sábado, 11 de fevereiro de 2012

Sim, a guerra pela internet já começou

English: The Seal of the United States Federal...Image via Wikipedia
Sim, a guerra pela internet já começou

Por Anthony Wile

Até agora as pessoas que usam a internet seriamente, e até muitas que não usam, estão cientes da prisão de Kim Dotcom, uma figura de tamanho fora do comum no negócio de facilitação de downloads na internet.

O problema com essa empresa, Megaupload, de acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e do FBI, que realizou a prisão, é que a invenção dele permitia aos usuários traficarem entretenimento "roubado" - protegido por direito autoral - no qual nenhum royalty foi pago.

Neste artigo eu comentarei sobre a prisão de Kim Dotcom e tentarei mostrar como essa única ação é realmente o começo de uma fase inteiramente nova do que podemos chamar de guerras na internet.

Eu não sou o primeiro a notar isso. Como Kurt Nimmo e Alex Jones, do Infowars, apontaram em um artigo postado hoje intitulado "As grandes guerras na internet começaram", acordamos para uma era inteiramente nova na internet este fim de semana.

Sim, uma guerra foi iniciada e a história humana nunca mais será a mesma. Por causa de uma coisa, o resultado não é certo - e a elite no poder que procura controlar e restringir a internet pode ainda dar um passo atrás - pelo menos nesses rodadas iniciais, de qualquer maneira.

Por outro lado, a história dirigida que a elite de poder anglo-americano foi tão esperta em inculcar através do século passado está gradualmente desaparecendo. Esse talvez seja um ponto ainda mais importante. A prisão de Dotcom na verdade reforça essa observação, como eu tentarei mostrar em um momento.

Não há dúvida, na minha opinião, de que as elites praticaram história dirigida no século 20, criando guerras e catástrofes econômicas planejadas para consolidar o governo mundial. Mas no século 21, com tanto entendimento e avaliação dos mecanismos das elites, este é um truque consideravelmente mais difícil de conseguir.

As elite na realidade têm um manual de estratégia limitado quando se trata de influenciar a sociedade mais ampla, embora isso não se destine a minimizar o seu poder. As elites usam o que chamamos temas sociais dominantes - promovidos com base no medo - que são planejados para amedrontar a classe média para dar riqueza e poder para instituições globalistas especialmente preparadas como a ONU, FMI, etc.

As outras "ferramentas" no kit de ferramentas incluem guerra e elementos militares, religiosos, econômicos e sociopolíticos da difusa matriz social. A própria matriz foi ininterrupta desde o final do século 20 - para a maioria dos cidadãos ocidentais de qualquer jeito - e permitiu a elite do poder avançar suas promoções baseadas no medo sem medo de oposição.

Digo, por exemplo, as elites queriam promover o aquecimento global - a fim de criar um tipo de "moeda do carbono" que eles pudessem controlar e negociar à vontade. A fim de fazer isso, as elites teriam de proclamar a ameaça, apoiá-la com estudos científicos e depois legislar uma resposta a suposta ameaça.

Isso é algo que realmente aconteceu. As elites anglo-americanas usaram seu controle do establishment científico para proclamar uma hipótese fraudulenta e depois "cientistas" plantados especialmente localizados em pontos críticos de obstrução para controlar ainda mais o diálogo.

Constata-se que não é preciso muitas pessoas para controlar uma dada conversa ou promover uma certa campanha. Nesse caso, pela geração de um quadro de bajuladores do aquecimento global e pô-los responsáveis por um dos poucos jornais científicos do "aquecimento global", as elites poderiam virtualmente criar um consenso científico onde não existia nenhum.

Uma vez que as elites tinham produzido o conceito fraudulento de aquecimento global via artigos "aprovado pelos pares" em jornais complacentes, a mídia controlada pela elite foi liberada para trombetear as supostas descobertas. E uma vez que os artigos foram escritos, as agências da ONU controladas pela elite criaram documentos a partir deles que poderiam ser usados como chamados para a ação.

Esses documentos foram então obtidos pelas ONGs que começaram campanhas sociopolíticas completas para "reprimir" "poluidores" do aquecimento global. Amplas conferências da ONU cheias por procuradores da elite (políticos escolhidos a dedo) bem como agitar por legislação global para "controlar" o aquecimento global.
É claro, tudo isso leva uma quantidade de dinheiro fenomenal, mas dinheiro não é problema para a elite anglo-americana que controla mais de 100 bancos centrais ao redor do mundos e financia suas campanhas para uma Nova Ordem Mundial pela impressão interminável de dinheiro a partir do nada.

O processo inteiro que acabei de descrever monta a uma vasta câmara de eco na qual cada elemento do mecanismo promocional controlado pela anglosfera desempenha uma parte determinada. Há um consenso científico que depois cria "notícias" para a mídia, que por sua vez galvaniza "ação" da parte de políticos especialmente selecionados.

E gradualmente um "consenso" é alcançado, leis são escritas e livros texto de educação pública promovem a necessidade dessa história dirigida para uma nova geração de bebês que não têm ideia de quão manipulados eles são - ou o mundo deles.

Cada parte dessa matriz meticulosamente criada tem sido virtualmente rompida no século 21. Novamente, podemos ver o resultado pela observação do próprio conceito de aquecimento global. Não somente ele foi posto em dúvida pela internet - a única avenida de comunicação que as elites não controlam - mas foi virtualmente detonado pelo vazamento de e-mails.

Esses vazamentos de e-mails estão entre os mais extraordinários da história humana. E, não, esta não é uma declaração forte demais! Eles mostram muito claramente como um minúsculo grupo de agentes científicos desonestos podem virtualmente controlar um diálogo acadêmico inteiro ao longo do tempo simplesmente pelo bom posicionamento. 

A ramificação desses e-mails ainda tem de ser sentida porque a grande mídia se recusou a colocá-la no seu contexto adequado. Mas eles estão entre as comunicações mais incendiárias já vazadas, como uma leitura apropriada deles confirmará virtualmente tudo que foi discutido acima. 

Novamente, é a internet - como estivemos vaticinando aqui no Daily Bell e outras publicações por cerca de uma década agora - que fez a diferença. A promoção do aquecimento global está uma bagunça enquanto eu escrevo esse artigo, e a razão é por causa da informação Verdadeira que foi disseminada via canais não tradicionais.

A internet é o que as elites precisam destruir - ou pelo menos controlar - o mais breve possível. Sem o controle da internet, centenas de trilhões de custos irrecuperáveis na construção dessa vasta Matrix de cientistas complacentes, acadêmicos, pessoas influentes da mídia e corporações, chefes militares e religiosos tornam-se praticamente inúteis.

E é isso que Alex Jones e outros escrevem que a guerra está agora completamente unificada. Novamente, retornamos a história para confirmação desse precedente. Quando alguém investiga a história, mesmo rudimentarmente, os paralelos entre o que está acontecendo hoje e o que aconteceu depois da invenção da Prensa de Gutemberg não poderia ser mais claro.

Ainda ontem, em um artigo intitulado "Pirataria na Internet - Quem são os ladrões?", nós salientamos que as leis de direito autoral foram desenvolvidas pela realeza centenas de anos atrás para neutralizar a disseminação de informação (em livros) depois da invenção da Prensa de Gutemberg. 

As mesmas táticas que aplicaram então estão sendo aplicadas agora. Guerra, legislação autoritária e infração de direito autoral são todas ferramentas dessa elite especial com que temos nos confrontado. 

Isso é simplesmente fato histórico e aqueles que desejarem defender o contrário vão levantar uma carga pesada de evidências.

Como mostrado acima, a conspiração de um mundo único que aparentemente tem ocupado a atenção da elite anglo-americana nos últimos 100/300 anos usa um kit de ferramentas limitado. O que foi desenvolvido centenas de anos atrás para neutralizar a primeira revolução "verdadeira" da informação está sendo desenrolado uma vez mais.

Não é fácil controlar milhões e bilhões de pessoas. Somente o mais cego dos instrumentos poderá fazer. A guerra talvez seja a ferramenta mais útil - e na verdade, depois do advento da Prensa de Gutemberg guerras como as chamadas guerras camponesas se espalharam através de toda Europa e Inglaterra.

Havia outras ferramentas empregadas também, especialmente eventos de falsa bandeira que foram planejados para invalidar a base de poder de uma elite ou de outra. A igreja católica foi dividida por Martinho Lutero e depois a Reforma Protestante foi ainda avançada por João Calvino. Alguns especularam que o Wikileaks e seus líderes desempenharam os mesmos tipos de serviços para as elites hoje.

A questão do direito autoral é interessante porque muito do que as elites tentaram fazer para impedir os livros de circularem não foi bem sucedido. Gradualmente, a ideia do direito autoral pegou, mas não foi realizado do dia para a noite, e mesmo hoje o direito autoral é uma ferramenta incômoda para as elites administrarem. Isso não significa que eles não tentarão.

Tanto as patentes como o direito autoral são invenções questionáveis. A ideia de tentar codificar e "possuir" propriedade intelectual é inerentemente controversa. Libertários tem argumentado por um longo tempo que propriedade intelectual - sendo imaterial - é inerentemente não possuível.

Mais e mais isso parece para nós um pouco como contar o número de anjos dançando na cabeça de um alfinete. De fato, esse argumento não precisa ser feito para descobrir uma solução satisfatória para o problema da propriedade intelectual. 

Qual a solução? Ora, privatizar a "justiça" do ocidente. Por quase toda a história humana, a justiça privada foi uma tradição observada e honrada. Duelos, vendetas e outras formas de interação da justiça privada foram desenvolvidas não para usar, mas para evitar a necessidade de tal uso.

Justiça privada, no melhor sentido, era dispensada em encontros face a face resultando em acordos que poderiam incluir compensação ou julgamentos via terceiros aceitos por ambos os lados. Tinha pouco impacto nos eventos diários, mesmo dentro das famílias, porque não incluía encarceramento.

Na verdade, os amplos gulags construídos através do mundo todo no século 20 teriam sido achados insanos pelas sociedades do passado. Mas por outro lado, estas sociedades não teriam a vantagem da instituição do banco central e a capacidade de imprimir dinheiro a partir do nada, que tem abastecido as besteiras atuais mais absurdas do ocidente e guerras genocidas mais recentemente.

Com a diminuição da instituição do banco central, como irá, o moderno estado policial se reduzirá também. Isso parece inevitável para nós. O sistema atual, além de ser desumano, é insustentável. Sem fanfarra(talvez por uma boa razão) o FBI dos Estados Unidos opera em algo como 100 jurisdições ao redor do mundo agora. Nestes dias, quase todo país tem elaborado acordos em vigor garantindo que entregará cidadãos de outros países para prisão.

O que isso tem feito, na verdade, é colocar as agências de aplicação da lei do ocidente na cama com alguns dos ditadores e regimes mais repulsivos do mundo. Se, digamos, a China quer a volta de um "criminoso"(um dissidente), o país anfitrião está quase no dever de cumprir.

Isso acabou de acontecer no Canadá alguns meses atrás, onde autoridades canadenses embarcaram um ativista da liberdade de volta para a China porque os tratados pediam a cooperação.

Estes tratados não são acidentais em meu ponto de vista. Eles foram trabalhados meticulosamente nos últimos 50 anos ou mais por insistência, mais provavelmente, do Ocidente, dirigido pela anglosfera. É aparentemente a anglosfera que quer esses tratados ilimitados da web em vigor de forma que possam perseguir um Governo Único Mundial sem a inconveniência de ativistas que poderiam oferecer pontos de vista alternativos.

Essa é uma razão, eu pensaria, porque Kim Dotcom foi preso por 70 agentes na Nova Zelândia por infração de direito autoral e como a aplicação da lei no ocidente tinha os recursos para confiscar e de resto destruir uma empresa de amplitude mundial em um período de apenas 24 horas.

Não está correto, é claro. Como salientamos ontem, o Departamento de Justiça americano virtualmente destruiu uma companhia baseado em uma teoria jurídica que pode se provar indefensável em um tribunal. A ideia de que um vendedor - MegaUpload - é responsável pelos seus usuários é inerentemente questionável. 

São as companhias de carros responsáveis por seus motoristas? São as fabricantes de cortadores de grama responsáveis pelo estado dos jardins da frente de seus clientes?

Contudo, Kim Dotcom está na prisão(a menos que já tenha sido afiançado. Ainda não foi - nota do tradutor) e a mídia ocidental tem estado alegremente listando os carros caros que foram confiscados dele e como ele foi retirado - a força - de seu "quarto do pânico" na ampla mansão alugada.

Essa foi a pergunta que fizemos ontem: Onde está escrito que Hollywood tem o direito de utilizar a força total do Depto. de Justiça dos Estados Unidos para destruir a corporação e a vida pessoal de alguém antes de qualquer tipo de julgamento, ou mesmo uma audiência?

Parece quase como um tipo de selvageria. E o novíssimo e fulgurante porta voz da indústria do cinema Chris Dodd não fez nenhum favor a ele mesmo com esta citação (via fax) com relação a situação mais ampla do direito autoral:

Candidamente aqueles que contam com a citação 'Hollywood' para apoiar a necessidade de compreender que esta indústria está observando muito cuidadosamente aqueles que vão defendê-la quando seus empregos estiverem em perigo. Não me peçam para preencher um cheque para vocês quando pensarem que seus empregos estão em risco e depois não prestam nenhuma atenção a mim quando meu emprego estiver em perigo...Eu advertiria as pessoas, não presumam que porque a citada ' Comunidade de Hollywood' tem sido historicamente apoiadora dos Democratas, o que ela tem, não façam pressupostos falsos de que este ano, porque fizemos em anos passados, faremos este ano...Estas questões diante de nós - esta é a única questão que vai direto ao coração dessa indústria.

Dodd não poderia ter sido mais claro. Como um velho dom no estilo da máfia, ele está avisando aos políticos que se eles querem doações eles têm de fazer seus lances. Esse não é apenas uma declaração estúpida; Isso provavelmente expresse um número de potenciais ilegalidades. Contudo, ele é citado como tendo dito isso.

A batida do FBI, os ridículos artigos comemorativos nas publicações da mídia tradicional sobre a ruína de Kim Dotcom, o senso geral de que o Departamento de Justiça americano desmantelou uma corporação inteira baseado em uma teoria judicial questionável - tudo isso é uma declaração de um tipo de guerra, se não somente na própria internet, então sobre certas pessoas que querem usar a internet de determinadas maneiras.

Mas, é claro, na raiz não é Hollywood que declarou guerra, mas os mestres de Hollywood, a elite do poder anglo-americano que quer criar uma Nova Ordem Mundial e está determinada a domar a Internet a fim de fazer isso.

Hollywood é apenas uma fiandeira de ideias - uma fornecedora de temas sociais da elite dominante. Mas é a internet que os está explodindo tão rápido quanto eles podem ser produzidos. Isso é algo que não pode ser tolerado.

O problema é - e é um problema - que a história mostra que o direito autoral e mesmo a lei de patente são instrumentos desajeitados com os quais combater o contar a verdade de uma instalação de informação particular. Pessoas geralmente - em grupos - tendem a usar a tecnologia em sua extensão máxima.

Uma batalha foi unificada, da mesma maneira que foi unificada depois do advento da Prensa de Gutemberg. Mas é uma que as elites tiveram problema para terminar, e eles só reganharam o controle completamente da conversa, em meu ponto de vista, no século 20. E agora eles têm de fazer tudo de novo.







Enhanced by Zemanta

Um comentário:

Bilder disse...

Grande post,que essa guerra seja ganha pelos libertários.veja o seguinte link www.divinecosmos.com

Fortalecer a Máquina do Governo Mundial: A Era da Política Espiritual Global

Forcing Change , Volume 9, Edição 5. Autor : Carl Teichrib. É impressionante o que o tempo revela. Meses atrás, tive a oportunid...