotam os colegas que divergem de suas opiniões, recusando-se a repassar dados das pesquisas que realizam. Os e-mails deixam claro, ainda, que o grupo dos catastrofistas age para tentar impedir que os céticos (como são chamados os cientistas que divergem das teses do IPCC) publiquem seus trabalhos nas revistas científicas mais prestigiadas.

O climatologista inglês Phil Jones, diretor do Centro de Pesquisas Climáticas da Universidade de East Anglia, sumo sacerdote do dogma da mudança climática e responsável pelos e-mails mais comprometedores, protagonizou o episódio mais dramático de reconhecimento de que muito do que divulga o IPCC não passa de má ciência. Em entrevista concedida depois de se tornar público que ele próprio tinha manipulado dados, Jones admitiu que, em dois períodos (1860-1880 e 1910-1940), o mundo viveu um aquecimento global semelhante ao que ocorre agora, sem que se possa culpar a atividade humana por isso. O climatologista reconheceu também que desde 1995 o mundo não experimenta aquecimento algum.

Universidade East Anglia/divulgação

UM TOM ACIMA
O climatologista Phil Jones: admissão pública de manipulação nos relatórios do IPCC

A reputação do IPCC sofreu um abalo tectônico no início do ano, quando se descobriu um erro grosseiro numa das pesquisas que compõem seu último relatório, divulgado em 2007. O texto afirma que as geleiras do Himalaia podem desaparecer até 2035, por causa do aquecimento global. O derretimento teria consequências devastadoras para bilhões de pessoas na Ásia que dependem da água produzida pelo degelo nas montanhas. Os próprios cientistas que compõem o IPCC reconheceram que a previsão não tem o menor fundamento científico e foi elaborada com base em uma especulação. O mais espantoso é que essa bobagem foi tratada como verdade incontestável por três anos, desde a publicação do documento.



Não demorou para que a fraude fosse creditada a interesses pessoais do presidente do IPCC, o climatologista indiano Rajendra Pachauri, cuja renúncia vem sendo pedida com veemência por muitos cientistas. Pachauri é diretor do instituto de pesquisas Teri, de Nova Déli, agraciado pela Fundação Carnegie, dos Estados Unidos, com um fundo de meio milhão de dólares destinado a realizar pesquisas... nas geleiras do Himalaia. A mentira sobre o Himalaia já havia sido denunciada por um estudo encomendado pelo Ministério do Ambiente da Índia, mas o documento foi desqualificado por Pachauri como sendo "ciência de vodu". Os relatórios do IPCC são elaborados por 3 000 cientistas de todo o mundo e, por enquanto, formam o melhor conjunto de informações disponível para estudar os fenômenos climáticos. O erro está em considerá-lo infalível e, o que é pior, transformar suas conclusões em dogmas.

Fonte: Revista Veja

Nota: Demorou mas a verdade começa a aparecer.








Reblog this post [with Zemanta]

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Implantes de Microchip, Controle da Mente e Cibernética.


Implantes de Microchip, Controle da Mente e Cibernética

Por Rauni-Leena Luukanen-Kilde, médica, Ex-Médica Chefe Oficial da Finlândia

Em 1948 Norbert Weiner publicou um livro, Cybernetics, definido como uma teoria de comunicação e controle neurológico já em uso em pequenos círculos naquele tempo. Yoneji Masuda, "Pai da Sociedade de Informação," declarou sua preocupação em 1980 de que nossa liberdade está ameaçada pela tecnologia cibernética de estilo orweliano totalmente desconhecida para a maioria das pessoas. Essa tecnologia conecta os cérebros das pessoas via microchips implantados a satélites controlados por supercomputadores baseados no solo.

Os primeiros implantes de cérebro foram cirurgicamente inseridos em 1974 no estado de Ohio, nos Estados Unidos e em Estocolmo, na Suécia. Eletrodos cerebrais foram inseridos em esqueletos de bebês em 1946 sem o conhecimento dos pais deles. Nos anos 50 e 60, implantes elétricos foram inseridos em cérebros de animais e humanos, especialmente nos Estados Unidos, durante pesquisas sobre modificação de comportamento, e funcionamento do cérebro e do corpo. Métodos de controle da mente (MC) foram usados em tentativas para mudar o comportamento e atitudes humanas. Influenciar as funções cerebrais se tornou uma meta importante dos militares e serviços de inteligência.

Trinta anos atrás implantes cerebrais mostravam em raios X o tamanho de um centímetro. Implantes subsequentes encolheram para o tamanho de um grão de arroz. Eles eram feitos de silício, mais tarde ainda de arsenieto de gálio. Hoje eles são suficientemente pequenos para serem inseridos no pescoço ou nas costas, e também intravenosamente em diferentes partes do corpo durante operações cirúrgicas, com ou sem o consentimento do sujeito. Agora é quase impossível detectá-los ou removê-los.

É tecnicamente possível para até mesmo um recém nascido ser injetado com um microchip, o qual poderia então funcionar para identificar a pessoa pelo resto da vida dele ou dela. Tais planos estão sendo discutidos secretamente nos Estados Unidos sem nenhuma discussão pública das questões de privacidade envolvidas. Na Suécia, o primeiro ministro Olof Palme deu permissão em 1973 para implante em prisioneiros, e o ex- diretor de verificação de dados General Jan Freese revelou que pacientes de casa de repouso foram implantados em meados dos anos 80. A tecnologia está revelada no relatório de estado sueco 1972:47, Statens Officiella Utradninger (SOU).

Seres humanos implantados podem ser rastreados em qualquer lugar. Suas funções cerebrais podem ser remotamente monitoradas pelos supercomputadores e até mesmo alteradas através de mudanças de frequências. Cobaias em experimentos secretos têm incluído prisioneiros, soldados, doentes mentais, crianças deficientes, pessoas surdas e mudas, homossexuais, mulheres solteiras, os idosos, estudantes, e qualquer grupo de pessoas consideradas "marginais" pelos pesquisadores da elite. As experiências publicadas de prisioneiros na prisão no estado de Utah, por exemplo, são chocantes para a consciência.

Os microchips de hoje operam por meio de ondas de rádio de baixa frequência que os direciona. Com a ajuda de satélites, a pessoa implantada pode ser rastreada em qualquer lugar do globo. Tal técnica estava entre um número de outras testadas na Guerra do Iraque, de acordo com o Dr. Carl Sanders, que inventou a interface biótica equipada de inteligência (IMI), a qual é injetada na pessoa. (Antes durante a Guerra do Vietnam, soldados foram injetados com o chip Rambo, desenvolvido para aumentar o fluxo de adrenalina na corrente sanguínea.) Os supercomputadores de 20 bilhões de bits/segundo na Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) poderiam agora "ver e ouvir" o que os soldados experimentavam no campo de batalha com os sistemas de monitoramento remoto (RMS).

Quando um microchip de 5 micro milímetros (o diâmetro de um fio de cabelo é de 50 micro milímetros) é posto no nervo ótico, ele extrai neuroimpulsos do cérebro que incorporam as experiências, cheiros, visões, e vozes da pessoa implantada. Uma vez transferidas e estocadas em um computador, estes neuroimpulsos podem ser projetados de volta para o cérebro da pessoa via microchip para serem reexperimentados. Usando um RMS, um operador de computador baseado no solo pode enviar mensagens eletromagnéticas (codificadas como sinais) para o sistema nervoso, afetando o desempenho do alvo. Com o RMS, pessoas saudáveis podem ser induzidas a verem alucinações e ouvir vozes em suas cabeças.

Cada pensamento, reação, audição, e observação visual causam um certo potencial neurológico, pequenos impulsos elétricos, e padrões no cérebro e seu campo eletromagnético, que agora pode ser decodificado em pensamentos, figuras, e vozes. Estimulação eletromagnética pode assim mudar as ondas cerebrais de uma pessoa e afetar a atividade muscular, causando dolorosas câimbras musculares experimentadas como uma tortura.

O sistema de vigilância eletrônica da NSA pode seguir e manipular simultaneamente milhões de pessoas. Cada um de nós tem uma frequência de ressonância bioelétrica única no cérebro, assim como temos impressões digitais únicas. Com a estimulação da frequência eletromagnética (EMF) do cérebro completamente codificada, sinais eletromagnéticos pulsantes podem ser enviados para o cérebro, causando os efeitos de voz e visão desejados para serem experimentados pelo alvo. Esta é uma forma de guerra eletrônica que os astronautas dos Estados Unidos foram implantados antes de serem enviados para o espaço, assim seus pensamentos podiam ser seguidos e todas as emoções deles podiam ser registradas 24 horas por dia.

O The Washington Post relatou em maio de 1995 que o príncipe William da Grã Bretanha foi implantado com a idade de 12 anos. Dessa forma, se ele alguma vez fosse sequestrado, uma onda de rádio com uma frequência específica poderia ser direcionada para o microchip dele. O sinal do chip poderia ser rastreado através de um satélite para a tela do computador do quartel general da polícia, onde os movimentos do príncipe poderiam ser seguidos. Ele poderia realmente ser localizado em qualquer lugar do globo.

A mídia de massa não relata que a privacidade de uma pessoa implantada desaparece para o resto da vida dele ou dela. Ela pode ser manipulada de várias maneiras. Usando diferentes frequências, o controlador secreto desse equipamento pode até mudar a vida emocional da pessoa. Ela pode ser tornada agressiva ou letárgica. Pode ser artificialmente influenciada sexualmente. Sinais de pensamentos e pensamentos subconscientes podem ser lidos, sonhos afetados ou mesmo induzidos, tudo sem o conhecimento ou consentimento da pessoa implantada.

Um cyber soldado perfeito pode dessa forma ser criado. Essa tecnologia secreta tem sido usada pelas forças militares e pela OTAN em certos países desde 1980 sem que a população civil e acadêmica tenha ouvido qualquer coisa sobre ela. Dessa forma, pouca informação sobre tais sistemas de controle mental invasivos está disponível em revistas profissionais e acadêmicas.

O grupo de sinais de inteligência da NSA pode monitorar remotamente informação de cérebros humanos pela decodificação dos potenciais evocados (3.50 Hz, 5 miliwatt) emitidos pelo cérebro. Prisioneiros testados tanto em Gothenburgo, Suécia, e Viena, Áustria, foram descobertos tendo evidentes lesões cerebrais. Circulação sanguínea diminuída e falta de oxigênio nos lobos frontais temporais resultam onde os implantes cerebrais estão normalmente em operação. Um experimento finlandês experimentou atrofia do cérebro e ataques intermitentes de inconsciência devido a falta de oxigênio.

Técnicas de controle mental podem ser usadas para propósitos políticos. O objetivo dos controladores da mente hoje é induzir as pessoas ou grupos visados a agirem contra as convicções delas ou deles e contra seus melhores interesses. Indivíduos zumbificados podem até ser programados para matar e não se lembrar de nada de seus crimes depois. Exemplos alarmantes desse fenômeno podem ser encontrados nos Estados Unidos.

Essa "guerra silenciosa" está sendo conduzida contra civis ignorantes e soldados pelos militares e agências de inteligência. Desde 1980, a estimulação eletrônica do cérebro (ESB) tem sido usada secretamente para controlar pessoas visadas sem o conhecimento delas ou consentimento. Todos os acordos internacionais de direitos humanos proíbem a manipulação não consensual de seres humanos - até mesmo prisioneiros, sem falar das populações civis.

Sob a iniciativa do senador dos Estados Unidos John Glenn, discussões foram iniciadas em janeiro de 1997 sobre os perigos da irradiação populações civis. Atingindo as funções cerebrais das pessoas com campos eletromagnéticos e feixes (de helicópteros e aviões, satélites, de vans estacionadas, casas da vizinhança, postes telefônicos, acessórios elétricos, celulares, TV, rádio, etc.) é parte do problema de radiação que deveria ser discutido em corpos governamentais democraticamente eleitos.

Além do controle eletrônico da mente, métodos químicos também têm sido desenvolvidos. Drogas alteradoras da mente e diferentes gases odoríficos que afetam negativamente as funções cerebrais podem ser injetados dentro de dutos de ar ou canos de água. Bactérias e vírus também foram testados dessa maneira em diversos países.

A supertecnologia de hoje, conectando nossas funções cerebrais via microchips (ou mesmo sem eles, de acordo com a mais recente tecnologia) a computadores através de satélites nos Estados Unidos ou Israel, põe a mais grave ameaça para a humanidade. Os mais novos supercomputadores são suficientemente poderosos para monitorar toda a população mundial. O que acontecerá quando pessoas tentadas por falsas promessas permitirem microchips em seus corpos? Uma isca será o cartão de identidade microchip. Legislação compulsória tem mesmo sido proposta secretamente nos Estados Unidos para criminalizar a remoção do implante de uma identidade digital.

Estamos nós prontos para a robotização da humanidade e a total eliminação da privacidade, incluindo a liberdade de pensamento? Quantos de nós gostaríamos de ceder nossa vida inteira, incluindo nossos mais secretos pensamentos ao Big Brother? Todavia a tecnologia existe para criar Uma Nova Ordem Mundial totalitária. Sistemas de comunicação neurológica secretos estão posicionados para cancelar o pensamento independente e controlar a atividade social e política em favor dos interesses particulares egoístas e dos militares.

Quando nossas funções cerebrais já estiverem conectadas aos supercomputadores por meio de implantes de rádio e microchips, será tarde demais para protestar. Essa ameaça pode ser derrotada apenas pela educação do público, usando a literatura disponível sobre biotelemetria e informações trocadas em congressos internacionais.

Uma razão pela qual essa tecnologia tem permanecido como segredo de estado é o prestígio predominante do IV Manual psiquiátrico de Estatística Diagnóstica produzido pela Associação Psiquiátrica Americana dos Estados Unidos (APA) e impresso em 18 línguas. Psiquiatras trabalhando para as agências de inteligência americanas sem dúvida participaram na escrita e revisão desse manual. A "bíblia" psiquiátrica encobre o desenvolvimento secreto de tecnologias de controle da mente rotulando alguns de seus efeitos como sintomas de esquizofrenia paranóica.

Vítimas de experiências de controle da mente são assim rotineiramente diagnosticadas, automaticamente, como doentes mentais pelos médicos que aprenderam pela lista de "sintomas" do Manual de Diagnóstico na escola de medicina. Os médicos não têm sido ensinados que os pacientes podem estar dizendo a verdade quando relatam que tem sido guiados contra sua vontade ou sendo usados como cobaias para as formas de guerra psicológica, eletrônica, química e bacteriológica.

O tempo está se esgotando para mudar a direção da medicina militar, e assegurar o futuro da liberdade humana.

Fonte: http://www.illuminati-news.com/Luukanen-Kilde.html

Nota: Quem diria que um artigo como esse já tem dez anos de publicado. Este artigo foi originalmente publicado em um jornal de medicina da Finlândia, em 1999.

Quanto conhecimento sobre o cérebro humano e como manipulá-lo já não terão essas agências secretas? Com todo esse conhecimento científico e a tecnologia da informação que se multiplica a cada ano é apenas questão de bem pouco tempo para alguém querer usar, se é que já não estão usando contra a humanidade.

Filmes como soldado do futuro, com Jean Claude Van Damme e o homem de seis milhões de dólares, com Lee Majors, um grande sucesso dos anos 70, são um sinal de que a ficção não está tão longe da realidade, talvez sirva até para encobrir a realidade, na medida em que parece uma coisa absurda para a maioria da população.

A dra. Rauni-Kilde teve um vídeo publicado no youtube onde ela alertava para a vacina da gripe suina e afirmava que a tal gripe era fabricada em laboratório como o objetivo de controle populacional. Esse vídeo foi postado aqui no blog também.


Reblog this post [with Zemanta]

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Crise financeira, Moeda Única e Governo Mundial.

O Espectro de Wall StreetImage by *Bloco via Flickr

Qualquer que seja o papel que os governos venham a assumir será um empreendimento público de ação e iniciativa, que será algo que orientará, organizará e dirigirá também a economia privada. Será muito mais uma economia mista do que tem sido até agora...

Fonte: bog Fatos em Foco
http://www.artureduardo.blogspot.com

O texto acima é parte de uma entrevista do historiador Eric Hobsbawn, considerado um dos mais importantes historiadores do século XX.

A entrevista foi dada a Rádio 4 inglesa, durante o auge da crise financeira mundial, o historiador que é marxista, advoga uma análise marxista sobre a forma como o capitalismo opera.

Ele diz em outro trecho: "Não sabemos o que virá pela frente. Temos um problema intelectual: estávamos acostumados a pensar até então que havia apenas duas alternativas: ou o livre mercado ou o socialismo. Mas, na realidade, há muito poucos exemplos de um caso completo de laboratório de cada uma dessas ideologias. Então eu acho que teremos de deixar de pensar em uma ou em outra e devemos pensar na natureza da mescla. E principalmente até que ponto esta mistura será motivada pela consciência do modelo socialista e das conseqüências sociais do que está acontecendo."

Isso é bastante revelador porque um importante historiador, de renome mundial, revela que a economia será moldada de uma forma mista depois dessa crise financeira, ou como ele diz, será uma mescla.

Isso nos leva diretamente a declaração de Mikhail Gorbachev, que em pronunciamento disse que "uma alternativa entre capitalismo e comunismo estará sendo oferecida em um futuro próximo", isso foi dito por Gorbachev a Revista Time em 25/5/1992.

Ele está na verdade afirmando que existem 3 sistemas de governo; o capitalismo, o comunismo e um outro que está por vir. Este não seria nem capitalismo nem socialismo, mas uma mescla. Não foi isso que Eric Hobsbawn afirmou na entrevista?

A economia mundial está agora a se mover rapidamente em direção a esse sistema misto. Os Estados Unidos gastaram bilhões de dólares de dinheiro público para socorrer os bancos e as empresas privadas, o mesmo foi feito na Europa.

O governo é agora um componente importante na economia, podendo ditar as diretrizes de investimento das empresas, não somente como regulador, mas também como sócio e gestor.

A criação de crises globais, que por serem globais exigem soluções globais, como o aquecimento global e a crise financeira global são passos importantes nos planos para criação de um Governo Mundial.

Texe Mars, um professor cristão da Universidade do Texas, afirmou que "os senhores do dinheiro declararam que o sonho de dominar o mundo só será possível se houver uma crise financeira total, um colapso financeiro".

A prioridade seria acabar com todos os pequenos bancos submetendo-os ao domínio de um superbanco central.

Durante esse período de crise faliram aproximadamente 150 pequenos bancos americanos, eram bancos regionais que pela falta de crédito declaram falência, na outra ponta o banco central, o FED, aumentava sua participação no mercado financeiro, comprando as dívidas dos bancos e financiando as empresas descapitalizadas.

O plano é criar um novo sistema monetário, destruindo o atual sistema através de uma "quebradeira" proposital. Um artigo da revista The Economist, uma das mais conceituadas publicações da área financeira da Inglaterra dizia:

"Prepare-se para a nova moeda que entrará em circulação: a moeda tendo o desenho do pássaro fênix".

A matéria dessa revista afirmava ainda que a única solução para a crise financeira mundial será a nova moeda que poderá ser chamada de "A Fênix”.

Outra citação do poderoso banqueiro David Rockefeller:

"Estamos no limiar de uma transformação global. Tudo o que precisamos é de uma crise mundial no momento certo, e as nações aceitarão a Nova Ordem Mundial." Um dos livros do movimento afirma que:

"O plano da ordem esmagará a América economicamente com uma depressão tão grande, que fará com que a de 1929 não seja nada! O pânico financeiro fará com que as elites da "Ordem" criem uma nova moeda mundial."

Na reunião do G-8 na Itália em 2009 o presidente russo Dmitry Medvedev apresentou o que seria o modelo de uma "moeda corrente de um futuro mundo unido".

O megainvestidor George Soros largou sua aposentadoria e voltou ao comando de seus negócios durante a crise financeira, em artigo do Portal Terra Soros defende uma reforma profunda no sistema financeiro internacional, ele também defende um novo sistema de moedas. E que o FMI seja o fiador do processo, criando uma cesta de moedas em substituição ao dólar, que está bastante desvalorizado em relação as outras moedas.

Podemos concluir então que a crise financeira não foi um problema causado unicamente pelas hipotecas americanas, mas um plano de longo prazo com o objetivo de destruir a economia capitalista, simbolizada pelos Estados Unidos, e implantar um sistema econômico misto.

Esse sistema misto está em pleno desenvolvimento agora mesmo nos Estados Unidos e no resto do mundo. A economia de livre mercado está agora sendo substituída por um sistema de intervencionismo estatal, de cunho socialista, como previa Hobsbawn e como declarou Gorbachev em 1992.

Estamos vendo a Nova Ordem Mundial sendo construída diante de nossos olhos. O próximo passo será a implantação da Moeda Única Mundial e finalmente o Governo Mundial.

O tempo da liberdade está se esgotando!

O Observador.











Reblog this post [with Zemanta]

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O movimento "verde" pode ter uma agenda mais obscura.

wwfImage by Barbara.Doduk via Flickr

O movimento "verde" pode ter uma agenda mais obscura.

Por Frank Malloy
courierpostonline.com

Muitos de nós lembramos aquele aviso preocupado do coelho nervoso, ou a versão posterior de Chicken Little, nas histórias de nossa juventude. Essa mesma mensagem está sendo escutada agora novamente pelos semelhantes a Al Gore com seu filme "Uma Verdade Inconveniente".

O filme aparentemente mostra os danos ecológicos e ambientais sendo causados ao nosso planeta por nós humanos. Gore agora ganhou o Prêmio Nobel da Paz.

Alguns, contudo, ousariam discordar do ex-vice presidente sobre o encolhimento das geleiras dos himalaias, a cobertura de neve do monte Kilimanjaro, a expansão do deserto africano e o derretimento das camadas de gelo da Groenlândia e da Antártica.

Muitos deles são pessoas instruídas, tal como James taylor, pesquisador sênior de política ambiental no Instituto Heartland, que afirma que Gore distorce a ciência e ignora dados que contrariam sua teoria d aquecimento global. Assim, o que está acontecendo? Esse é o mesmo cara que supostamente inventou a internet há alguns anos atrás.

Alguns ambientalistas, como príncipe Phillip da Inglaterra, anteriormente o presidente do Fundo Mundial da Vida Selvagem (WWF), estão nos mostrando a mão escondida por trás do movimento eco-ambiental.

Quando perguntado o que ele gostaria se ele fosse reencarnar, ele disse que gostaria de retornar como "um vírus assassino para baixar a taxa da população humana." Infelizmente, como um proponente de longa data do controle da população, ele não estava brincando.

Para descobrir a respeito dos "verdes", temos de prestar atenção ao que esses que parecem ser os líderes estão dizendo. Tem esse movimento para salvar o planeta outra agenda mais obscura como o controle da população?

Todo mundo quer água e ar limpos. Todo mundo é favor de não destruir nosso planeta. Nem todo mundo, contudo, é de opinião extrema que a fim de realizar essas coisas, devemos reduzir drasticamente os níveis da população humana.

Pedra Fundamental

Mikhail Gorbachev, ex-presidente da Rússia, fundador da Fundação Gorbachev e diretor da Cruz Verde Internacional, afirma que a crise ambiental é a pedra fundamental da Nova Ordem Mundial. Ele também co-autor, junto com Steven Rockefeller, da Carta da Terra da ONU.

A Carta da Terra é uma espécie de Dez Mandamentos do meio ambiente destinada a se tornar uma crença universalmente adotada que preparará as crianças do mundo para aceitarem a necessidade de um Governo Mundial para salvar o planeta.

À declaração de Gorbachev no Fórum Mundial em 1995, o filósofo e autor Sam Keen disse na reunião das elites que a crise ecológica é uma crise de população, enquanto os apressava para a sexualidade, a contracepção e o aborto.

Ele sugeriu mais, "Corte a população em 90% e não haverá pessoas suficientes para fazer uma grande quantidade de estrago ecológico. Assustador, não é? E quem decide sobre os 10% que vai ficar?

Considere o artigo do oceanógrafo Jacques Cousteau na ONU em 1991 no guia de turismo da UNESCO, de acordo com o qual ele pedia pela eliminação de 350.000 pessoas por dia a fim de "estabilizar a população mundial." Estas pessoas são sérias. Até onde elas irão para realizar suas metas?

Especialistas que publicam visões discordantes do aquecimento global e os fatos constatando suas visões não conseguem atenção da mídia. "A Bomba Populacional" histérica de Paul Erhlich foi um sucesso de vendas, mas um fracasso com a bola de cristal. Suas previsões de fome global e milhões morrendo de fome estavam todas erradas. Todavia, sua maneira de resolver todas essas doenças foi muito familiar - "o controle populacional é a resposta."

Conversa Franca

Conseguimos uma conversa franca com S. Fred Singer, um físico do clima, que co-escreveu o livro "Irreversível Aquecimento Global: A cada 1500 anos." Nele ele escreve "tivemos a teoria do efeito estufa sem nenhuma evidência para apoiá-la - exceto por um aquecimento moderado tornado em assustadores modelos de computador cujos resultados nunca foram verificados com eventos do mundo real."

Samantha Smith, autora do livro de 1993, "Deusa Terra," escreve que o socialismo mundial é a meta primária do movimento ambiental e alcançá-lo, "americanos independentes tem de estar assustados, bem como envergonhados com a conformação a uma agenda internacional pedindo uma administração da Terra, estilo de vida simples e a redistribuição da riqueza do mundo."

Olhe atentamente por trás do medo ambiental e coisas como guerra, fome, aborto e eutanásia. Estão suas crianças sendo educadas pela Carta da Terra?

Está o céu realmente caindo? O aquecimento global é "uma verdade inconveniente ou uma mentira conveniente e a mais nova versão de Chicken Little nos apressando para uma "Nova Ordem Mundial" sem Deus?

Talvez um nome mais apropriado para o filme de Gore devesse ser "Tigre agachado, Dragão escondido."

Fonte: http://www.courierpostonline.com


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O gosto assustador da censura na internet com o bloqueio de grandes websites de liberdade de expressão

Alex Jones outside Bilderberg meeting taken by...Image via Wikipedia


O gosto assustador da censura na internet com o bloqueio de grandes websites de liberdade de expressão.

Uma prévia sinistra de como uma rede mundial de internet regulada pelo governo seria parecida conforme Infowars e Prison Planet vão para as sombras na Nova Zelândia.

Por Paul Joseph Watson
Prison Planet.com
Segunda-feira, 8/02/2010

Com proponentes influentes pedindo recentemente de novo por uma internet regulamentada, temos uma prévia de como isso poderia parecer na semana passada depois que tanto Infowars.com e Prison Planet.com foram completamente bloqueados para muitos usuários na Nova Zelândia.

O bloqueio só foi removido cedo pela manhã de 2 a. feira depois de uma grande quantidade de queixas depois que ambos os sites ficaram indisponíveis em muitos provedores desde sexta-feira.

Enquanto o website Infonews baseado na Nova Zelândia relatava sexta-feira, que ambos os principais websites de Alex Jones foram bloqueados pelos provedores usando o NETCOM da Ásia para seu tráfego internacional de internet.

É importante frisar que recebemos e-mails em bases semanais nos informando que nossos websites têm sido bloqueados como "expressão de ódio" ou "material ofensivo" em internet cafés, livrarias, locais de trabalho, e numerosos outros prédios não somente nos Estados Unidos, mas através do mundo. A censura está sendo feita no nível do provedor de internet, assim enquanto algumas pessoas em um país em particular ainda terão acesso, outras serão bloqueadas.

Como relatamos em 2008, o St. Pancras International de Londres, onde milhões de pessoas viajando através da Europa continental passam o ano todo, bloqueia completamente o Prison Planet, o Infowars e até sites políticos mais convencionais como coisa comum.

Em 2007, o My Space admitiu suas políticas para censurar e filtrar postagens contendo links para o site Prison Planet.com, acrescentando que o servidor do MySpace bloqueia automaticamente tal informação. O gigante das redes sociais, bem como outros como o Facebook, periodicamente bloqueiam links para o material de Alex Jones e somente revogam esses filtros quando as pessoas reclamam.

Em 2005, os assinantes do Time Warner de Nova York a Califórnia relataram que seus acessos ao Infowars e Prison Planet tinham sido bloqueados devido a "discurso de ódio", depois os seus acessos foram restaurados.

O provedor de internet britânico Tiscali também bloquearam os websites depois das explosões de 7 de julho de 2005.

A rede social do Infowars também foi bloqueada pelas livrarias nos Estados Unidos em 2008 usando o Safesquid e o software de filtragem do Google.

Recebemos numerosos relatórios toda semana de sites de Alex Jones sendo bloqueados pelos provedores de internet e software de filtragem em edifícios públicos.

"Um fá ávido do Infowars.com e ativista da verdade sobre o 11/9, Jeff Mitchell, relatou no sábado que ele contatou o seu provedor de internet, o Orcon, para estabelecer o que estava causando o bloqueio, e foi avisado pelo técnico de computação que traçou a rota, que se descobriu que a quebra no tráfego para os websites estava ocorrendo nos roteadores da NETCOM em Sidney", afirmava o relatório.

Os websites foram bloqueados em todo provedor que se apoiava no NETCOM da Ásia como seu provedor de fluxo de dados, incluindo Woosh, Telecom, Slingshot e Orcon.

De acordo com Duncan Blair, diretor de Marcas e Comunicações do Orcon, o acesso ao conteúdo hospedado na rede de distribuição de conteúdo de publicidade, incluindo Infowars.com e Prison Planet.com, foi bloqueado devido a "problemas técnicos".

"Eu sou a pessoa que tornou metade dessa história possível ligando para meu provedor de internet," escreveu Jeff Mitchell em um comentário no Prison Planet. Apenas quero relatar que o Infowars.com agora está funcionando para mim, embora tenha estado fora do ar durante todo o fim de semana! Reclamamos para o provedor e eles ficaram “muito preocupados" sobre a censura; isso, combinado com esse artigo no prisonplanet poderia muito bem ter sido a razão para nós recuperarmos o acesso."

Se o problema foi devido a problemas técnicos ou a censura, o fato de que o provedor tenha bloqueado seletivamente certos websites com o apertar de um botão nos dá uma prévia assustadora de como uma internet regulada por um governo de estilo chinês pareceria, o que é exatamente o que pessoas influentes no governo estão pedindo.

O movimento para impor um controle centralizado do governo e a regulamentação da internet livre tem se acelerado nos últimos doze meses.

Na semana passada, a Time Magazine entusiasticamente pulou no vagão do apoio ao pedido de licenciamento da internet do executivo da Microsoft Craig Mundle, enquanto as autoridades forçam por um sistema ainda mais sufocante do que na China comunista, onde somente pessoas com permissão do governo seriam permitidas expressar uma opinião livre.

Durante uma recente conferência no Fórum Econômico de Davos, Mundle, chefe de pesquisa e administrador de estratégia da Microsoft, disse a seus amigos globalistas na cúpula que a internet precisava ser policiada por meio da introdução de licenças semelhantes as licenças de motoristas - em outras palavras, permissão do governo para usar a web.

Os projetos de lei de censura da internet atualmente sendo trabalhados para virar lei no Reino Unido, Austrália e nos Estados Unidos estipulam por poderes para o governo restringir e filtrar qualquer website que considerem ser indesejável para o consumo público. Na Itália, novas regras vão ser impostas pelo decreto do governo que forca qualquer um que deseje enviar um vídeo para a web a obter uma permissão do Ministério das Comunicações do governo.

Os intermediários do poder na Casa Branca tem abertamente declarado guerra ao discurso livre e mirado os "teóricos da conspiração" da internet como a principal ameaça de suas agendas.

Em um documento de 2008, o Czar da regulamentação de Obama Cass Sunstein pediu ao governo para taxar ou até banir diretamente as opiniões políticas que desaprovasse.

Na página 14 do documento de Sunstein de janeiro de 2008 intitulado "Teorias da Conspiração", o homem que é agora o chefe de tecnologia da informação de Obama na Casa Branca propôs que cada uma das seguintes medidas "terão lugar sob as condições imagináveis" de acordo com a estratégia detalhada nesse ensaio.

1) O governo deveria proibir a formulação de teorias da conspiração.
2) O governo deveria impor algum tipo de imposto, financeiro ou de outro tipo, sobre aqueles que disseminarem tais teorias.

O espetáculo ameaçador de grandes sites de livre expressão indo para a escuridão em países supostamente democráticos é um chocante anúncio do que o stablishment quer impor em uma base mais ampla. Somente pela manifestação corajosa em defesa do último verdadeiro posto avançado do livre discurso - a internet - e ameaçadores boicotes e campanhas agressivas de relações públicas podemos contrariar o insidioso movimento para silenciar o único fórum aberto remanescente legítimo de discórdia.

Fonte: http://www.prisonplanet.com

Nota: Esse clamor por vigilância na internet está avançando pelo mundo. A Austrália sofreu um ataque de hackers enraivecidos pela censura a sites de pornografia, a China, o Irá já censuram cotidianamente os sites indesejados. O mal sempre vem travestido com trajes de bondade e esposando uma causa nobre.









segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O FBI quer registrar o que os americanos fazem online

The Seal of the United States Federal Bureau o...Image via Wikipedia

O FBI quer registrar o que os americanos fazem online.

O FBI está pondo pressão sobre os provedores de internet para manter registros do que os usuários fazem online, e depois guardar esses registros por pelo menos dois anos. O diretor do FBI Robert Mueller está pedindo pela retenção da "origem e destino da informação" do usuário.

A CNET tem um grande artigo sobre o rastreamento de histórias de pedidos de registros de dados do FBI. Do artigo:

"No discurso de 2006, Mueller pediu pela retenção de dados da parte dos provedores de internet, e enfatizou o ponto dois anos depois quando explicitamente pediu ao congresso para decretar uma lei tornando isso obrigatório. Mas não tinha sido claro antes que o FBI estava pedindo as companhias para começarem a manter registros de quais websites são visitados, o que poucos ou quase nenhum atualmente faz."

A gente se pergunta como toda essa informação vai ser útil. Se você está tentando analisar tudo que um cliente de provedor de internet tem feito no decorrer de dois anos, você vai terminar no território das planilhas do Excel que vai fazer até o mais poderoso computador rastejar.

Outra preocupação é se uma tal lei para registrar dados explicitamente para propósitos de investigação federal viola ou não a constituição. Por exemplo, os cidadãos americanos têm conferida a expectativa de privacidade. Em minha opinião, isso se você estiver somente visitando um website em sua casa que não tem nenhuma característica social, essa atividade deveria ser considerada privada. Se, por outro lado, você está em um website interagindo com os usuários, então você está sendo menos privativo.

Pessoalmente, quaisquer propostas por registro de dados põem em alerta meus sensores orwellianos. O argumento do FBI é que mais dados permitirá um melhor policiamento de atividades criminosas, mas esse é o problema: todos os dados coletados dos usuários seriam mais ou menos para o propósito de processar pessoas. E a última coisa que precisamos nos Estados Unidos é mais maneiras de por pessoas na cadeia.

Fonte: www.thenextweb.com

Nota: No Brasil já existe lei nesse sentido e já há estados onde as LAN houses identificam os clientes; os provedores são obrigados a guardar os dados dos clientes por um período de tempo também. Tudo para a nossa segurança, é claro.

Portanto, como boas ovelhas que somos já estamos sendo catalogados, enquanto nos Estados esse tipo de coisa levanta suspeitas, nós aceitamos tudo alegremente.



Reblog this post [with Zemanta]

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A EFF revela como sua impressão digital torna você fácil de rastrear.

SYDNEY, AUSTRALIA - NOVEMBER 09:  Former Olymp...Image by Getty Images via Daylife

A EFF revela como sua impressão digital torna você fácil de rastrear.

Pensa que desligar os cookies e ligar a navegação privativa faz você invisível na web? Pense novamente.

A Electronic Frontier Foundation (EFF) lançou uma nova app da web apelidada de Panopticlick que revela simplesmente quão assustadoramente fácil é identificar você no meio de milhões de outros usuários da web.

O problema é sua impressão digital. Sempre que você visita um site seu navegador e qualquer plug-in que você tenha instalado podem vazar dados. Alguns não são tão pessoais, como a sequência de símbolos de sua interface. Outros são mais pessoalmente reveladores, como quais fontes você tem instaladas. Mas se tudo for posto junto? O resultado faria você identificável?

Como a EFF diz, "essas informações podem criar um tipo de impressão digital - uma assinatura que poderia ser usada para identificar você e seu computador."

O conjunto de teste ressalta o que a maioria de nós provavelmente já suspeitava - somos facilmente identificáveis na web. Fizemos o teste em um Mac usando o Firefox, Safári e Google Chome, todos vazaram dados suficientes para nos fazer identificáveis de acordo com os esclarecimentos de privacidade da EFF.

O propósito do Panopticlick é mostrar a você quanto você tem em comum com outros navegadores. Quanto mais sua configuração espelha a de outras pessoas, mais difícil seria identificar você. A ironia é que quanto mais nerd você for - usando um sistema operacional incomum, um navegador menos comum, customizar seu navegador com plug-ins e outros hábitos de usuários radicais - mais identificável você é.

Por exemplo, digamos que esteja usando o Firefox no Ubuntu com o Gnash plug-in em vez de flash, mas você também está se tornando visível com uma configuração única do navegador, sistema operacional, fontes instaladas, plug-ins e mais que pode ser combinado para identificar você através de uma impressão digital online única.

Então o que nós podemos fazer para ficarmos menos identificáveis? Bem, desabilitando cookies, o plug-in flash, o plug-in Java e a maioria de nossas extensões para sermos capazes de nos misturar melhor. Realmente, o fato de que não tínhamos Java ou flash ligados nos tornou mais identificáveis nestas categorias, mas também impediu que o nosso teste acessasse nossas fontes instaladas e outros pedaços de dados, assim no geral, menos identificável.

Obviamente essa abordagem tem um aspecto negativo - sem flash não há muito que fazer com vídeos online, uma falta de cookies causará problemas com logins, e sem Java, você não será capaz de interromper seu navegador ou causará que ele fique travado por horas.

Resumindo, o método de desabilitar não é muito divertido. Estranho como possa parecer, a melhor maneira de perder a impressão digital online única é se misturar com o rebanho. Como a EFF salienta, os navegadores móveis são mais difíceis de identificar desde que haja poucas opções de customização e, para a maioria, uma versão do Safári Móvel parece igualzinho a qualquer outro.

Do mesmo jeito, se você quer se misturar permaneça com o mesmo estoque de fontes do sistema, rode o Windows XP, use o Firefox sem nenhum complemento e desligue os cookies. Você se tornará mais difícil de ser identificado.

Devemos salientar que, não importa quão bem você se camufle no teste de impressão digital, você ainda será identificável pelo seu ISP (provedor de serviços de internet). Anunciantes e websites geralmente não podem acessar as informações que o seu ISP tem sobre você, mas é claro que os governos - com a cooperação de seu provedor de internet - sempre podem. Então não pense que apenas porque você eliminou suas impressões digitais ninguém sabe quem você é.

Fonte: www.webmonkey.com

Nota: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.


Reblog this post [with Zemanta]

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Positive ID procura diabéticos como cobaias para estudo com implante de chip.

Is the Human Heart Just a Number?Image by Wings of Hope Photography via Flickr

Positive ID procura diabéticos como cobaias para estudo com implante de chip.

Por Jim Edwards - BNET

A Positive ID (PSID) vai começar um estudo de seu microchip implantável Health Link (conexão da saúde) em pacientes diabéticos, hipertensos e obesos.

O estudo - como tudo mais associado com a companhia anteriormente conhecida como VeriChip - é com certeza controverso. O chip Health Link é implantado sob a pele dos pacientes. Ele pode ser escaneado para os registros médicos do paciente online. Os críticos da companhia temem que o chip se torne obrigatório, levando a uma completa perda da privacidade médica, ou que os americanos se tornem incapazes de receber cuidado médico a menos que sejam chipados.

O BNET observou que a Positive ID também possui uma companhia de monitoramento de crédito e prevenção de roubo de identidade, a Steel Vault, e que prevê seus chips sendo conectados ao Google (GOOG), Microsoft (MSFT) e empregadores. A Positive ID mostrou o seu monitoramento de crédito e o chip Health Link em seu mais recente 10-Q

Enquanto o comunicado de imprensa dá poucos detalhes, ele indica que o estudo terá algo a ver com o chip Health Link e os clientes do HealthScreenDirect, uma companhia que oferece monitoramento para diabetes e colesterol alto. Diz que o estudo será:

...um estudo clínico em perspectiva, aleatório, comparativo que procurará visar a melhoria da supervisão da doença através do uso de uma apropriada, concisa, e atualizada avaliação das informações de saúde disponíveis tanto para os médicos que cuidam de pacientes diabéticos, hipertensos e obesos como para os próprios pacientes através da utilização do registro de saúde pessoal da Positive ID (Health Link) e do sistema eletrônico de registros médicos.

O CEO da Positive ID Scott R. Silverman disse em uma declaração que o estudo também avançará o chip sensível a glicose da companhia que está em desenvolvimento. Silverman está sem dúvida esperançoso que os pacientes com o chip - e com seus registros médicos online - terão melhores resultados em termos de controlar sua diabetes do que aqueles que o fazem do jeito antigo.

A questão não respondida é por que o acesso a registros médicos - ou até um microchip - poderia melhorar os resultados para os diabéticos. Geralmente, diabéticos monitoram regularmente a glicose de seu próprio sangue e tomam insulina ou outras drogas que sejam requeridas. Como a Positive ID prevê que os registros médicos eletrônicos online se encaixem nessa equação ainda não está claro.

Fonte: http://www.puppetgov.com

Nota: A ideia de um implante de microchip sempre está associada a benefícios, mas a perda de privacidade e de segurança nunca é mencionada. A tecnologia continua a evoluir e mais funções são mostradas, chegará um dia em que ninguém mais poderá viver sem algum implante eletrônico. Tudo para o nosso bem e nossa felicidade.


Reblog this post [with Zemanta]

“Dia da Terra”, 1970: as 13 mais ridículas previsões

Por Jon Gabriel No último sábado, 22 de abril, foi celebrado o “Dia da Terra” – um evento anual lançado pela primeira vez em 1970. As...