terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O infanticídio é "cultura"? Ambigüidades na interpretação do "desenvolvimento sustentável"

FUNAI logoImage via WikipediaO infanticídio é "cultura"? Ambigüidades na interpretação do "desenvolvimento sustentável"

Infanticidio. Esta é a "cultura ecológica" por excelência?

Quando bem analisada, a religião “verde” não é tão contraditória quanto à primeira vista pode parecer

Para ela, o homem civilizado – e com maior razão cristão – é um ser malfazejo. Um comentário contrário ao nosso blog "Verde: a cor nova do comunismo" defende que “depredar e destruir não faz parte da natureza nem dos lobos nem de nenhum outro animal. O homem é o único ser que destrói o que o sustenta; a verdade é que a raça humana se tornou uma praga”.


A tese não é original. É até um chavão do ecologismo radical.

Nada mais natural que semelhante concepção sobre o homem redunde na aprovação da cruel prática de infanticídio existente em algumas tribos muito decaídas do Brasil.

O tema está no fulcro do atual debate sobre o "desenvolvimento sustentável", conceito suficientemente plurivalente que em certas interpretações pretende defender práticas primitivas e cruéis sob pretexto de salvar culturas indígenas.


Alegando respeitar as “tradições” indígenas, antropólogos estruturalistas e “verdes” defendem, por exemplo, o infanticidio, ato contrário aos sentimentos humanos mais nobres.

Muwaji com sua filha Rarani, fugiu da tribo Suruwahá para salvá-la
No Brasil, tal vez o país mais na mira na próxima Rio+20, o tema está sendo discutido na Câmara dos Deputados desde 2007.

Naquele ano o parlamentar Henrique Afonso (PV/AC) apresentou projeto chamado de “lei Muwaji” (PLC 1.057/07), visando punir funcionários da saúde e da FUNAI por crime de “omissão de socorro” diante dos homicídios de recém-nascidos deficientes, filhos de mães solteiras ou gêmeos, cometidos em aldeias da Amazônia.

O nome do projeto se refere à índia Muwaji Suruwahá, que fugiu de sua tribo para evitar que sua filha, portadora de paralisia cerebral, fosse sacrificada.

Contudo, o projeto de Henrique Afonso, que classificava de “prática nociva” a referida “tradição” indígena do infanticídio, sofreu forte oposição do governo através da FUNAI e de antropólogos.

Mais ainda, essa prática inumana e anticristã é defendida também pelo CIMI, órgão ligado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a qual, no presente ano, está muito ativa na área ecológica.

Em julho deste ano, a deputada petista Janete Pietá alterou a versão do projeto, de maneira a não conter mais as previstas punições aos servidores públicos.

Ao invés disso, os órgãos do governo limitar-se-ão a oferecer “oportunidades adequadas aos povos indígenas de adquirir conhecimento sobre a sociedade em seu conjunto”. Frase totalmente vaga que redunda em impunidade.

A deputada petista afirma defender a “autonomia dos povos indígenas”. Numa atitude que não faz jus ao seu sobrenome, a parlamentar procurou diminuir a gravidade desses cruéis assassinatos: “A tradição de sacrificar crianças é mantida por poucas comunidades”.

No dia em que uma “tribo urbana” de narcotraficantes ou de criminosos quiser defender sua impunidade alegando “autonomia” no morro e suas “tradições” culturais delitivas, já encontrará os sofismas registrados nas atas do Congresso Nacional.

Operando nos bastidores da Câmara, segundo a “Folha de S. Paulo”, a FUNAI fez o que pôde para “enfraquecer o texto com o argumento de que ele criaria uma interferência indevida e reforçaria o preconceito contra os índios”.

Todo ano, centenas de crianças são enterradas vivas ou abandonadas na floresta amazônica.

O “ritual” seria praticado em território brasileiro por cerca de 20 etnias.

Mas os apóstolos da “religião verde”, entre os quais se destacam os neo-missionários comuno-progressistas do CIMI, empurram o País para o precipício.

Aliás, tudo diametralmente oposto à venturosa trilha aberta por heróicos missionários como o Padre Manoel da Nóbrega e o Beato José de Anchieta, que estabeleceram os fundamentos de um Brasil grande, civilizado e cristão. O da religião bem entendida, portanto.

Fonte: Verde:a cor nova do comunismo

Enhanced by Zemanta

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Minority Report é real: O FBI quer usar as redes sociais para evitar crimes futuros

Cover of "Minority Report [Blu-ray]"Cover of Minority Report [Blu-ray]
Minority Report é real: O FBI quer usar as redes sociais para evitar crimes futuros

Por Andrew Couts

O FBI está investigando a criação de um novo aplicativo que permitiria a eles não somente monitorar ameaças em andamento, mas também predizer potenciais ataques terroristas e outros crimes antes mesmo de ocorrerem. Aqui está tudo o que você precisa saber, e porque você deveria ficar preocupado.

O Escritório Federal de Investigação (FBI) está investigando a criação de um aplicativo que poderia permitir melhor garimpar conteúdo de mídia social, em uma tentativa de mais acuradamente identificar, investigar e lutar contra "ameaças emergentes" em tempo real. O aplicativo poderá também ser usado para prever ameaças virtuais antes mesmo de acontecerem.

De acordo com um requerimento de informação (RFI, em inglês) postado no website Federal de Oportunidades de Negócios, o FBI diz que espera "determinar a capacidade da indústria de proporcionar uma aplicação de solução de alerta Open Source de mapeamento e análise de Mídia Social." Essa ferramenta permitiria ao FBI "verificar, identificar e geo localizar eventos de última hora, incidentes e ameaças emergentes rapidamente" usando informações "disponíveis publicamente" postadas em redes sociais, como Facebook e Twitter, bem como novas publicações nacionais e locais.

Big Brother 2.0

É claro, monitorar mídia social não é nenhuma novidade para a comunidade de aplicação da lei. No momento, contudo, é simplesmente muito ineficaz e ineficiente para as necessidades do FBI.

"Mídia social é uma valiosa fonte de informação para analistas de inteligência do [Centro de Operações e Informações Estratégicas do FBI (SIOC, em inglês)] no monitoramento rotineiro de eventos," diz o RFI. " Analistas têm considerado questões de inteligência que eles monitoram como assunto de curso diário ao redor do globo. É também produtivo em seus esforços para proporcionar informação inicial sobre eventos comuns de significado para aplicadores da lei. A mídia social tem se tornado uma fonte primária de inteligência porque ela tem se tornado a primeira resposta principal para eventos chaves e alerta primordial para possíveis desenvolvimento de situações".

O aplicativo que o FBI espera construir simplesmente faria este processo mais fácil e mais eficiente.

Aqui está como o FBI prevê o aplicativo funcionando: As informações reunidas de fontes de notícias e mídia social seriam superpostas sobre um mapa digital, marcando a localização dos "eventos em tempo real", junto com outros dados contextuais relevantes, informações adicionais, incluindo dados domésticos de terrorismo dos Estados Unidos, dados do terrorismo ao redor do mundo, a localização de todas as embaixadas americanas, consulados e instalações militares, previsões e condições do clima e vídeos de informação do tráfico também seriam superpostos nesse mapa.

Um sistema robusto de busca também seria incorporado ao aplicativo, o qual permitiria a capacidade de "instantaneamente buscar e monitorar palavras chaves e sequências de tweets 'disponíveis publicamente' através do site do Twitter e qualquer outro site/fórum de rede social," de acordo com o RFI. O FBI quer que a função de busca permita buscas por palavras chaves simultâneas "que possam procurar por 10 ou 20 incidentes/ameaças separadas ao mesmo tempo dentro da mesma "janela". A capacidade de monitorar outros dados de mídia social em no mínimo 12 línguas diferentes, e "traduzir imediatamente" estas postagens para inglês, está também esboçado como uma característica do aplicativo.

O futuro é agora

Tudo isso parece bastante ousado. De fato, estamos surpresos de o FBI não ter ainda tal aplicativo a sua disposição, desde que todas as características que ele delineia estão bem dentro das capacidades de uma equipe de desenvolvimento de software habilidosa. Sem mencionar o fato de que muito do que o FBI espera usar já existe em diferentes partes. Websites como OpenStatusSearch.com, YourOpenBook.org, TweetScan.com e Tweepz.com tornam possível procurar facilmente por palavras chaves sendo postadas publicamente no Twitter e Facebook. Tudo o que o aplicativo sonhado pelo pelo FBI faria combina estas características em um único produto, e os expande com dados adicionais do governo e de aplicação da lei e ferramentas de mapeamento.

Contudo, o FBI não quer apenas saber sobre o que está acontecendo agora; também quer prever eventos que estão para acontecer - prever o futuro. Se isso lhe parece de modo suspeito com o filme Minority Report, você não está só.

"A mídia social será crítica para atingir os objetivos de inteligência declarados acima, porque ela proporciona acesso exclusivo a informações a respeito de eventos especiais [isto é, convenções políticas, feriados nacionais ou eventos esportivos] antes de sua ocorrência," lê-se no RFI.

Ainda que a capacidade de procurar tweets e atualizações, usar mídias sociais para prever o futuro não é novidade, em março de 2011, o jornal de ciência da computação mostrou que tweets poderiam ser usados para prever flutuações futuras do índice médio industrial Dow Jones com uma precisão de 86.7 por cento. E neste mês a Corporação Rand analisou tweets de 2009 que usavam a hashtag #IranElection e descobriram que um aumento em palavrões nos tweets poderia ser usado para prever onde e quando protestos e outras formas de descontentamento público ocorreriam.

Usar tecnologia preditiva não está limitada a acadêmicos, governos ou corporações apenas. O website RecordTheFuture.com permite que qualquer um com uma conta acesse coleções de informações sobre potenciais eventos futuros, incluindo lançamento de produtos, flutuações de ações e até planos futuros de férias de particulares.

Todo mundo é um alvo?

Em outras palavras, os mundos de Aldous Huxley e George Orwell já chegaram. O FBI simplesmente quer criar um aplicativo padrão que combine a tecnologia já disponível e racionalizá-la, em uma tentativa de fazer melhor o trabalho deles. Está tudo bem se isso for usado para parar os caras verdadeiramente maus, como terroristas que querem explodir um estádio de futebol. O problema é, quem eles consideram "caras maus" hoje em dia? Hackers como o Anonymous? Apoiadores do Wikileaks? Manifestantes do Occupy Wall Street? Qualquer um?

Os mais cautelosos (e possivelmente mais sábios) entre nós diriam tudo o que está acima. E é cada vez mais difícil de refutar as advertências deles. No final do último ano o presidente Barack Obama assinou a mais recente iteração da Lei de Autorização da Defesa Nacional (NDAA, em inglês), uma lei que foi levada para renovação anual. O problema com a versão desse ano, dizem os críticos, é que ela inclui provisões que permitiriam aos militares dos Estados Unidos deter qualquer pessoa - inclusive cidadãos americanos - em qualquer lugar do mundo, sem julgamento ou o devido processo, se eles forem suspeitos de atividades terroristas. Além do mais, a NDAA proporciona uma definição tão ambígua de "atividade terrorista" que grupos como o Occupy Wall Street ou o Anonymous poderiam cair sob esta perigosa categoria.

Tem de ser salientado que o presidente Obama incluiu uma declaração de assinatura com a NDAA que garantia que sua administração não usaria a lei para deter indefinidamente cidadãos americanos.

É desnecessário dizer que isso fez pouco para acabar com a indignação do público que tem conhecimento.

Então o que fazer de tudo isso? Muito obviamente, é agora dolorosamente claro que tudo que postamos online está sendo observado. E se o FBI conseguir seu novo aplicativo - o que parece para nós uma inevitabilidade - o olho com o qual ele vê nossos tweets e atualizações terá visão biônica, e até a capacidade de espreitar o futuro. O que é menos óbvio é como o objetivo do governo de proteger o bem público será abusado para atropelar a legítima liberdade de expressão e o descontentamento público legal.

Em resumo: O Big Brother é real. Ele está observando. Então seja cuidadoso sobre o que diz online hoje em dia - isso poderá ser usado contra você amanhã.

Fonte: www.digitaltrends.com




Enhanced by Zemanta

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Calendário de eventos globalistas em 2012

Foro Económico Mundial, Colombia 5 (07/04/10)Foro Económico Mundial, Colombia 5 (07/04/10) (Photo credit: Gobierno de Álvaro Colom, Guatemala 2008-2012)

Calendário de Eventos Globalistas em 2012

Autor: Carl Teichrib, Forcing Change.

O seguinte Calendário de Eventos é uma amostra das conferências, foros, eventos e encontros que ocorrerão em 2012 — cada um contribuindo de algum modo para a agenda maior da transformação global e para a gestão internacional. Embora outros eventos também ocorrerão durante o ano, temas comuns já são visíveis entre muitos dos que estão relacionados no calendário. Esses temas estão cada vez mais entrelaçados; por exemplo, o aquecimento global está vinculado com a crise econômica internacional e o "desenvolvimento sustentável" está vinculado com uma "espiritualidade evoluída". Por meio de tudo isto, um mundo transformado está aparecendo, construído com base na ideia da interdependência.

O propósito deste calendário é fornecer a você um alerta na entrada do ano de 2012. Ele é um lembrete sério a respeito da cosmovisão que está se formando — uma cosmovisão que desafiará continuamente a comunidade cristã.
11-13 de Janeiro: Exposição das Agências das Nações Unidas
Onde: Viena, Áustria.
O Conselho Acadêmico do Sistema das Nações Unidas está patrocinando um evento de múltiplas agências da ONU para conectar as ramificações da ONU com os líderes acadêmicos e com as principais ONGs (organizações não governamentais) e, assim, coordenar os grandes temas para 2012. Alguns dos tópicos incluem o Acesso da Energia para Todos, Segurança Nuclear e Governança Global, e o desenvolvimento de uma Economia Verde em todo o mundo.
16-18 de Janeiro: Rio+20 — Discussões Preliminares (Rascunho)
Onde: Nova York, EUA.
Antes da conferência Rio+20, que será realizada em junho de 2012, ocorrerão diversos eventos importantes que não receberão muita cobertura da mídia. Esses eventos, como as Discussões Preliminares (Rascunho), prepararão os temas para a Conferência da ONU Sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20 — uma conferência que fundirá a economia com o meio ambiente e empurrará a sociedade rumo às lealdades globais.
25-29 de Janeiro: Foro Econômico Mundial
Onde: Davos-Klosters, Suíça.
De acordo com o Foro Econômico Mundial, ele é "a principal comunidade global de líderes empresariais, políticos, intelectuais e outros líderes da sociedade que estão comprometidos com a melhoria da situação mundial."

Há vários anos que o Foro Econômico Mundial é um evento internacional de grande importância, reunindo os principais líderes mundiais com executivos de grandes empresas transnacionais, líderes do sistema financeiro e visionários sociais. Portanto, o que acontece no Foro Econômico Mundial reverbera por todos os círculos econômicos e políticos durante vários meses (e até anos) após o fim do encontro.
O tema para 2012 é "A Grande Transformação: Moldando Novos Modelos".
29 de janeiro a 4 de fevereiro: Semana da Harmonia Interfé Mundial
Onde: Global.
A Semana da Harmonia Interfé Mundial (WIHW) é um programa da ONU que foi influenciado pela campanha A Palavra Comum, um diálogo de 2008 entre líderes islâmicos e cristãos.

Em 23 de setembro de 2010, o rei Abdullah II, da Jordânia, propôs a ideia de uma Semana da Harmonia Interfé diante da Assembleia-Geral da ONU. A proposta foi adotada unanimamente e a primeira semana de fevereiro foi reservada para esse programa interfé. Múltiplos eventos estão planejados para ocorrerem durante a semana. Aqui estão alguns deles:
  • "Celebração da Luz Universal", patrocinada pelo Instituto dos Valores Universais Vivos e programada para ocorrer em Fort Collins, no estado americano do Colorado, em 29 de janeiro;
  • "Espaços Sagrados Compartilhados", patrocinados pelo Conselho para um Parlamento das Religiões do Mundo, em Chicago, Illinois, em 29 de janeiro. Isto é parte de um programa interfé que está sendo realizado em Chicago, e que terminará em 12 de maio de 2012;
  • "Voltando-se em Direção ao Coração", uma tarde de meditações sufis, realizada em Zalesie Górne, Polônia, em 1 de fevereiro;
  • "Dia da Harmonia", em Malappuram, Índia, em 3 de fevereiro;
  • "Encontro Multifé Vivekananda", no Santuário da Santa Sabedoria, Tempe, Arizona, em 4 de fevereiro.
10-12 de Fevereiro: Pregação Nacional Sobre o Aquecimento Global
Onde: Estados Unidos da América
O fim de semana de 10-12 de fevereiro foi reservado como um tempo para os líderes religiosos nos EUA falarem sobre a mudança climática. Centenas de pastores e professores de diferentes religiões pregarão sermões sobre o aquecimento global, sobre a necessidade de mudanças de comportamento e de valores e o desejo por uma resposta mundial unida para interromper a "mudança climática". A organização que coordena essa campanha política e religiosa é a Interfaith Power and Light (Energia e Luz Interfé).
17-20 de Fevereiro: PantheaCon
Onde: San Jose, CA, EUA.
PantheaCon é uma tradicional conferência pagã que apresenta muitas palestras.
Aqui estão alguns dos tópicos de discussões e rituais que estão planejados:
  • Bênçãos e Maldições: uma Visão Geral da Magia Popular Escocesa;
  • Magia Tripla da Deusa;
  • 2012: O Ano do Despertar;
  • O Cofre Rosa-Cruz;
  • Ritual dos Druidas: Honrando Nossos Ancestrais;
  • Ritual de Restauração para a Cidade de San José;
  • Invocando os Espíritos;
  • Ioga para Todo o Corpo;
  • Ritual do Diabo Verde;
  • Magia Sexual para Mulheres;
  • Pagãos, Guerra Cultural e a Crise Moderna;
  • Iniciação Dionisíaca;
  • Desenvolvimento Psíquico e Mágico para Crianças;
  • Espiritualidade Masculina;
  • Dança para o Deus Negro.
12-17 de Março: Foro Mundial da Água
Onde: Marselha, França.
Este é o Sexto Foro Mundial da Água, promovido pelo Conselho Mundial da Água — uma organização que tem em sua diretoria personalidades importantes da governança global. O propósito do Foro Mundial da Água e do Conselho é colocar a gestão global dos recursos hídricos firmemente na agenda internacional. As implicações da gestão dos recursos hídricos são consideráveis, impactando a produção de alimentos, transporte, saneamento, geração de energia e muitos outros aspectos fundamentais da vida e do desenvolvimento.
14-16 de Março: GLOBO 2012
Onde: Vancouver, Colúmbia Britânica, Canadá.
Executivos de grandes empresas de todas as partes do mundo se reunirão em Vancouver junto com autoridades governamentais, representantes do setor bancário, empresas da área de energia, acadêmicos e participantes de grupos de interesses especiais. O propósito é formar redes, modelar novas tecnologias e incorporar nos negócios as agendas globalistas para o meio ambiente. Para este fim, as tecnologias da rede elétrica inteligente serão exibidas e uma "economia de carbono" será discutida. Outros temas relevantes incluem o papel das cidades em uma economia verde global, como os bancos podem planejar os riscos sociais e ambientais e o "consumismo sustentável". Aproximadamente 10.000 pessoas participarão.
15-17 de Março: Conferência Anual Cidadãos Pró-Soluções Globais
Onde: Washington, DC, EUA.
Cidadãos Pró-Soluções Globais (Citizens for Global Solutions) é o maior grupo de lóbi pró-governo mundial nos Estados Unidos (antigamente conhecida como Associação Federalista Mundial). Cada primavera, a CGS se reúne em Washington para um tempo de lóbi, treinamento e para realizar negócios. Sendo 2012 um ano eleitoral nos EUA, a CGS estará promovendo sua agenda internacional como uma plataforma de política externa para os líderes na capital.
Durante a última campanha presidencial, conhecidos federalistas mundiais estiveram ativos em assessorar o então candidato Obama com relação às Nações Unidas.
17-18 de Março: Buscadores Espirituais do Canadá (Spirit Seekers Canada)
Onde: Winnipeg, MB, Canadá.
Esta é a terceira conferência Buscadores Espirituais em Winnipeg e, embora o evento não seja especialmente grande ou significativo, está sendo listado aqui para chamar a atenção para o fato que reuniões pagãs e de espiritualidade alternativas estarão ocorrendo.
De fato, há uma rede muito ativa de comunidades pagãs e de espiritualidades alternativas em todo o mundo ocidental.
Para Winnipeg, o evento Buscadores Espirituais deste ano está repleto de palestras sobre misticismo cristão, mediunidade, rituais pagãos, exercícios para cura e conexões espirituais na artes e na arquitetura.
22-23 de Março: Fronteiras da Tecnologia — Transforme Seu Mundo, Sua Vida, Seu Mundo
Onde: Londres, Grã-Bretanha.
A tecnologia está prestes a mudar cada aspecto de nossas vidas e esta conferência de dois dias, promovida pela revista The Economist, explorará como essa transformação está ocorrendo. Os tópicos e temas incluem:
  • Usando a Tecnologia para Transformar o Comportamento do Consumidor em um Modelo de Negócios;
  • Mentes Abertas: A Nova Era do Humano 2.0;
  • Novas Mentes, Novos Corpos, Novas Identidades;
  • Como a Tecnologia Muda as Normas Sociais;
  • A Morte do Papel-Moeda;
  • A Política da Tecnologia.
24 de Março: Ser Humano 2012
Onde: San Francisco, CA, EUA.
Cientistas, visionários sociais, pesquisadores do comportamento, artistas, filósofos e pelo menos um líder espiritual (o lama tibetano Gelek Rimpoche) se reunirão em San Francisco para um evento de um dia para explorar o futuro do "ser humano".
Cognição, consciência, o relacionamento entre indivíduos e sociedade, moralidade e cultura, a integração ser humano/sociedade serão examinados por meio das lentes da evolução.
Eventos como este se tornarão mais significativos à medida que a humanidade se unifica política, religiosa, étnica e economicamente em um conceito "um só mundo".
26-29 de Março: O Planeta Sob Pressão
Onde: Londres, Inglaterra.
A comunidade científica mundial se reunirá em Londres para expor uma nova visão de transformação mundial baseada na ciência, na tecnologia e no desenvolvimento sustentável. Para este fim, um dos objetivos é fornecer orientação científica para a conferência Rio+20, que será realizada em junho.
Um objetivo global é demonstrar que a governança e a tecnologia podem trabalhar de mãos dadas em todos os níveis, desde o local até o global, para fornecer soluções de transformação mundial. Em um sentido real, a conferência "O Planeta Sob Pressão" é uma mistura de tecnocracia e governança global. As sessões de trabalho incluem:
  • Novas Estratégias para Definir as Fronteiras Planetárias;
  • Clima, Energia e Água: um Desafio para Integrar a Gestão das Fronteiras Planetárias;
  • Os Desafios da Integração;
  • Ação Coletiva para a Transição para uma Sociedade Sustentável;
  • Antevendo um Mundo Verdadeiramente Sustentável;
  • Transformando Nosso Modo de Vida — o Novo Humanismo: Indo Além da Racionalidade Econômica". (Esta sessão de trabalho faz a seguinte pergunta: "Pode a atual governança global tratar as emergentes transformações globais no meio ambiente e existe a necessidade de uma nova ordem internacional?);
  • Governança Global do Meio Ambiente e Planos de Ação Nacionais.
28-29 de Março: Aprimorando a Experiência Humana Via Tecnologias Emergentes
Onde: Laval, França.
Esta conferência sobre o transhumanismo explorará as tecnologias emergentes de transformação humana, incluindo robótica, interfaces mente-computador, tecnologias teóricas, nanotecnologias e outros pontos de interseção entre ciência e aprimoramento humano. Outros pontos de interesse a serem discutidos incluem as questões de religião e crença, moralidade e considerações éticas, dimensões sociais, opções políticas para a ciência e engenharia de híbridos.
16-17 de Abril: Envolvendo os Corações e Mentes — Uma Agenda para a Educação para a Cidadania Global
Onde: Toronto, Canadá.
Promovido pelo Instituto para Cidadania Global das Faculdades Centennial, esta conferência está planejada para ser um espaço para os acadêmicos e organizadores formarem redes, planejarem, coordenarem e desafiarem uns aos outros nas atividades de cidadania global. O currículo escolar sobre cidadania global será um dos temas neste evento de dois dias.
18-20 de Abril: Conferência Sobre Sistema de Governança da Terra
Onde: Lund, Suécia.
Como diz o título, esta conferência enfocará o Sistema de Governança da Terra, incluindo as transformações econômicas globais necessárias para a gestão da Terra, formulação da democracia internacional, e promoção de temas de justiça social para mudar as realidades econômicas e políticas. Uma questão subjacente ao evento é "Quem governa o sistema da Terra e de que forma?" A conferência em Lund é um evento acadêmico de alto nível, com professores convidados vindos da Universidade Rutgers, da Escola de Economia de Londres, da Universidade de Warwick, da Universidade do Estado de Washington, da Universidade Brown, da Universidade Sheffield e de outros importantes centros acadêmicos.
22 de Abril: Dia da Terra / Dia Internacional da Mãe Terra
Onde: Global
O Dia da Terra é uma gigantesca celebração da Terra, da sustentabilidade e do pensamento verde. Em sua essência, o Dia da Terra representa a humanidade em uma aliança espiritual e ética com a "Mãe Terra". Este fato é exemplificado na declaração da ONU, que proclama o dia 22 de abril como o Dia Internacional da Mãe Terra. Milhões de pessoas de todas as partes do mundo celebração este evento.
23-25 de Abril: Encontro de Cúpula Mundial dos Ganhadores do Prêmio Nobel
Onde: Chicago, EUA.
O Encontro de Cúpula dos Ganhadores do Prêmio Nobel ocorre a cada dois anos, mas esta será a primeira vez que o evento será realizado nos EUA. Intitulado "Fale Bem Alto em Defesa da Liberdade e dos Direitos", está sendo previsto que o encontro seguirá uma abordagem internacionalista. Isto já está evidenciado na Carta Para um Mundo Sem Violência, dos Ganhadores do Prêmio Nobel, que pede segurança coletiva a ser fornecida pela comunidade internacional, incluindo o fortalecimento do sistema da ONU, bem como das organizações de cooperação regional (como a OTAN). O ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev copresidirá o evento, junto com o ex-prefeito de Roma, Walter Veltroni.
12 de Maio: Conferência Pagã Escocesa
Onde: Edinburgo, Escócia.
Promovida pela Federação Pagã Escocesa, este evento reunirá druidas, xamãs, bruxos e praticantes do paganismo de toda a Escócia. Margot Adler, uma famosa suma sacerdotisa será a principal palestrante.
12 de Maio: Compartilhando os Espaços Sagrados
Onde: Chicago, EUA.
Este é o último dia de um programa interfé que está ocorrendo na cidade de Chicago. Ele teve início no outono passado em um Templo Budista no meio-oeste, depois eventos consecutivos na Quarta Igreja Presbiteriana, na Catedral Episcopal de São Tiago, na Congregação Sinai em Chicago, na Primeira Igreja Metodista Unida, na Décima Sétima Igreja de Cristo (Ciência Cristã), na Antiga Igreja de São Patrício e, finalmente, em maio, no Centro Islâmico da Região Central, onde uma declaração interfé será assinada pelos líderes religiosos de Chicago.
12-22 de Maio: Desafio aos Criadores de Guerras da OTAN
Onde: Chicago, EUA.
Dezenas de organizações marxistas, socialistas e radicais estão planejando um gigantesco evento de protesto anti-OTAN e anti-G8 em Chicago. Tenha em mente que esse protesto não é contra a globalização em si, mas para exigir uma versão socialista ou marxista, em oposição à visão empresarial dos governos ocidentais.
13-18 de Maio: Congresso Mundial Sobre Água, Clima e Energia
Onde: Dublin, Irlanda.
Reunindo técnicos, cientistas e especialistas em definição de políticas, este congresso faz uma ponte entre três áreas entrelaçadas: água, clima e energia sob o tema "Construindo um Futuro Global Sustentável". A mudança climática será um tópico dominante, temperando todo o evento. As questões a serem discutidas incluem:
  • Integrando a governança da água e da energia em um "clima em mudança";
  • Adaptação para o aquecimento global e redução da crise climática;
  • Gestão das empresas concessionárias dos recursos hídricos e a conexão água-geração de energia;
  • Competição pela água e escassez do recurso;
  • Impacto sobre a agricultura e na produção de alimentos;
  • Modelos de negócios verdes, regulações ambientais e políticas para o desenvolvimento sustentável.
Os palestrantes mais conhecidos serão:
  • Mary Robinson, ex-presidente da República da Irlanda e Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos;
  • Koo Teng Chye, diretor-executivo das Cidades Habitáveis;
  • Gerard M. Mooney, gerente-geral de Governança Global e Educação na IBM;
  • James L. Barnard, bolsista e pesquisador da IBM junto ao Foro Econômico Mundial.
13-19 de Maio: Reduzir o Crescimento nas Américas
Onde: Montreal, Quebec, Canadá
"Reduzir o crescimento" é um chamado radical para a rejeição ao capitalismo, "não importa se for 'verde' ou 'socialmente justo' e não importando se ele tem empresas estatais ou privadas". Ele é um chamado para reduzir o crescimento e o desenvolvimento econômico para permitir que o ecossistema da Terra e a população humana cheguem a um nível de equilíbrio e descobrir as cosmovisões espirituais e filosóficas corretas para permitir que essa reestruturação ocorra. Os participantes confirmados incluem Naomi Klein, autora de The Shock Doctrine (A Doutrina do Choque), e David Suzuki, o ambientalista canadense mais conhecido.
15-22 de Maio: Encontro de Cúpula da OTAN
Onde: Chicago, EUA.
A tarefa precípua do Encontro de Cúpula da OTAN em Chicago será analisar o progresso do recém-anunciado Conceito Estratégico, um plano de ação para guiar a evolução da OTAN como um ator global na segurança. Futuros desenvolvimentos no Conceito Estratégico incluem maiores vinculações entre a OTAN e a ONU, incluindo cooperação política, o fortalecimento das parcerias com a União Europeia; expandir o relacionamento entre a OTAN e a Rússia; estreitar os laços com a Geórgia e a Ucrânia; trabalhar mais de perto nas zonas do Mediterrâneo e do Golfo Pérsico.
No tempo atual não está previsto que a Casa Branca procurará obter maiores mudanças. Em vez disso, alguns do Conselho do Atlântico acham que o governo de Washington verá o Encontro de Cúpula "como algo a superar em vez de um veículo para tornar a OTAN mais viável". Por quê? Por causa de dois outros eventos que também estarão em cena: o encontro do G8, que ocorrerá ao mesmo tempo e na mesma cidade, e a campanha eleitoral para a eleição do novo presidente, que será realizada em novembro.
15 de Maio: Climate Change: The New Economy (Mudança Climática — A Nova Economia)
Onde: Chicago, EUA.
Este não é um encontro, mas o lançamento de um livro destinado a dar maior peso às agendas da mudança climática e da economia verde. Os coautores convidados para escrever o livro vieram de grandes empresas e de organizações globais. O propósito do livro é claro: influenciar os líderes do G8 na busca para transformar a economia global por meio dos mercados de carbono/créditos de carbono. Os patrocinadores e afiliados incluem:
  • Microsoft;
  • General Electric;
  • Siemens;
  • Philips;
  • Pirelli;
  • World Wildlife Fund (WWF);
  • Programa Ambiental da ONU (UNEP);
  • Cruz Verde;
  • IUCN;
  • Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.
15-22 de Maio: Encontro de Cúpula do G8
Onde: Chicago, EUA.
O G8 inclui os chefes de Estado e ministros das Relações Exteriores da França, Canadá, Japão, Itália, Rússia, Inglaterra, Alemanha e Estados Unidos. Todos os anos esses líderes se reúnem para discutir a economia internacional, as agendas de desenvolvimento e a segurança internacional.
17 de Maio: Europa 2020 — Uma União Inovadora e Inclusiva
Onde: Skopje, Macedônia.
Esta conferência acadêmica de um dia enfocará os desafios e oportunidades que levem a uma maior integração europeia, especialmente à luz dos problemas econômicos recentes que estão sendo experimentados em toda a zona do euro.
25-27 de Maio: Primeiro Encontro de Cúpula de Legisladores da GLOBE International
Onde: Rio de Janeiro, Brasil.
Legisladores — incluindo senadores, líderes do Congresso e parlamentares de todo o mundo — negociarão "um protocolo dos legisladores" para apoiar a proposta das Nações Unidas para o desenvolvimento global sustentável.
Desenvolver esse protocolo, que deverá ser ratificado pelas nações individuais, enviará uma mensagem para os chefes de Estado antes da conferência Rio+20.
Além disso, o protocolo atuará como um documento de comprometimento do governo com a agenda da ONU.
29-31 de Maio: Adaptações Futuras — Conferência Internacional de 2012 Sobre Adaptação Climática
Onde: Tucson, Arizona, EUA.
Copatrocinada pelo Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas (UNEP) e pela Universidade do Arizona, a conferência Adaptações Futuras não enfocará a ciência da mudança climática; ao contrário, seguirá a abordagem que o aquecimento global está ocorrendo e buscará formas para as sociedades se adaptarem. Para este fim, "extremos do futuro", as questões da elevação dos níveis dos mares e da "transformação da paisagem" serão discutidas com os olhos voltados para as respostas políticas e no comportamento. O financiamento para a adaptação climática global será um importante tópico de discussão: "Quem paga, com que propósito, onde e por quanto tempo?"
Mais de 1.000 líderes comunitários, acadêmicos e pesquisadores participaram da primeira conferência Adaptações Futuras em 2010.
1-3 de Junho: Congresso Mundial Sobre Justiça, Governança e Direito para a Sustentabilidade Ambiental
Onde: Rio de Janeiro, Brasil.
Patrocinado pelo Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (UNEP), este Congresso Internacional reunirá juízes dos Supremos Tribunais, procuradores gerais, promotores públicos e outros representantes das comunidades do direito e da justiça nacional.
O objetivo deste evento é capacitar e equipar os agentes públicos da Justiça em estruturar os processos jurídicos nacionais no contexto da Lei Internacional, e em promover os "objetivos do desenvolvimento sustentável".
4-6 de Junho: Encontro da Cúpula dos Povos no UNCSD
Onde: Rio de Janeiro, Brasil.
Antes da Conferência Rio+20 haverá um importante evento promovido por uma infinidade de grupos de lóbi especiais. Essas organizações não governamentais, em sua grande maioria, são apoiadores significativos da governança global, do fortalecimento da ONU e do socialismo internacional. Está sendo previsto que o Encontro de Cúpula dos Povos, que se reúne duas semanas antes do evento principal no Rio de Janeiro, será planejado para influenciar a agenda da Conferência Rio+20 e fazer a máxima pressão sobre os líderes mundiais que estarão reunidos na cidade posteriormente no mesmo mês.
17-24 de Junho: Encontro Espiritual Pagão
Onde: Earlville, IL, EUA.
O Encontro Espiritual Pagão é um dos maiores e mais antigos encontros pagãos nos EUA. Com um foco especial em espiritualidade da natureza, o evento reúne pagãos, wiccanos, ecofeministas, panteístas, xamãs e místicos da natureza em uma semana de rituais, oficinas, palestras, cerimônias, concertos e eventos para permitir a formação de redes sociais.
20-22 de Junho: Rio+20 — Conferência das Nações Unidas Sobre Desenvolvimento Sustentável
Onde: Rio de Janeiro, Brasil.
Este é um dos eventos mais importantes do ano de 2012. Extraindo lições dos sucessos e limitações do primeiro Encontro da Terra, no Rio em 1992, este vigésimo aniversário reunirá os líderes mundiais na mesma mesa para a busca de um sistema de governança global por meio da gestão do meio ambiente.
O "Direito à Energia Sustentável", como uma peça-chave da "economia verde" será o importante item na mesa de discussões. Espere ver um renovado ímpeto para que os governos nacionais promovam soluções econômicas "verdes" após a conferência Rio+20. Isto poderá ser vendido ao público sob o disfarce de desenvolver "Novos Fundamentos para o Futuro".
22 de Junho a 21 de Setembro: Verão da Paz 2012
Onde: Global.
Produzido pela Shift Network, com base na Nova Era, o Verão da Paz 2012 é uma celebração global e uma proposta de ação para alcançar a unidade mundial, a paz mundial e a transformação global. A celebração incluirá conferências e encontros, apresentações artísticas, festivais de filmes, concertos, eventos on-line e campanhas de mídia. Ela culminará em 21 de setembro, o Dia Internacional da Paz, estabelecido pelas Nações Unidas.
28-29 de Junho: O Pós-Crise Bancária
Onde: Amsterdam, Holanda.
À medida que a crise financeira global continua a se desdobrar, as questões em torno do período pós-crise bancária aparecem: O que mudará dentro da comunidade bancária internacional? Como as regulamentações bancárias serão reformatadas para o setor financeiro pós-crise? Qual será o cenário bancário no futuro?
Novas instituições serão necessárias para garantir a estabilidade? Durante dois dias, líderes do setor bancário, acadêmicos e especialistas financeiros examinarão o cerne dessas preocupações. Os palestrantes na conferência incluirão Willem Buiter (economista-chefe no Citigroup), Jaime Caruana (gerente-geral no Banco de Compensações Internacionais), Mark Flannery (Bank of America) e Eric Rosengren (presidente do Banco da Reserva Federal de Boston).
8-12 de Julho: XXII Congresso Mundial de Ciência Política
Onde: Madri, Espanha.
"Remodelando o Poder e Deslocando as Fronteiras" é o tema do Vigésimo Segundo Congresso de Ciência Política, patrocinado pela Associação Internacional de Ciência Política. Acadêmico em sua natureza, o evento reunirá professores de ciência política, alunos graduados e autoridades dos governos. Ele será um evento importante de dois níveis:
Primeiro, muitos dos participantes estarão nos gabinetes do governo ou em cargos-chaves após a formatura, ou serão influentes dentro do sistema universitário.
Segundo, o tema da conferência reflete a dinâmica dos assuntos internacionais: os Estados-nações não são mais suficientes em uma sociedade global, novos atores do poder internacional estão aparecendo e cada vez mais esses atores não estatais estão moldando os novos círculos de poder. Todos esses pontos de referência são mencionados na crescente realidade da "governança global".
9-13 de Julho: Congresso Internacional do Movimento Federalista Mundial
Onde: Winnipeg, Manitoba, Canadá.
O Movimento Federalista Mundial é uma influente organização pró-governo mundial e tem sido usada como um instrumento nas agendas da governança há várias décadas — tendo os ouvidos da ONU e feito avanços dentro da União Europeia. A cada quatro anos, o Movimento Federalista Mundial promove um congresso internacional onde os membros do movimento podem discutir as questões do federalismo mundial, itens do programa de planos e canalizar suas energias rumo ao objetivo da governança global. Em 2012, o Congresso Internacional do Movimento Federalista Mundial será realizado em Winnipeg, província de Manitoba, no Canadá.
12-24 de Junho: Tradições Esotéricas no Mundo Antigo e Moderno
Onde: Alexandria, Egito.
Nota: Devido à instabilidade política no Egito, o local do evento foi transferido para a Grécia.
Aberto para todos os estudantes e praticantes de assuntos esotéricos e ocultistas, esta conferência examinará a importância histórica e contemporânea do esoterismo. A Teosofia receberá atenção especial, explorando sua influência no passado e seu futuro em moldar a cultura espiritual do mundo ocidental.
Nota: A Teosofia foi fundamental no florescimento do moderno Movimento de Nova Era.
15-19 de Julho: NAIN Connect
Onde: Atlanta, Geórgia, EUA.
Este é o principal evento para a Rede Interfé da América do Norte (North American Interfaith Network, ou NAIN), uma organização interfé canadense. As campanhas dessa organização incluem trabalhos interfé para mudança climática, paz global e diálogo inter-religioso.
Atualmente, 55 organizações são membros da rede, incluindo a Iniciativa das Religiões Unidas, a Igreja Unida do Canadá, Mesa Redonda Interfé de Salt Lake City, Religions for Peace USA, Seminário Hartford, Centro Interfé em Presídio, Aliança da Deusa e a Associação Interfé do Centro de Ohio.
27-29 de Julho: WorldFuture 2012
Onde: Toronto, Ontário, Canadá.
Todos os anos a Sociedade Mundo do Futuro realiza uma grande conferência sobre tendências globais e conceitos de um mundo unificado, incorporando questões ambientais, desafios da energia, ciência e tecnologia, cultura e consciência, questões internacionais e governança global.
1-7 de Setembro: Sexto Foro Urbano Mundial das Nações Unidas
Onde: Nápoles, Itália.
Este é o Sexto Foro Urbano Mundial da ONU, um importante evento sobre o papel das cidades no contexto global. Neste ano, o foro terá seis domínios temáticos:
  • Diálogo 1 — Cidades Produtivas
  • Diálogo 2 — Cidades Habitáveis/Qualidade de Vida
  • Diálogo 3 — Planejamento Urbano/Instituições e Regulamentações
  • Diálogo 4 — Equidade e Prosperidade
  • Diálogo 5 — Cultura
  • Diálogo 6 — Mobilidade Urbana, Energia e Meio Ambiente.
21 de Setembro: Dia Internacional da Paz da ONU / Vigília no Dia Internacional da Paz
Onde: Global.
O Dia Internacional da Paz é um evento de um único dia, declarado pela ONU; é uma campanha que enfoca o despertamento da conscientização para a paz mundial, principalmente por meio do canal da unidade internacional e a governança global.
Acompanha a campanha uma Vigília no Dia Internacional da Paz, de base religiosa, com o objetivo de "trazer uma dimensão espiritual para o processo da paz". Essa vigília é apoiada pela ONU e tem o suporte oficial de organizações religiosas, como a Sociedade Aetherius, de base hinduísta, os Irmãos Católico-Romanos do Sagrado Coração, a Igreja da Cientologia, um Curso em Milagres Internacional, Franciscanos Internacionais, Centro Interfé de Nova York, Comitê Menonita Central, Iniciativa das Religiões Unidas, Templo da Compreensão, com base na Nova Era, e a Federação Internacional e Inter-religiosa para a Paz Mundial, do reverendo Sun Myong Moon.
21-23 de Setembro: EarthDance — Festival Global de Dança para a Paz
Onde: Global.
Criado em torno do Dia Internacional da Paz, EarthDance é um festival global que tem o objetivo de patrocinar a unidade mundial, a paz e a justiça social. Milhares de pessoas participam em concertos e eventos artísticos. Iniciado em 1997, esse festival já ocorreu em 80 países e foi realizado em 500 locais diferentes. O festival também é parte da Oração pela Paz, com base na Nova Era, onde milhares de pessoas oram coletivamente pela unidade mundial, ligando a meditação com a ação em um tipo de experiência ritualística planetária. A oração mundial diz:
"Somos uma família global,
Todas as cores, todas as etnias
Em um mundo unido.
Dançamos pela paz e pela restauração
do nosso planeta Terra.
Paz para todas as nações.
Paz para nossas cidades.
E paz dentro de nós mesmos.
Ao dançarmos nas pistas em todo o mundo,
Conectemos coração com coração.
Por meio de nossa diversidade, reconheçamos a Unidade.
Por meio de nossa compaixão, reconheçamos a Paz.
Nosso amor é o poder para transformar o mundo.
Enviemos esse amor para todo o mundo.
AGORA."
21-23 de Setembro: Conferência Wiccana Australiana
Onde: Hawkesbury, Nova Gales do Sul, Austrália
Organizada pela Rede de Conscientização Pagã, a Conferência Wiccana incorporará rituais grupais — incluindo invocações do Equinócio da Primavera e elementais, oficinas sobre paganismo e vida wiccana, redes, eventos sociais e palestras. A conferência é um dos encontros mais importantes para wiccanos e bruxos na Austrália.
13-21 de Outubro: Awakaned World 2012 (Mundo Despertado 2012)
Onde: Roma e Florença, Itália.
Trezentos líderes espirituais de muitas fés e tradições se reunirão em Roma e depois em Florença para mapear "a evolução da religião e da espiritualidade no século 21". De acordo como a literatura do evento, "o trabalho do grupo enfocará o treinamento e capacitação dos agentes de transformação", pois na era presente "está agora surgindo uma nova consciência global".
Caminhando em direção a esse evento existe a iniciativa de uma carta, o rascunho de Uma Carta para Espiritualidade Engajada no Século 21.
Um grupo central de pessoas influentes está sendo construído para guiar esse evento. Os convidados do Grupo Central incluem:
  • O Dalai Lama do Tibete;
  • Giuliano Amato, ex-primeiro-ministro da Itália;
  • Cardeal Jean-Louis Tauran, do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso;
  • Cardeal Walter Kasper, do Conselho Pontifício para o Ecumenismo;
  • Marcus Braybrooke, presidente do Conselho Mundial das Fés;
  • Charles Gibbs, diretor-executivo da Iniciativa das Religiões Unidas;
  • Barbara Marx Hubbard, presidente da Fundação para Evolução da Consciência;
  • Yolande Iliano, presidente da organização Religiões para a Paz na Europa;
  • Deepak Chopra, autor e instrutor de Nova Era;
  • Vinu Aram, ex-presidente da Conferência Mundial das Religiões pela Paz;
  • Amy S. Marks, Centro Bahá'i Internacional e copresidente do Parlamento das Religiões Mundiais em 1999.
As seguintes são as organizações anfitriãs:
  • Conselho Inter-Religioso e Internacional da Paz;
  • Associação do Novo Pensamento Global;
  • Projeto de Engajamento Inter-Religioso.
1-3 de Novembro: A Governança de um Mundo Complexo
Onde: Nice, França.
Esta é uma conferência internacional que examinará as questões técnicas da gestão global como uma resposta à crise global, com o objetivo de identificar as transformações técnicas e institucionais necessárias para "uma nova sociedade".
Política, economia, fatores sociais e o papel da ciência serão explorados como partes de um sistema evolutivo de governança global.
21 de Dezembro: Paz 2012 — Um Momento de Paz
Onde: Global.
Baseada na Nova Era, Paz 2012 é um "momento universal de reflexão" e de sincronia mundial, quando o solstício coincide com "o fim do ciclo de 5.125 anos no calendário maia".
Dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo participarão por meio de meditações pela paz, exercícios espirituais, intenção focada na transformação planetária ("oração global") e outras atividades "psíquicas coletivas". De acordo com a página na Internet de "Peace 2012", o "objetivo do 'momento da paz' é usar esse dia singular no tempo para criar uma experiência global de unidade".

21-28 de Dezembro: Festival do Novo Grupo dos Servidores Mundiais
Onde: Global.
O Novo Grupo dos Servidores Mundiais (NGWS, de New Group of World Servers) é um "grupo unido subjetivamente e sem uma organização exterior", inspirado nos escritos da teósofa Alice Bailey e seu "Mestre Tibetano" — um espírito-guia, que pode ser compreendido biblicamente como uma entidade demoníaca. Embora o Novo Grupo de Servidores Mundiais não tenha uma "organização exterior", ele está baseado informalmente em três níveis:
  1. Um grupo central de adeptos ocultistas "que sabem o que estão fazendo" e estão "abertos à visão do Plano". Esse corpo central representa a energia inspiradora do objetivo maior;
  2. Discípulos mais jovens — aqueles que estão no caminho para se tornarem iniciados e entrarem em sintonia com a energia espiritual ocultista; "eles respondem e agem";
  3. "Centenas e milhares de homens e mulheres de boa vontade em todo o mundo", que trabalham nos governos e nas religiões e que "traduzem a energia em ação". Essas multidões "servem para implementar o Plano".
(http://souledout.org/newworldreligion/ngws/wsgngws1.html)
Segundo as escolas ocultistas, a cada sete anos em dezembro, certo evento zodiacal permite que vastas energias espirituais inundem a Terra, resultando em um "tremendo despertar espiritual".
Essa ocorrência de sete dias e a cada sete anos é conhecida como semana de "impacto grupal" e é referida como o "Festival da Semana". A Lucis Trust e a World Goodwill (Boa Vontade Mundial), organizações derivadas a partir do trabalho da teósofa Alice Bailey, são os órgãos orientadores que estão por trás dessa semana.
Para este fim, a Lucis Trust produz meditações para permitir a "fusão grupal" — "Eu sou um com meu grupo de irmãos e tudo o que tenho é deles". Tudo isto tem o propósito de produzir a transformação e a elevação globais". Meditações e eventos ocultistas serão realizados em todo o mundo.
22 de Dezembro: Convergência no Nascimento de 2012
Onde: Global.
Barbara Marx Hubbard, uma líder na Nova Era, está chamando o dia 22 de dezembro de 2012 de "um aniversário global". Outros instrutores de Nova Era estão trabalhando com ela, esperando que 22 de dezembro seja um marco no salto evolucionário global que unirá o mundo espiritual, social e conscientemente.
Segundo a página na Internet do evento "Birth 2012 Convergence", esse aniversário, ou "data limite" foi derivado a partir de um "crescente movimento de cidadãos de todo o mundo que estão comprometidos em vincular as mentes e corações com outros para conscientemente cocriarem o próximo estágio da evolução." Eles afirmam que 48.000 "agentes de transformação globais" se comprometeram "a evoluir a humanidade para a próxima era por meio da Convergência no Nascimento de 2012"!

Autor: Carl Teichrib, artigo original em http://www.forcingchange.org, Volume 5, Edição 12.
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/eventos2012.asp

Enhanced by Zemanta

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

16 proeminentes cientistas descartam pânicos irracionais sobre “aquecimento global”


16 proeminentes cientistas descartam pânicos irracionais sobre “aquecimento global”

Cientistas pedem não acreditar em pânicos propagandísticos

A Carta Aberta dirigida aos candidatos presidenciais americanos e reproduzida pelo “The Wall Street Journal” foi assinada pelos 16 cientistas listados ao final:

Um candidato a cargo público em qualquer democracia contemporânea pode ter que considerar, o que fazer sobre o “aquecimento global”.

Os candidatos devem entender que a alegação tantas vezes repetida que quase todos os cientistas exigem que algo dramático seja feito para parar o aquecimento global não é verdade.

Na verdade, um grande e crescente número de importantes cientistas e engenheiros não concordam que ações drásticas contra o aquecimento global são necessárias.
Em setembro, o ganhador do Prêmio Nobel, o físico Ivar Giaever, um apoiador do presidente Obama na última eleição, publicamente demitiu-se da American Physical Society (APS) com uma carta que começa assim: “Eu não vou renovar minha filiação porque eu não posso conviver com a declaração política da APS:
 “A evidência é incontestável: O aquecimento global está ocorrendo. Se não forem feitas ações de mitigação, perturbações significativas nos sistemas físicos e ecológicos da Terra, sistemas sociais, de segurança e saúde humana são susceptíveis de ocorrer. Devemos. reduzir as emissões de gases de efeito estufa a partir de agora.”
“Na APS é permitido discutir se acontecem alterações na massa de um próton ao longo do tempo ou como um multi-universo comporta-se, mas a evidência do aquecimento global é indiscutível?”

Apesar de uma campanha internacional de muitas décadas para impor a mensagem de que quantidades crescentes de dióxido de carbono “poluente” irá destruir a civilização, um grande número de cientistas, vários muito proeminentes, compartilham as opiniões do Dr. Giaever.

E o número de cientistas “hereges” está crescendo a cada ano que passa. A razão é uma coleção de repetidos fatos científicos.

Talvez o fato mais inconveniente é a falta de aquecimento global por mais de 10 anos. Isto é conhecido pelo establishment do aquecimento, como se pode ver a partir do e-mail do “Climategate” de 2009 do cientista do clima Kevin Trenberth:
O fato é que não podemos explicar a falta de aquecimento no momento, e isso é uma farsa que nós não podemos manter”.

O aquecimento só sumiria se alguém acreditasse que ele existia. Ele só aparecia nos modelos de computador e não no mundo real. Nos modelos os chamados feedbacks envolvendo vapor de água e nuvens amplificam o efeito pequeno do CO2, resultando num falso aquecimento global.
CO2 não é um poluente, mas um componente chave do ciclo de vida, dizem os cientistas

A falta de aquecimento por mais de uma década - certamente menor do que o aquecimento previsto ao longo dos 22 anos desde que o Painel Intergovernamental da ONU sobre Mudanças Climáticas (IPCC) começou a emitir projeções, sugere que os modelos de computador têm exagerado muito quanto ao aquecimento adicional que o CO2 pode causar.

Diante deste embaraço, aqueles que promovem previsões alarmistas mudaram seu alvo, do “aquecimento” para “condições climáticas extremas”, com a intenção de permitir que qualquer coisa incomum que aconteça no nosso clima caótico possa ser atribuída ao CO2.

O fato é que o CO2 não é um poluente. CO2 é um gás incolor e inodoro, expirado em altas concentrações por cada cada um de nós, e um componente chave do ciclo de vida da biosfera.

As plantas melhoram tanto com mais CO2 que os operadores de estufas, muitas vezes aumentam as concentrações de CO2 por fatores de três ou quatro para obter um melhor crescimento.

Isso não é surpresa já que as plantas e os animais evoluíram quando as concentrações de CO2 foram cerca de 10 vezes maiores do que são hoje.

Melhores variedades de plantas, fertilizantes químicos e manejo agrícola contribuíram para o grande aumento na produção agrícola do século passado, mas parte do aumento quase que certamente veio de CO2 adicional na atmosfera.
Por trás dos medos induzidos: um negócio mal contado

Embora o número de cientistas publicamente dissidentes esteja crescendo, muitos jovens cientistas furtivamente dizem que, enquanto eles também têm sérias dúvidas sobre a mensagem do aquecimento global, eles têm medo de falar por medo de não ser promovido, ou pior. Eles têm um bom motivo para se preocupar.

Em 2003, Dr. Chris de Freitas, o editor do jornal Climate Research, se atreveu a publicar um artigo revisto por pares com a conclusão politicamente incorreta (mas factualmente correta) que o aquecimento recente não é incomum no contexto das mudanças climáticas nos últimos mil anos.

O establishment internacional do aquecimento rapidamente montou uma campanha determinada a remover o Dr. De Freitas de seu trabalho editorial e demiti-lo de seu cargo universitário. Felizmente, o Dr. de Freitas foi capaz de manter seu emprego na universidade.

Este não é o modo como a ciência deve funcionar, mas já foi visto isso antes. Por exemplo, no período assustador quando Trofim Lysenko passou a controlar a biologia na União Soviética.
Catastrofismo apela para métodos de
supressão de dissidentes como na URSS.
Na foto: Trofim Denisovich Lyssenko

Os biólogos soviéticos entusiasmados com as pesquisas genéticas, que para Lysenko não passava de uma ficção burguesa, foram demitidos de seus empregos. Muitos foram enviados para os gulags e alguns foram condenados à morte.

Por que existe tanta paixão sobre o aquecimento global, e por que a questão tornou-se tão difícil que a American Physical Society, da qual Dr. Giaever renunciou há alguns meses, recusou o pedido aparentemente razoável por muitos de seus membros para remover a palavra “indiscutível” de sua descrição de uma questão científica?

Há várias razões, mas um bom lugar para começar é a velho pergunta “cui bono?” Ou a atualização moderna, “Siga o dinheiro”.

O alarmismo sobre clima é de grande benefício para muitos, a concessão de financiamento do governo para a pesquisa acadêmica é uma razão para as burocracias do governo crescerem.

O alarmismo também oferece uma desculpa para os governos aumentarem os impostos pagos pelos contribuintes, subsídios para as empresas que entendem como funciona o sistema político e um chamariz para grandes doações a fundações de caridade promissoras para salvar o planeta. Lysenko e sua equipe viviam muito bem, e eles defenderam ferozmente o seu dogma e os privilégios que ele trouxe.

Falando por muitos cientistas e engenheiros que têm olhado com cuidado e de forma independente a ciência do clima, temos uma mensagem para qualquer candidato a cargo público:

Não há nenhum argumento convincente cientificamente para medidas drásticas para “descarbonizar” a economia mundial. Mesmo que se aceite as previsões climáticas exageradas do IPCC, as agressivas políticas de controle de gases de efeito estufa não se justificam economicamente.
Economista William D. Nordhaus:
crescimento com efeito estufa

Um estudo recente de uma grande variedade de opções políticas feitas pelo economista de Yale, William Nordhaus, mostrou que na verdade a maior relação custo-benefício seria conseguida por uma política que permitisse mais de 50 anos de crescimento econômico sem impedimentos por controles de gases de efeito estufa.

Isto seria especialmente benéfico para as partes menos desenvolvidas do mundo que gostariam de compartilhar de algumas das mesmas vantagens de bem-estar material, saúde e expectativa de vida que as partes plenamente desenvolvidas do mundo desfrutam agora.

Muitas outras respostas de políticas teriam uma rentabilidade de investimento negativa. E é provável que mais CO2 e o aquecimento modesto que pode vir com ele será um benefício global para o planeta.

Se os eleitos oficialmente se sentem compelidos a “fazer algo” sobre o clima, recomendamos apoiar os cientistas excelentes que estão aumentando nossa compreensão do clima com os bem concebidos instrumentos nos satélites, nos oceanos e em terra, e na análise de dados observacionais.

Quanto melhor entendermos o clima, melhor poderemos lidar com a sua natureza em constante mudança, o que tem complicado a vida humana ao longo da história.

No entanto, grande parte do enorme investimento privado e do governo no clima está mal direcionado e tem necessidade urgente de uma revisão crítica.

Todos os candidatos devem apoiar medidas racionais para proteger e melhorar o nosso meio ambiente, mas não faz nenhum sentido voltar para programas caros que desviam recursos das necessidades reais e são baseados em reivindicações alarmistas, e carentes de provas “irrefutáveis”.

Claude Allegre, ex-diretor do Instituto para o Estudo da Terra, Universidade de Paris;J. Scott Armstrong, co-fundador do Journal of Forecasting e International Journal of Forecasting;  Jan Breslow, chefe do Laboratório de Genética Bioquímica e Metabolismo, Rockefeller University;Roger Cohen, membro da American Physical Society;Edward David, membro da Academia Nacional de Engenharia e da Academia Nacional de Ciências;William Happer, professor de física, Princeton;  Michael Kelly, professor de tecnologia da Universidade de Cambridge, UK; William Kininmonth, ex diretor de pesquisas climáticas do Bureau Australiano de Meteorologia; Richard Lindzen, professor de ciências atmosféricas do MIT;  James McGrath, professor de química, Virginia Technical University;  Rodney Nichols, ex-presidente e CEO da New York Academy of Sciences;  Burt Rutan, engenheiro aeroespacial, designer da Voyager e SpaceShipOne;  Harrison H. Schmitt, astronauta da Apollo 17 e ex-senador dos EUA;  Nir Shaviv, professor de astrofísica, da Universidade Hebraica, em Jerusalém; Henk Tennekes, ex-diretor, Royal Dutch Meteorological Service;  Antonio Zichichi , presidente da Federação Mundial de Cientistas, em Genebra.

(Tradução Prof. Maurício Porto, blog Terrorismo Climático).

Enhanced by Zemanta

“Dia da Terra”, 1970: as 13 mais ridículas previsões

Por Jon Gabriel No último sábado, 22 de abril, foi celebrado o “Dia da Terra” – um evento anual lançado pela primeira vez em 1970. As...