sexta-feira, 26 de abril de 2013

Artigo enganador sobre a Antártica e o aquecimento climático na revista “Veja”


Península Antártica: generalizar dados ao continente todo é erro primata
Península Antártica, onde fica a Ilha de Ross:
generalizar dados ao continente todo é erro primário
A revista “Veja” publicou em seu site, no dia 15/04/2013, matéria que dificilmente seria mais habilmente apresentada para ludibriar o leitor.

O título bate no realejo do aquecimento climático planetário que vem sendo abandonado em países mais bem informados: “Degelo na Antártida aumentou 10 vezes em 600 anos”. O subtítulo acentua o alarme: “derretimento intensificou-se na segunda metade do século XX, diz estudo”.

O artigo se apoia numa pesquisa publicada pela revista Nature Geoscience. Ela é de autoria dos cientistas Nerilie J. Abram, Robert Mulvaney, Eric W. Wolff, Jack Triest, Sepp Kipfstuhl, Luke D. Trusel, Françoise Vimeux, Louise Fleet e Carol Arrowsmith, patrocinados pela grande Universidade Nacional da Austrália.

O leitor que passa rápido sobre matéria tem ali tudo para sair impressionado pelo aquecimentismo catastrofista: a Antártica toda estaria derretendo em proporções desusadas, notadamente desde a intensificação do desenvolvimento industrial no século XX.

O estudo, entretanto, concentrou-se num local específico, a ilha James Ross, que fica fora do Círculo Polar Antártico, no norte da Península Antártica, e em partes da Antártica ocidental.

A contrapelo da NASA

Talvez se precavendo de críticas e para salvar a imagem de imparcialidade, a página da “Veja” acrescenta um link: Leia também: Nasa afirma que camada de gelo encolhe no Ártico, mas se expande na Antártida.

Em meio a imensas oscilações interanuais e locais,  o gelo da Antártica está crescendo 1% cada década.  A linha amarela indica a média da expansão invernal.  Podem se apreciar diminuições na Antártica Ocidental (à esquerda)  e expansões em muitos outros pontos
Em meio a imensas oscilações interanuais e locais,
o gelo da Antártica está crescendo 1% cada década.
A linha amarela indica a média da expansão invernal.
Podem se apreciar diminuições na Antártica Ocidental (à esquerda)
e expansões em muitos outros pontos
Nesse link encontramos afirmado pela NASA exatamente o oposto do que diz o habilidoso artigo alarmista de “Veja”.

A matéria da NASA afirma, em concordância com numerosos e vastos estudos sobre a Antártica, que “houve um aumento geral na camada de gelo marinho na Antártida, que é o contrário do que acontece no Ártico”, segundo Claire Parkinson, cientista do Centro Goddard da NASA. “Entre 1978 e 2010, a extensão da Antártida cresceu 17 mil quilômetros quadrados por ano”, acrescentou ela.

No post “Alarma mundial porque uma pedra de gelo se derrete num copo. Enquanto isso, um elefante entra no salão” apresentamos mais dados sobre o crescimento da superfície gelada da Antártica. Esse aumento desde 1979 supera a superfície do Estado de Texas (676.586,95 km²), deixando bem atrás a superfície de Minas Gerais: 586.528 km².

O título de “Veja” passa a ideia de que o oposto aconteceu nos últimos seis séculos. E, por meio de uma generalização improcedente, precipita o leitor na confusão e no erro.

Generalizações indevidas – provocadas talvez pela vontade do jornalista de fazer bonito para os responsáveis da redação ou de manifestar seu militantismo ideológico ambientalista – são frequentes no catastrofismo climático. Em qualquer caso, o resultado se soma à ofensiva antiocidental, anticivilizatória e anti-humana.


Balanço mal feito

A apresentação de “Veja” omite um dado indispensável para que o leitor não saia enganado. O aumento local anual das temperaturas e a rapidez do consequente degelo devem ser comparados com o fenômeno correlato e também anual do congelamento no inverno das superfícies que vão derreter no verão seguinte.

Mas o artigo de “Veja” funciona como um balanço contábil que só tem uma coluna: a de que mais gosta o “contador”.

O estudo citado pela NASA não cai neste erro primata: “A Antártida – diz – é um continente rodeado de águas abertas, que permitem ao gelo marinho expandir-se durante o inverno, mas que também oferecem menor proteção durante a temporada de degelo. A maior parte do gelo da região cresce e retira-se a cada ano, resultando em uma pequena quantidade de gelo perene na área”.

Antártica: oscilações do gelo entre setembro (inverno) e fevereiro (verão).
Antártica: oscilações do gelo entre setembro (inverno) e fevereiro (verão).
Claire Parkinson, responsável pelo estudo citado pela NASA, adota a teoria da mudança climática, mas age com objetividade e esclarece que “o clima não muda de maneira uniforme. A Terra é muito grande e a expectativa, sem dúvida, seria que houvesse mudanças diferentes nas distintas regiões do mundo”.

Mas o artigo de “Veja” transfere os dados da ilha de Ross para a Antártica toda! E ainda sugere que o impacto pode ser planetário através do aumento (aliás, nunca verificado) do nível dos mares!

Estudo ponderado desfaz pânico

Entrementes, um outro estudo publicado na mesma revista Nature Geoscience explica a causa dos fenômenos detectados na Ilha de Ross, descartando o alarmismo preconcebido.

O esclarecedor estudo “Recent climate and ice-sheet changes in West Antarctica compared with the past 2,000 years”, foi elaborado por uma equipe muito mais numerosa liderada pelo pesquisador Eric J. Steig, do Quaternary Research Center and Department of Earth and Space Sciences, da Universidade de Washington, Seattle, EUA.

Este trabalho concluiu que:

Congelamento da superfície marítima no inverno é cada vez maior
Congelamento da superfície marítima no inverno é cada vez maior
1) alterações na circulação atmosférica estão na base do derretimento referido na Península Antártica;

2) trata-se de alterações imprevisíveis de origem insuficientemente estudada até agora;

3) que alterações dessas vêm acontecendo há pelo menos 2.000 anos (e, portanto, não têm relação com o aquecimento global antropogênico); e por fim conclui:

4) que esta variabilidade representa uma fonte de incerteza permanente em tudo quanto se pode dizer sobre o derretimento do gelo na Antártica ocidental.

“Se pudéssemos olhar para essa região da Antártica nos anos 1940 e 1830, encontraríamos que o clima regional se assemelhava muito ao do dia de hoje, e acho que encontraríamos os glaciares se derretendo essencialmente como o fazem hoje” – comentou Eric Steig, líder desse trabalho ponderado e esclarecedor.

Em resumo, o derretimento no verão da Antártica é mais um sinal de que nada de anormal está acontecendo em matéria de derretimento!

“O análise apresentado mostra que o recente derretimento nessa área (Península Antártica), que causou recentemente uma boa dose de histeria nos círculos alarmistas, de fato é normal” [“Antarctic ice sheet melt 'not that unusual', latest ice core shows”]

“Tudo como d’antes no quartel de Abrantes”

Mais um estudo – “A synthesis of the Antarctic surface mass balance during the last 800 yr”  – elaborado pelos pesquisadores italianos M. Frezzotti, C. Scarchilli, S. Becagli, M. Proposito e S. Urbini, do ENEA (Agenzia Nazionale per le nuove tecnologie, l’energia e lo sviluppo sostenibile) de Roma; do Departmento de Química da Universidade de Florença e do INGV (Istituto Nazionale di Geofisica e Vulcanologia) de Roma, chegou por outras vias à mesma conclusão desmistificadora do alarmismo.

Alarmismo enganador: fenômenos mal aduzidos para tentar justificar o aquecimentismo  são perfeitamente normais e há milênios!
Alarmismo enganador: fenômenos mal aduzidos para tentar justificar o aquecimentismo
são perfeitamente normais e há milênios!
Segundo os cientistas italianos, as mudanças no derretimento das geleiras antárticas são costumeiras há pelo menos 800 anos.

Mais ainda, o tamanho das geleiras antárticas está aumentando, com o crescimento das geleiras no Leste do continente compensando e superando as perdas das geleiras no Oeste.

Dado importante sonegado no “balanço de coluna única” do artigo de “Veja”: a velocidade do congelamento no inverno está num máximo comparável com a velocidade de derretimento no verão.

Conclusão dos cientistas italianos: não há prova alguma de estarmos diante de algo diferente de um ciclo natural!!!

“Tudo como d’antes no quartel de Abrantes” na Antártica!

E também no método de tapeação do alarmismo aquecimentista.

Fonte: Verde: a cor nova do comunismo
Enhanced by Zemanta

terça-feira, 23 de abril de 2013


O Culto ao Verde: O Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) e a Nova Ética Global

Autor: Carl Teichrib, Forcing Change, Volume 6, Edição 1.


"O Cristianismo resgatou o mundo desta loucura. Hoje, as igrejas cristãs é que estão precisando de um resgate." — Robert A. Sirico. [1].
O ambientalismo e a religião estão indelevelmente ligados. Algumas vezes, essa conexão é sutil, como por exemplo, quando está encoberta na linguagem frequentemente burocrática do desenvolvimento sustentável. Outras vezes, esse casamento é reconhecido abertamente. O falecido ator James Coburn, em uma entrevista no Dia da Terra, com Caryl Matrisciana, na praia de Malibu, proclamou entusiasticamente:
"— A Mãe Terra é a Mãe. Ela é a Deusa-Mãe. Deveríamos louvá-la, em vez de estuprá-la."
"Todas estas pessoas estão aqui hoje por uma razão, porque estão preocupadas com o que está acontecendo com a Terra, com aquilo que a humanidade está fazendo com a Terra."
"Todas as emoções negativas que carregamos por aí também contribuem para o problema. Tudo alimenta a Lua. O que temos de fazer é sermos verdadeiros conosco mesmos; se formos verdadeiros conosco mesmos, seremos verdadeiros com a Mãe Terra."
"A Mãe Terra será generosa. Ela nos dará tudo que necessitarmos. Ela tem feito isso há muito tempo. Perdemos o nosso rumo. Os pagãos sabiam como lidar com a terra e alguns índios ainda se lembram como fazer."
"A Terra é um organismo vivo. Estamos matando a quem mais amamos e quem também nos ama. Temos de louvar nossa Deusa-Mãe!" [2].
Nas Nações Unidas, o centro mundial para os encontros políticos, a ecoespiritualidade foi adotada de diversas formas. Um exemplo é a Convenção da ONU Sobre a Diversidade Biológica, um curto documento com menos de vinte páginas. Considerado em seu valor de face, a Convenção parece ser espiritualmente benigna, com pouca coisa no texto que possa ser interpretado como religiosa em sua natureza.

Todavia, quando o Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) interpretou a Convenção Sobre a Diversidade Biológica, resultando em uma obra com mais de 1.100 páginas intitulada Global Biodiversity Assessment (Avaliação da Biodiversidade Global), a ecoespiritualidade foi incluída como um patrimônio global. Na verdade, a ecoespiritualidade foi considerada tão importante que um segundo volume enorme foi publicado, apropriadamente intitulado Cultural and Spiritual Values of Biodiversity: A Complementary Contribution to the Global Biodiversity Assessment (Valores Espirituais e Culturais da Biodiversidade: Uma Contribuição Complementar para a Avaliação da Biodiversidade Global), com mais de 700 páginas.
Portanto, por que a Convenção Sobre Diversidade Biológica, um documento minúsculo sem referências reais à religião provocou essa imensa resposta interpretativa, incluindo um texto específico sobre os aspectos espirituais da biodiversidade? O UNEP publicou a resposta:
"... a ONU tem dedicado quantidades crescentes de tempo e energia para articular medidas práticas para atender à crise ambiental global e para formar um consenso internacional em torno de uma ética ambiental global. Grande parte desse esforço veio a frutificar no Encontro da Terra de 1992 com a aprovação da Agenda 21, a Declaração do Rio e a Convenção Sobre Diversidade Biológica." [3].
Caso você não tenha prestado atenção, a resposta pode ser encontrada no centro da citação acima, a formação de "uma ética ambiental global".
Desenvolvendo esse ponto, J. Baird Callicot, um colaborador do UNEP e professor titular de Filosofia no Departamento de Estudos da Religião na Universidade do Norte do Texas, escreveu em Cultural and Spiritual Values of Biodiversity (Valores Espirituais e Culturais da Biodiversidade):
"Com a atual e mais ominosa dimensão global da crise ambiental do século 20 agora no centro das atenções, a filosofia ambiental precisa se esforçar para facilitar o aparecimento de uma consciência ambiental global que abranja as fronteiras nacionais e culturais... Em parte, isso requer uma comparação transcultural mais sofisticada dos conceitos tradicionais e contemporâneos da natureza do ambiente natural, da natureza humana, e do relacionamento entre as pessoas e a natureza... um novo paradigma está emergindo que cedo ou tarde substituirá a obsoleta cosmovisão mecânica e seus valores e mentalidade tecnológica associados."
"O que imagino para o século 21 é o aparecimento de uma ética ambiental internacional baseada na Teoria da Evolução, na ecologia e na nova física... Assim, podemos ter uma cosmovisão e uma ética ambiental associada que correspondam à realidade contemporânea que habitamos um planeta..." [4].
Segundo o dicionário, o termo "ética" significa "um conjunto de princípios morais". A ética e sua irmã gêmea, a moralidade, historicamente têm como base a religião e o pensamento filosófico. Portanto, para surgir um novo conjunto de ética global, a religião como um todo — e a liderança espiritual em particular — precisam ser incluídas nesse processo de transformação. Mas, quais religiões e práticas espirituais são consideradas válidas na criação de uma nova moralidade global e centrada na Terra?

Vendo quais religiões são vilificadas no sistema da ONU e examinando qual cosmovisão a ONU considera importante, a resposta logo aparece. Uma vaga ideia disso existe nos dois textos interpretativos da Comissão Sobre Diversidade Biológica mencionado anteriormente. Nesses volumes, o Cristianismo é duramente criticado, enquanto que as práticas pagãs e as religiões orientais são mostradas como modelos positivos.
Segundo a Avaliação da Diversidade Global:
"... a tradição judaico-cristã coloca os humanos não como parte de uma comunidade mais ampla de seres, mas separados. Ela veio a encarar a natureza como totalmente dedicada à satisfação das necessidades humanas, ao bel-prazer das pessoas. As culturas orientais com tradições religiosas como o Budismo, Jainismo e Hinduísmo não se distanciaram de forma tão drástica da perspectiva dos humanos como membros de uma comunidade de seres, incluindo outros elementos vivos e não-vivos. Assim, os hindus continuam a proteger os primatas... Os santuários budistas no sudeste asiático têm seus bosques anexos, como também os santuários xintoístas no Japão. Entretanto, isto não significa que essas sociedades asiáticas não permitiram a erosão em larga escala de suas diversidades biológicas, seja na Índia ou na Tailândia."
"As sociedades dominadas pelo Islã e, especialmente pelo Cristianismo, foram as que mais colocaram os humanos separados da natureza e adotando um sistema de valores que converteu o mundo em um depósito de bens e produtos para a satisfação humana."
"Nesse processo, não somente a natureza perdeu sua qualidade de sagrada, mas a maioria das espécies animais que têm um valor simbólico positivo para outras culturas humanas adquiriu conotações muito negativas na cultura europeia. A conversão para o Cristianismo significou um abandono de uma afinidade com o mundo natural para muitos habitantes das florestas, camponeses e pescadores em todo o mundo." [5].
Após atribuir a culpa básica pelos problemas ambientais ao Cristianismo, a Avaliação continua com sua repreensão dando exemplos negativos da destruição dos bosques sagrados:
"Os estados montanhosos do nordeste da Índia, próximos à fronteira com a China e Mianmar suportavam as sociedades agrárias em pequena escala que praticavam rotação de colheitas até os anos 1950s. Aquelas pessoas seguiam suas próprias tradições religiosas, que incluíam a reserva de 10 a 30% da paisagem como bosques e lagos sagrados."
"A maioria dessas pessoas foi atraída para a economia de mercado maior e se converteu para o Cristianismo por volta do fim dos anos 1950s. Com essa conversão para um sistema de crenças que rejeita a atribuição de qualidades sagradas aos elementos da natureza, as pessoas começaram a derrubar os bosques sagrados..." [6].
O segundo volume interpretativo do UNEP, Cultural and Spiritual Values of Biodiversity (Valores Culturais e Espirituais da Biodiversidade), segue uma abordagem até mais desafiadora ao Cristianismo e às posições ocidentais. Ele propõe que as religiões do mundo, "especialmente aquelas no Ocidente", redefinam seu propósito final para se alinharem com uma visão da Terra mais radical, sugerindo que as religiões ocidentais comparem sua cosmologia com as Declarações de Assis, [7] que propagam uma unidade mundial e a harmonia universal como a resposta para as tendências globalmente destrutivas da humanidade." [8].
Além disso, a "filosofia cristã do homem branco" é referida como "a hegemonia 'dirigida pelo ego' da doutrina cristã" [9]. Em vez dessas filosofias negativas do "homem branco", outras cosmovisões mais harmoniosas devem ser incentivadas, como a sacralidade do solo: "O solo é nossa deusa; é nossa religião." [10].
O ecofeminismo, antagônico ao Cristianismo e à imagem de Deus como "único, masculino e transcendente", [11] também é trazido para o primeiro plano. O colaborador do UNEP sobre o ecofeminismo sugere as seguintes "transformações interconectadas da nossa cosmovisão":
1. "Mudar de um conceito de Deus como detentor de todo o poder soberano, governando a natureza, porém situado fora dela, para uma concepção de Deus que está sob e em torno de todas as coisas, sustentando e renovando a natureza e a humanidade juntas como uma comunidade biótica criada."
2. "Mudar... para uma visão do mundo como um todo vivo e orgânico, manifestando energia, espírito, instrumentalidade e criatividade."
3. "Uma mudança de uma ética em que entidades não-humanas na Terra, como os animais, plantas, minerais, água, ar e o solo têm somente valor de uso utilitário... para uma visão de todas as coisas como tendo intrinsicamente um valor a ser respeitado e celebrado por serem aquilo que são."
4. "Uma mudança... para a Psicologia holística que reconheça nós mesmos como totalidades psico-espirituais-físicas — em interrelacionamento com o restante da natureza e como totalidades psico-espirituais-físicas que são mutuamente interdependentes em uma comunidade da vida."
5. "Mudança da visão que o domínio patriarcal é a ordem da 'natureza'... para um reconhecimento que o domínio patriarcal é a raiz das relações distorcidas...”
6. "Mudança do conceito de uma cultura superior (a cristã, branca e ocidental) a ser imposta sobre todos os outros povos para 'salvá-los' e 'civilizá-los', para o respeito pela diversidade das culturas humanas em diálogo e mútuo aprendizado, superando a hierarquia racista e defendendo particularmente as culturas nativas biorregionais que estão à beira da extinção."
7. "Uma transição de uma política da sobrevivência dos mais aptos, que aloca recursos e energia para os mais poderosos, para uma comunidade política baseada na democracia participativa, na tomada de decisão baseada na comunidade e a representação do bem-estar de toda a biorregião na tomada de decisões." [12].
Encaixando-se bem com essas visões alternativas, Valores Espirituais e Culturais da Biodiversidade apresenta a ideia de Gaia como um paradigma angular. Essa hipótese favorecida "cientificamente" entrelaça vários conceitos coevolucionários e da Mãe Deusa em torno de um princípio da Terra auto-organizada, [13] formando uma fundação unida para servir ao chamado da interdependência planetária. Por outro lado, em referência à ordem da natureza judaico-cristã, conforme encontrada no primeiro capítulo de Gênesis, o volume do UNEP defende a posição que "uma cultura construída com base no 'domínio da terra e dos animais que vivem nela' está condenada a desaparecer." (Veja a seção "Pertencer à Gaia").
Portanto, não é surpresa ler que:
"... as religiões e culturas primitivas, frequentemente imaginadas como constituindo uma única e mais antiga forma de religião, têm constantemente funcionado como a contraparte positiva ou negativa para a civilização e vida ocidentais. No período do ambientalismo elas têm funcionado predominantemente como modelos positivos, algumas vezes até paradisíacos, para uma sociedade e cosmovisão ecologicamente sólidas. O período do ambientalismo coincide com um período de pensamento de Nova Era..." [14].
Obviamente, o fundamento religioso para a vindoura ética global, que está sendo criada para salvar o planeta da calamidade, precisa ser construído com base nas cosmologias pagãs/orientais. O Cristianismo, com seus padrões de desenvolvimento e consumo ocidentais, seu domínio nas questões de gênero e da natureza, e sua mentalidade cultural racialmente "superior" precisa desaparecer.
Mas, o Cristianismo, ou uma forma dele, pode ter seu lugar na mesa internacional. De um modo metafórico, um ponto de iluminação para ele foi ligado, junto com lugares reservados para as outras fés monoteístas. Entretanto, dois requisitos simples, porém não mencionados, precisam ser atendidos:
Primeiro, abandonar os aspectos fundamentalistas da verdade bíblica, que estão repletos de discussões sobre pecado e salvação, e rejeitar a exclusividade de Jesus Cristo. Em segundo lugar, juntar-se ao mundo para a recriação de uma sociedade para que a Fraternidade dos Homens e a Paternidade de Deus prevaleçam. Em outras palavras, voltar suas costas para os princípios fundamentais e estreitos da Bíblia e fazer parcerias para criar um mundo unificado, reconhecendo que todas as religiões são expressões válidas do Cosmos Vivo. E não importa realmente em que ordem isso seja feito, desde que o resultado final de uma nova ética global seja alcançado.
Apenas para garantir que o lugar à mesa seja ocupado, a assistência da comunidade internacional está sendo oferecida.

O Sábado Ambiental da ONU / Dia de Descanso da Terra

Há quase quarenta anos o UNEP patrocina o Dia Mundial do Meio Ambiente. Todo dia 5 de junho, uma cidade anfitriã patrocina o Dia Mundial do Meio Ambiente. Neste ano, a cidade anfitriã foi Tromsø, na Noruega, com o tema: "O Derretimento do Gelo — um Tópico Quente?" Outros temas já incluíram: "Dê uma Chance à Terra (2002), "Nós, os Povos: Unidos pelo Meio Ambiente Global" (1995) e "Somente uma Terra: Cuide e Compartilhe" (1992). Cidades que já sediaram o evento incluem San Francisco (2005), Moscou (1998) e Nairóbi (1987), entre outras (veja a seção "Dia Mundial do Meio Ambiente: Anfitriões e Temas").
É neste contexto do Dia Mundial do Meio Ambiente que o Sábado Ambiental da ONU foi lançado, planejado especificamente para cair no fim de semana mais próximo do Dia Mundial do Meio Ambiente. Como um escritor do Instituto Earth Island observou: "A abordagem do Dia Mundial do Meio Ambiente também sinaliza o retorno de outro evento singular concebido pela ONU — o Dia Mundial da Terra — um dia de adoração que transcende as denominações e dá as boas-vindas para todas as fés participarem em um dia de reverência global pela Terra." [13].
Leigh Eric Schmidt, escrevendo para o The Harvard Theological Review em 1991, forneceu alguns detalhes históricos sobre esse singular evento anual de adoração à Terra:
"O primeiro Dia da Terra em 1970 forneceu uma ocasião dentro das igrejas para expressar preocupações com a crise ambiental. O envolvimento religioso nesse despertar ecológico foi substancial. Tanto o presidente quanto o secretário-geral do Conselho Nacional de Igrejas endossaram o Dia da Terra em correspondências enviadas para os líderes de igrejas em março de 1970; eles também incentivaram a guarda de um Sábado Ambiental no fim de semana anterior..."
"... Apesar do chamado em 1970 para um Sábado Ambiental, a ideia não se desenvolveu até que o Programa Ambiental das Nações Unidas se apropriou dela em 1986, vinculando-a com o Dia Mundial do Meio Ambiente... Inter-religioso em sua construção, o Sábado Ambiental tem o objetivo de ser um tempo 'para contemplar nosso vínculo com a natureza' e cultivar 'uma atitude mais responsável, cuidadosa e consciente com relação ao uso das dádivas da Terra.' Com um número estimado de 25.000 grupos celebrantes em 1990 — em igrejas, sinagogas, faculdades e organizações juvenis — o Sábado Ambiental é explicitamente litúrgico e religioso em sua inspiração (em contraste com as atividades mais politicamente orientadas do Dia da Terra)..." [16].
Embora o UNEP tenha adotado o Sábado em 1986, não foi até o ano seguinte que o programa se tornou público. De acordo com John J. Kirk, cofundador da Parceria Interfé pelo Meio Ambiente, uma organização estabelecida pelo UNEP para trabalhar pelo Sábado, o público-alvo era formado inicialmente pelas igrejas na América do Norte.
"Ele teve início no outono de 1986 quando alguns de nós nos reunimos na sede da ONU em Nova York com líderes de várias comunidades religiosas. Com orientação e apoio do Programa Ambiental das Nações Unidas, começamos a desenvolver um projeto que informaria as congregações norte-americanas sobre os sérios problemas ambientais que estavam ameaçando a vida na Terra, de modo que pudéssemos trabalhar para proteger essa magnífica obra do Criador."
"Em junho de 1987, nosso primeiro jogo de materiais do Sábado Ambiental foi enviado para as congregações nos EUA e no Canadá. O objetivo era criar um dia sabático para nosso afligido planeta — um Dia de Descanso da Terra a ser celebrado anualmente pelas comunidades religiosas..." [17].
Noel J. Brown, o diretor do UNEP durante o Sábado da Terra de 1990, apresentou as razões mais profundas do que apenas informar as congregações na América do Norte. Em uma carta datada de 28 de março de 1970, ele escreveu:
"Mais uma vez, o Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) tem a satisfação de convidá-lo para se unir a nós na celebração do 'Dia de Descanso da Terra / Sábado do Meio Ambiente' em suas cerimônias, rituais e orações..."
"... A necessidade de estabelecer uma nova base espiritual e ética para as atividades humanas na Terra nunca foi maior — já que a deterioração do nosso Lar Planetário torna a proteção do ambiente humano um novo imperativo global." [18].
Menos de seis meses antes de sua carta se tornar pública, Brown estava candidamente buscando a cumplicidade dos líderes religiosos em sua tentativa de criar uma nova ética global. Considere as seguintes declarações feitas enquanto o diretor do UNEP estava visitando o Conselho Interfé de Los Angeles:
"Agora, precisamos trabalhar mais de perto com a comunidade religiosa e espiritual. Precisamos criar um movimento ecumênico — chamo-o de movimento 'eco-mênico' — no serviço da Terra. É hora para nós pensarmos novamente, e pensarmos de um modo novo..."
"... Gostaríamos também de sugerir outros desafios com os quais vocês que estão nas comunidades religiosas podem nos ajudar. O primeiro é uma nova visão, e instituições de apoio, para nos ajudarem a avançarmos nessa transição. Nós nas Nações Unidas não podemos esperar solucionar os problemas do futuro somente com as instituições e a mentalidade do passado. Precisamos de uma visão que englobe todos os direitos humanos à liberdade, igualdade e condições de vida, e um meio ambiente que prometa vida, dignidade e bem-estar. Precisamos de uma legitimidade, uma nova ética e novas metáforas."
"... precisamos criar uma nova visão e uma instituição que possa nos ajudar a lidar com essas novas realidades."
"Uma das novas metáforas que estou ansioso para criar e promover é a de um pacto — um novo pacto com a Terra. Vocês nas comunidades religiosas podem nos ajudar a fazer isso."
"... Este é o desafio que está diante de todos nós, e é por causa desse desafio que peço que vocês trabalhem conosco como aliados. Podemos criar uma nova ordem e, para que possamos sobreviver, de fato precisamos disso." [29].
[Nota: O Pacto da Terra completo pode ser encontrado adiante neste artigo.]
No tempo do evento de 1990, as denominações cristãs com assento na junta interfé do Sábado Ambiental incluíam a Igreja Batista Americana, a Igreja Episcopal Protestante, a Igreja Metodista Unida e a Igreja Unida de Cristo. [20]. Além disso, um livro especial de recursos de adoração à Terra foi preparado pelo UNEP para o Sábado, adequadamente intitulado Only One Earth (Somente uma Terra).
Focalizando a mudança do atual paradigma religioso rumo a um novo modo ecológico de pensar, Somente uma Terra foi um livro repleto de textos para meditação, orações e canções para uso congregacional. Até sugestões para o serviço de adoração estavam incluídas, como mostram os excertos a seguir:
Sermão:
  • "Descreva a crise. Use dados científicos. Destaque a urgência da situação."
  • "Fale do relacionamento essencial Terra-seres humanos. O que é? Qual é nossa responsabilidade nisto?
  • "Aponte para várias fontes de inspiração: para as escrituras, para a sabedoria, para a espiritualidade e para a própria Terra. Mostre como todas elas são importantes e estão interligadas."
O Serviço:
  • "Enfeite seu santuário com fotografias da Terra vista do espaço, e com outras imagens da Terra."
  • "Convide oradores ou 'representantes' de outras espécies, como plantas e animais."
Vá Além:
  • "Nos serviços normais, insira uma porção que enfoque a reverência e cuidado pela Terra."
  • "Organize uma cerimônia interfé."
  • "Organize um concerto ou festival Sábado Ambiental..."
  • "Escreva cartas para os líderes nacionais ou regionais de sua fé, incentivando-os a tomarem atitudes." [21]
Para os líderes religiosos que estavam assim inclinados, as igrejas poderiam participar nas diversas meditações e reflexões listadas. Orações hindus, budistas, judaicas, indígenas, islâmicas e cristãs foram sugeridas, todas com uma entonação mística e/ou centrada na Terra. Na capa do livro de adoração para o Sábado do UNEP havia o Pacto da Terra, um tipo de "tratado do cidadão" que poderia ser copiado e distribuído para os adoradores (veja a seção "O Pacto da Terra".).
A resposta ao Sábado Ambiental de 1990, o ano de lançamento de Somente uma Terra, foi digna de nota. Não somente muitas igrejas e grupos participaram dessa jornada "A Terra em primeiro lugar", estimados em 25.000 por Leigh Eric Schmidt, mas isto acrescentou ímpeto real rumo à aceitação de uma teologia ambiental. Além disso, ao longo dos anos, o programa, de acordo com John Kirk, produziu "mais de 130.000 projetos religiosos e ecológicos... em todo o mundo." [22].
O Sábado Ambiental nunca alcançou a tremenda popularidade geral do Dia da Terra, em 22 de abril. Mas, ele não foi destinado para o público geral. Em vez disso, o programa Sábado Ambiental tinha um alvo específico: líderes religiosos e espirituais, igrejas e denominações inteiras.
No ano de 2000, Somente Uma Terra foi remodelado e relançado como Somente uma Terra: Um Livro de Reflexão e Ação. Na página 3 dessa nova edição ampliada, o subsecretário-geral da ONU Klaus Töpfer ofereceu algumas palavras de ecosabedoria:
"Entramos em uma nova era. Uma era onde todos teremos de assinar um novo acordo com nosso meio ambiente... e entrar na comunidade maior de todos os seres vivos. Um novo sentido de nossa comunhão com o planeta Terra precisa entrar em nossas mentes." [23].
Hoje, a ecoespiritualidade de Nova Era está avançando rapidamente dentro da comunidade cristã, influenciando organizações paraeclesiásticas, congregações locais e até a liderança de denominações inteiras. Para catalogar a situação somente na América do Norte seria necessário um livro inteiro para listar todos os ministérios e igrejas que adotaram essa ideologia, seja por ingenuidade ou por concordância.
Vendo a escrita na parede, Robert A. Sirico, presidente do Instituto Acton, redigiu as seguintes palavras com relação ao Sábado da Terra, paganismo e a aceitação dessas ideias pelos líderes religiosos:
"Considere a 'confissão' dos pecados ambientais oferecida pelo Conselho Nacional de Igrejas: 'Somos responsáveis por uma imensa poluição na terra, nas águas e nos céus... Estamos matando os céus: a atmosfera global se aquece com os gases químicos e a camada de ozônio é destruída."
"Os cientistas dizem que a maioria dessas preocupações é exagerada. Mas, vamos apenas dizer que sejam verdadeiras. No máximo, elas são questões técnicas que precisam ser tratadas por especialistas nos setores público e privado. Elas não deveriam ter uma relevância espiritual de longo alcance. Ninguém está no inferno por ter usado um tubo de aerossol para aplicar laquê no cabelo."
"Somente se aliviarmos nosso barco dos ensinos tradicionais é que poderemos concordar com as palavras de celebração da ecologia do Conselho Nacional de Igrejas, que dizem o seguinte em uma das orações propostas: 'Precisamos dizer, fazer e ser tudo o que for possível para alcançar o objetivo do Sábado Ambiental... Não podemos deixar nossa mãe morrer. Precisamos amá-la e restaurá-la.'"
"Descrever a Terra como nossa mãe viva constitui uma forma pagã de adoração à terra, ou se aproxima perigosamente disso. Um Sábado Ambiental não é um objetivo cristão, embora as Nações Unidas tenham um programa para promovê-lo. Também não devemos tentar criar uma 'eco-igreja'..."
"O relato do Gênesis sobre a criação fornece evidência teológica suficiente para rejeitarmos a teologia verde. Depois de ter criado o homem e a mulher à Sua imagem, Deus disse: 'Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.' [Gênesis 1:28]."
"A Terra não recebeu domínio sobre as pessoas. Nós é que temos almas que carecem de salvação; as rochas, rios, esquilos e o salmão não têm. Recebemos os dons da razão e da revelação; as plantas e os animais não. Existem modos certos e errados de exercermos domínio sobre a natureza, que a consciência bem estruturada pode discernir." [24].
Encerrando este artigo, acho que seria prudente considerarmos as palavras de Samantha Smith em seu livro Goddess Earth (A Deusa Terra), publicado em 1994. Uma crítica da ecoespiritualidade, ela expôs os aspectos centrais dessa questão e suas perturbadoras implicações para o Cristianismo:
"Grande parte do ativismo social e ambiental nas igrejas hoje está baseado nas crenças socialistas promovidas em nome da 'mordomia', que engloba tudo, desde justiça social até a apaixonada proteção à Terra. A Teologia Verde negligencia as ordens de Deus para ocuparmos a Terra e dominá-la, mas, ao mesmo tempo, cuidando de sua beleza e de seus recursos. Em vez disso, ela quer fazer os cristãos acreditarem que seu chamado mais enobrecedor é servir à Terra 'interconectada'. Ao fazerem isso, eles caem nas mãos dos verdes pagãos, que desejam que a Terra tenha domínio sobre o homem." [25].

Notas Finais

1. Robert A. Sirico, "Despoiler or Problems-Solver”, Acton Institute, 1994, http://www.acton.org/ppolicy/editorials/sirico/despoiler.html.
2. Esta entrevista pode ser encontrada no vídeo-documentário "Earth’s Two-Minute Warning", Jeremiah Films, 1997.
3. Cultural and Spiritual Values of Biodiversity: A Complementary Contribution to the Global Biodiversity Assessment (UNEP, 1999), pág. 446.
4. Idem, pág. 447. [Veja a Caixa 11.4: "Towards a Global Environmental Ethic"]. 5. Global Biodiversity Assessment (UNEP, 1995), pág. 839. 6. Idem, pág. 839. 7. Cultural and Spiritual Values of Biodiversity, pág. 448-449.
8. As Declarações de Assis podem ser encontradas na publicação do UNEP intitulada Only One Earth: A Book of Reflection for Action (UNEP, 2000).
9. Cultural and Spiritual Values of Biodiversity, pág. 451. 10. Idem, pág. 453. 11. Idem, pág. 457. 12. Idem, págs. 459-460.
13. Para literatura que suporte a hipótese de Gaia, veja James Lovelock, Gaia: A New Look at Life on Earth (Oxford University Press, 1979/1995) e Lawrence E. Joseph, Gaia: The Growth of an Idea (St. Martin’s Press, 1990). Dois livros que expõem criticamente a ecoespiritualidade do movimento ambientalista, incluindo os conceitos de Gaia, são Michael S. Coffman, Saviors of the Earth? (Northfield, 1994) e Samantha Smith, Goddess Earth (Huntington House, 1994).
14. Cultural and Spiritual Values of Biodiversity, pág. 497.
15. Gar Smith, "World Environment Day & the Earth Sabbath", The Edge, Instituto Earth Island, 2 de junho de 2006. A página do Instituto Earth Island, que inclui cópias on-line de The Edge, pode ser encontrada em http://www.earthisland.org.
16. Leigh Eric Schmidt, "From Arbor Day to the Environmental Sabbath: Nature, Liturgy, and American Protestantism", The Harvard Theological Review, Vol. 84, No. 3. (Jul., 1991), págs. 317-318.
17. Carta de John J. Kirk, conforme reimpressa em Only One Earth: A Book of Reflection for Action (UNEP/Interfaith Partnership for the Environment, 2000), pág. 5.
18. Esta carta foi reproduzida em sua inteireza no livro de recursos de adoração do Sábado Ambiental do UNEP, Only One Earth, (1990).
19. Noel J. Brown, "We Appeal to You", comentários feitos para o Conselho Interfé de Los Angeles, 2 de novembro de 1989. Este discurso pode ser encontrado em http://www.context.org/ICLIB/IC24/Brown.htm.
20. Schmidt, The Harvard Theological Review, pág. 318-319.
21. UNEP, Only One Earth (1990). A numeração de página estava ausente no documento original.
22. Carta de John J. Kirk, conforme reimpressa em Only One Earth: A Book of Reflection for Action (UNEP/Interfaith Partnership for the Environment, 2000), pág. 5.
23. Only One Earth: A Book of Reflection for Action (UNEP/Interfaith Partnership for the Environment, 2000), pág. 3.
24. Robert A. Sirico, "Despoiler or Problems-Solver", Acton Institute, 1994, http://www.acton.org/ppolicy/editorials/sirico/despoiler.html
25. Samantha Smith, Goddess Earth: Exposing the Pagan Agenda of the Environmental Movement (Huntington House, 1994), pág. 198.

Pertencer a Gaia

O texto a seguir foi extraído de Cultural and Spiritual Values of Biodiversity (Valores Culturais e Espirituais da Biodiversidade), pág. 449. Ele foi redigido por William N. Ellis e Margaret M. Ellis. Todo o negrito e colchetes estão no original.
Pertencemos ao Emaranhado-de-seres — à Terra — à Gaia.
Pertencer é o protovalor a partir do qual todos os outros valores são derivados.
Pertencemos à fisiosfera, à biosfera e à ideosfera.
Pertencemos à Gaia.
Como diziam os aborígenes: "Somos posse da terra, não proprietários da terra.".
Como o chefe Seattle dizia: "Não podemos possuir a terra, somos parte da terra."
Pertencemos e somos inseparáveis da nossa cultura — uns dos outros — de Gaia. Somos interdependentes com tudo o que existe.
Pertencer é um fato científico; e pertencer é mais do que um fato científico.
Pertencer não é meramente 'ser membro de', mas estar sujeito a — estar em parceria — ser responsável por alguma coisa.
Pertencemos – e somos responsáveis – pelo emaranhado de seres — o universo — a Terra — Gaia.
Pertencer à Gaia significa reconhecer que estamos envolvidos no emaranhado de seres — que nosso bem-estar é dependente do bem-estar de Gaia — o bem-estar uns dos outros. Se destruirmos Gaia, estamos destruindo a nós mesmos.
Pertencer implica 'cooperação' – trabalhar com o que existe — com Gaia — o emaranhado de seres.
Pertencer implica em 'comunidade'. Somos responsáveis por Gaia. Somos responsáveis uns pelos outros.
Pertencer implica em 'Amar'.
Não podemos separar o amor (agape) do fato que pertencemos a Gaia.
Amamos porque precisamos amar para preservar Gaia — para preservar a nós mesmos — para preservar o emaranhado de seres.
As culturas construídas com base em valores diferentes de pertencer estão condenadas à autodestruição.
Uma cultura construída com base em "dominar a terra e todos os animais que vivem nela' está condenada a desaparecer.
Uma cultura baseada no interesse mesquinho está condenada a se desintegrar.
Uma cultura baseada na 'sobrevivência dos mais aptos' não sobreviverá.
Para ser estável e sustentável, uma cultura precisa estar baseada na cooperação, comunidade, responsabilidade, amor, honestidade, cuidado e os demais valores que estão implicados e interligados uns com os outros e com pertencer.
Não podemos mais nos separar de senso de pertencer — de Gaia — e continuar sendo uma cultura viável, da mesma forma como um átomo de oxigênio não pode se separar dos átomos de hidrogêncio e manter as qualidades da água.
[Conforme apresentado em Only One Earth, UNEP, 1990]


Pacto Pela Terra

Um Tratado do Cidadão para uma Segurança Ecológica Coletiva

Preâmbulo

Nós, o povo da Terra, nos alegramos com a beleza e as maravilhas da terra, dos céus, das águas e da vida em toda sua diversidade. A Terra é nosso lar e nós a compartilhamos com todos os outros seres vivos.
Todavia, estamos tornado a Terra inabitável para a comunidade humana e para muitas formas de vida. O solo está se tornando estéril, os céus poluídos e a água contaminada. O clamor das pessoas cuja terra, ganha-pão e saúde estão sendo destruídos é ouvido em todo o mundo. A própria Terra está nos chamando para despertar.
Nós e todos os seres vivos dependemos da Terra e uns dos outros para nossa existência, bem-estar e desenvolvimento comuns. Nosso futuro coletivo depende de um reexame de nossas pressuposições mais básicas sobre o relacionamento da humanidade com a Terra. Precisamos desenvolver princípios e sistemas comuns para moldar esse futuro em harmonia com a Terra.
Os governos sozinhos não podem proteger o meio ambiente. Como cidadãos do mundo, aceitamos responsabilidade em nossas vidas pessoais, profissionais e comunitárias para proteger a integridade da Terra.

Princípios e Compromissos

Em acordo uns com os outros e em nome de toda a comunidade da Terra, nós nos comprometemos com os seguintes princípios e ações:
• Relacionamento com a Terra: Todas as formas de vida são sagradas. Cada ser humano é uma parte integral e singular da comunidade de vida da Terra e tem uma responsabilidade especial de zelar pela vida em todas suas diversas formas. Portanto, agiremos e viveremos de modo a preservar os processos naturais da vida da Terra e respeitar todas as espécies e seus habitats. Trabalharemos para evitar a degradação ecológica.
• Relacionamento uns com os Outros: Cada ser humano tem o direito a um ambiente saudável e de poder obter os frutos da Terra. Cada um também tem um dever contínuo de trabalhar para o alcance desses direitos para as gerações presente e futuras.
Portanto, com a preocupação que toda pessoa tenha alimento, moradia, ar puro, água potável, educação, emprego e tudo o mais que é necessário para desfrutar a plena medida dos direitos humanos — trabalharemos para um acesso mais equitativo aos recursos da Terra.
• Relacionamento Entre Segurança Econômica e Ecológica: Como a vida humana está enraizada nos processos naturais da Terra, o desenvolvimento econômico, para ser sustentável, precisa preservar os sistemas que suportam a vida na Terra.
Portanto, usaremos tecnologias que protejam o meio ambiente e promoveremos que elas se tornem disponíveis para as pessoas em todas as partes da Terra. Quando estivermos em dúvida sobre as consequências dos objetivos econômicos e das tecnologias sobre o meio ambiente, concederemos uma margem adicional de proteção à natureza.
• Governança e Segurança Ecológica: A proteção e aprimoramento da vida sobre a Terra requer sistemas legislativos, administrativos e judiciários nos níveis locais, regionais e internacionais apropriados. Para serem eficazes, esses sistemas precisam dar autoridade legal, ser participativos e baseados em informações abertas.
Portanto, trabalharemos pela aprovação de leis que protejam o meio ambiente e promoveremos o respeito a elas por meio de ação educacional, política e jurídica. Faremos avançar políticas de preservação em vez de somente reagir aos danos causados ao meio ambiente.
Declarando nossa parceria uns com os outros e com nossa Terra, damos nossa palavra de honra que seremos fiéis aos compromissos aqui assumidos.

Dia Mundial do Meio Ambiente: Anfitriões e Temas

Nota: As listas seguintes foram geradas a partir das informações encontradas nas páginas do UNEP na Internet: Países Anfitriões das Celebrações do Dia Internacional do Meio Ambiente: 2007 — Tromsø, Noruega
2006 — Argel, Argélia
2005 — San Francisco, EUA
2004 — Barcelona, Espanha
2003 — Beirute, Líbano
2002 — Shenzhen, República Popular da China
2001 — Torino, Itália e Havana, Cuba
2000 — Adelaide, Austrália
1999 — Tóquio, Japão
1998 — Moscou, Federação Russa
1997 — Seul, República da Coreia
1996 — Istanbul, Turquia
1995 — Pretória, África do Sul
1994 — Londres, Grã-Bretanha
1993 — Pequim, República Popular da China
1992 — Rio de Janeiro, Brasil
1991 — Estocolmo, Suécia
1990 — Cidade do México, México
1989 — Bruxelas, Bélgica
1988 — Banguecoque, Tailândia
1987 — Nairóbi, Quênia. Temas nos Dias Internacionais do Meio Ambiente: 2006 — Derretimento do Gelo — um Tópico Quente?
2006 — Desertos e Desertificação — Não nos Esqueçamos das Regiões Áridas!
2005 — Cidades Verdes — Plano para o Planeta!
2004 — Procurados! Mares e Oceanos — Vivos ou Mortos?
2003 — Água — Dois Bilhões de Pessoas Estão Morrendo por Ela!
2002 — Dê uma Chance à Terra
2001 — Conecte-se com a Rede Mundial da Vida
2000 — O Milênio do Meio Ambiente: Tempo de Agir
1999 — Nossa Terra — Nosso Futuro — Apenas Salve-os!
1998 — Pela Vida na Terra: Salvemos Nossos Mares
1997 — Pela Vida na Terra
1996 — Nossa Terra, Nosso Hábitat, Nosso Lar
1995 — Nós, os Povos: Unidos pelo Meio Ambiente Global
1994 — Uma Terra, uma Família
1993 — Pobreza e Meio Ambiente: Rompendo o Círculo Vicioso
1992 — Somente uma Terra, Cuidar e Compartilhar
1991 — Mudança Climática: Necessidade de uma Parceria Global
1990 — Crianças e o Meio Ambiente
1989 — Aquecimento Global, Advertência Global
1988 — Quando o Meio Ambiente É Colocado em Primeiro Lugar, o Desenvolvimento É Duradouro
1987 — Meio Ambiente e Abrigo: Mais do Que um Teto
1986 — Uma Árvore pela Paz
1985 – Juventude: População e o Meio Ambiente
1984 — Desertificação
1983 — Gestão e Acondicionamento do Lixo Tóxico: Chuva Ácida e Energia
1982 — Dez Anos Depois de Estocolmo (Renovação das Preocupações Ambientais)
1981 — Lençóis Freáticos: Produtos Químicos Tóxicos na Cadeia Alimentar Humana
1980 — Um Novo Desafio para a Nova Década: Desenvolvimento sem Destruição
1979 — Somente um Futuro para Nossas Crianças — Desenvolvimento sem Destruição
1978 — Desenvolvimento sem Destruição
1977 — Preocupação Ambiental com a Camada de Ozônio; Perda de Terras e Degradação do Solo
1976 – Água: Recurso Vital para a Vida
1975 — Assentamentos Humanos.


Autor: Carl Teichrib, artigo original em http://www.forcingchange.org, Volume 6, Edição 1.
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/unep.asp

segunda-feira, 15 de abril de 2013

A caminho da terceira guerra mundial – parte 1

A tentativa de compreensão da sociedade através de uma única teoria de cunho simplificado e leis rígidas, como a das chamadas ciências duras, a exemplo de física e  química, ainda não foi alcançada e talvez nunca será. Tentar explicar uma maquinaria tão complexa da natureza através de simplificações muito provavelmente levará ao fracasso. Assim é com teorias como as de Comte e Marx. Super-simplificam aquela que talvez seja a estrutura mais complexa da natureza: a alma humana. Do ponto de vista conservador, ao analisar qualquer situação histórica, deve-se levar em conta os anseios, projetos e idéias que levaram a um desencadeamento de ordem social e que guiaram a história de um povo. Explicar acontecimentos históricos a partir da ideologia do historiador é, no mínimo, falsificação. Vou tentar mostrar uma análise feita com base no noticiário internacional e tentando entender, no limite do possível, as linhas de ação de cada grande grupo de interesses através de suas próprias convicções. Com isso tentaremos tirar conclusões sobre quais são as intenções de cada um deles e quais devem ser os eventos desencadeados no conflito entre esses interesses, que ocasionalmente podem levar a guerras, e neste caso, de ordem global. É claro que por se tratar de uma ciência não-exata não temos a possibilidade de prever as coisas com precisão mecânica, mas pelo menos evitaremos surpresas no caminho.


Para qualquer pessoa que leia as notícias em sites estrangeiros, e que conheça minimamente o esquema de poder atual, parece bem claro o recado: o mundo está a um passo da agressão mútua, da terceira guerra mundial. Nestes artigos, vou tentar encadear algumas notícias e fatos para evidenciar pelo menos uma parte dessa dinâmica e dos países e interesses que compõem cada bloco. Inicialmente vamos apenas enunciar as principais forças agindo hoje no mundo e, conforme formos avançando na análise de notícias nos artigos seguintes veremos como o esquema todo fica bastante claro. Poderíamos fazer o sentido contrário, mostrar como chegar nestas conclusões a partir do noticiário, mas esta tarefa custou anos e anos a competentíssimas mentes. Nossa missão aqui é simplificar sem perder quantidade substancial de informação e muito menos a linha de raciocínio.

Então vamos lá. Basicamente, existem três principais blocos de interesse hoje no mundo: o meta-capitalista, o russo-chinês e o islâmico. Há também uma quarta força - mas esta vem em plena decadência há algumas décadas -  que é o Vaticano, e suas influências políticas ainda não consegui traçar com clareza. A renúncia do Papa e o novo conclave podem ser uma peça fundamental para o entendimento desse problema. Vamos, então, traçar um perfil resumido desses quatro principais blocos:

Metacapitalista:

com o advento da industrialização e a consequente geração maciça de riquezas, certos grupos econômicos passaram a ganhar cada vez mais poder entre a segunda metade do século XIX e meados do XX. Entre eles estavam os Bilderberg e Ford, mas ainda existem muitos outros. São os donos das megacorporações. Para este grupo, o livre mercado foi a escada que permitiu sua ascenção, mas também pode significar a sua queda. O livre-mercado é o que abriria caminho para que novos grupos pudessem tomar o lugar dos atuais. Exemplo marcante que sempre dou é com relação à Microsoft e o Google. Quem, há 10 anos atrás, diria que a Microsoft perderia grande parte do seu poder, sem ser motivo de piada? Neste contexto, é crucial para a manutenção do poder a supressão dos mercados. Entretanto, ele não pode ser suprimido completamente já que as corporações necessitam que as pessoas consumam seus produtos.


A solução para isto é simples: o socialismo na vertente fabiana. Consiste basicamente em desnortear ao máximo a população, no melhor significado do termo “alienar”, de modo que as pessoas tenham a impressão de que possuem liberdade quando na verdade são controladas por um jogo de interesses camuflado. Com um pouco de esforço se observa o que isso significa. Por exemplo: qual a probabilidade de você comprar um carro nacional “zero km” que não seja 4 cilindros em linha, motor frontal, freios a disco dianteiros, tração dianteiras, etc? Se você nem sabe o que essas coisas significam, não tem problema. Comece a reparar em qualquer produto e vão ver que são todos basicamente iguais, apenas com o exterior diferente. Carro A e carro B são absolutamente iguais, inclusive em preços, de tal modo que pouco importa a sua escolha, no fundo ela já está feita. Mas como você escolhe o design e a concessionária, acha que a escolha foi sua.

Além disso, como o objetivo é confundir e desbaratinar, apoiam todo tipo de movimento de esquerda: de militância gay escolar a feminismo. Precisam do fim da família ocidental de modo a garantir a supressão do livre mercado e assim perpetuar seu poder. Também agindo a favor desses interesses vem o apoio à centralização e inflamento do Estado com um respectivo aumento de todo tipo de regulamentação e tributação. É flagrante a dificuldade que uma pessoa encontra em abrir um pequeno negócio hoje em dia. Quantos mercados pequenos tem no seu bairro hoje? Aposto que sobraram só as grandes redes agora com versões “bairro” dos seus hipermercados.

O grupo que menos deseja uma guerra hoje é esse. Tipos como Barrack Obama tentam a todo modo uma aproximação com islam e com o bloco russo-chinês, mas, ao que tudo indica, esta é uma postura que apenas vai levá-los a morder a isca. E nós estamos neste barco.

Russo-chinês:

a consciência geral é a de que o comunismo morreu com a queda do muro de Berlim. Esse é um equívoco dos mais sérios. Seguindo máxima de Sun Tzu, quando estiver fraco finja de forte, e quando estiver forte finja de fraco, o sistema soviético apenas fez algumas concessões devido à impossibilidade da economia planejada. Deram-se conta que não se pode impôr o comunismo pois o sistema não se sustenta. Para tal, acreditam as modernas correntes teóricas, uma mudança cultural profunda é necessária e inclusive o ideal de revolução física já é descartado pela maioria dos teóricos marxistas, sendo o principal deles o filósofo russo Alexander Dugin, travestido do mais sublime conservadorismo.

O objetivo deste grupo é o de sempre: criar o chamado bloco eurasiano. Em outras palavras, se associar com a China e invadir a Europa. Mao Tse Tung foi peça fundamental no esquema, e a economia chinesa, parte comunista e parte socialista (não se iludam, não existe capitalismo na China), foi uma sacada fundamental mas que já está se esgotando. A China vai precisar de mais mercado em breve e adivinha quem vai ser. Este talvez seja o mais óbvio caminho para a guerra.

O modo de ação desse grupo basicamente é a subversão através da infiltração de agentes do serviço secreto em todo tipo de instituição, de igrejas a universidades. Daí surgiram movimentos como a teologia da libertação e a disseminação do método Paulo Freire no ensino brasileiro, fundamental à sua falência intelectual. Para quem quiser entender em detalhes como funciona, ver o vídeo do agente dissidente da KGB, Yuri Bezmenov. Qualquer semelhança com o Brasil, principalmente a partir dos 13 minutos, não é mera coincidência. O modo de governo almejado é totalitário, com a máxima centralização estatal concebível.

Islâmico:

este é o mais obscuro e o que menos se conhece a respeito aqui no ocidente. Seus interesses ainda não são evidentes pois a sua rede de comando é extremamente camuflada. Existe um componente histórico de dominação sobre a Europa, sempre presente desde o surgimento do islamismo. A própria concepção bélica do islamismo, presente desde a expansão promovida por Maomé, também é um fator importante. O ideal da guerra contra os infiéis está presente no âmago desta cultura, como é evidente na figura do mártir que recebe suas virgens após o ato heróico que, em geral, envolve explodir dezenas de “infiéis”.
Existem também interesses regionais ligados ao petróleo, por exemplo, mas não sei ainda quantificar em termos relativos os fatores que mencionei. O sistema de governo neste caso também é totalitário, mas aparenta ser fragmentado com muitos líderes, mas a centralização ocorre pelo respeito às leis do Islam.

Vaticano:

seu papel na formação da cultura européia foi fundamental, pois funcionou como um estado paralelo exercendo poder simultaneamente sobre as repúblicas e impérios que compuseram a europa com o passar do tempo. Assim ocorreu desde a queda do império romano. Mesmo sem um estado que desse a noção de nacionalidade às pessoas, o Vaticano dava uma identidade de crença ao povo ocidental. A própria organização da instituição, com herarquias, leis, burocracia e arrecadação, já demonstra a sua faceta estatal.

Entretanto, ela se restringe à ação dos cristãos, embora tenham havido alguns movimentos de conversão forçada ou guerra com o passar do tempo, mas foram ações quase pontuais, e não têm a proporção que se dá a elas na cultura da inteligentzia acadêmica ou dos professores de geografia dos cursinhos. O Vaticano, então, prestou-se a manter a coesão da Europa e fazê-la resistir e converter os bárbaros.

Posteriormente seu poder começou a se fragmentar com a reforma luterana e outras dissidências, passando a se concentrar mais na fé do que na instituição em si. Não creio que este bloco tenha um papel fundamental no atual cenário, mas como ainda cerca de um sexto do mundo é católico, é uma força a se observar. Também temos que levar em conta todas as outras parcelas cristãs, inclusive protestantes e católicos não-apostólicos-romanos. Mesmo assim, não deve surgir como uma força política revelante. Talvez, como uma força cultural a longo prazo.

Feito isso, temos enumerados os principais interesses hoje ativos no mundo. Nos próximos artigos vamos começar a conectá-los com algumas manchetes e tentar mostrar que estamos caminhando em direção à terceira guerra mundial. Quem tiver tempo pode ver essa fabulosa aula do professor Olavo de Carvalho, na qual ele explica tudo em detalhes. Adicionar o Vaticano foi uma inclusão minha no assunto, principalmente porque é preciso dizer se existe alguma força a nosso favor, por mais fraca que seja.
Enhanced by Zemanta

sexta-feira, 12 de abril de 2013

China: 400 “cidades do câncer” recenseadas

Criança com problemas respiratórios em Hefei, província de  Anhui
Pela vez primeira, o ministério chinês do Meio Ambiente publicou a lista das “cidades do câncer”.

Trata-se de urbes grandes, médias e pequenas, onde o nível de poluição é tão elevado que a proporção de pessoas atingidas pelo câncer superou os níveis mais alarmantes, noticiaram numerosas fontes, entre as quais o jornal “Le Figaro” de Paris.


Segundo a lista oficial, a China teria mais de 400 cidades em tal situação. Os grupos ecologistas, sempre lenientes e amigos do regime, falavam “apenas” em uma centena.

Porta de Dongbianmen, parte da antiga muralha de Pequim, com e sem poluição.
 
O ministério chinês disse estar preocupado pela dimensão gigantesca do problema. Mas só falou lugares comuns, como o de que “os produtos químicos tóxicos estão na origem de numerosas crises ambientais ligadas à poluição do ar ou da água. Existem até casos muito sérios, como as aldeias do câncer em certas regiões circunscritas”.

Os satélites ocidentais fotografaram essas “regiões circunscritas”, que incluem centenas de milhares de quilômetros quadrados, desde Pequim até Xangai.

Nas frequentes épocas em que a poluição habitual cobre essa imensa região, a superfície do planeta fica invisível pela densa nuvem de poluição.

Imagem satelital do nordeste da China (Pequim=mancha no centro acima)
nos dias 3.1.2013 (limpo) e 14.1.2013 (poluído).
 
para atingir os agressivos objetivos marxistas de conquista econômica do mundo, as fábricas não providenciam nenhuma forma de controle, poluindo sem qualquer medida de prudência as regiões agrícolas.

E ai de quem não cumprir as metas determinadas pela burocracia socialista em Pequim!

O descontentamento social cresce e os cidadãos se mobilizam, opondo-se a projetos ameaçadores de fábricas químicas. Mas o regime é insensível: morra quem morrer, é preciso atingir a meta comunista de produção, como ensinou o “Grande Timoneiro” Mao Tse Tung.

A poluição em Pequim supera todos os recordes, tornando-se evidência incontestável quando uma nuvem tóxica de periculosidade inédita envolveu a capital durante mais de três semanas no mês de janeiro.

Patenteou-se, então, que o fenômeno que destrói a saúde de milhões de cidadãos escravos não se limita a algumas “regiões circunscritas”.

O Ministério do Meio Ambiente elaborou então um relatório visando abafar e desviar as queixas. Mas um número crescente de cidadãos comuns já não acredita nas falácias do governo.

Operários trabalhando em Pequim. 
No ano de 2009, o jornalista Deng Fei, do canal Phoenix TV, de Hong Kong, denunciou essas “cidades do câncer”. Sua conta no Sina Weibo (equivalente ao Twitter) é acompanhada hoje por mais de três milhões de pessoas.

No Ano Novo chinês, o jornalista lançou uma campanha intitulada “Mostrem-me os rios sujos”, recebendo então milhares de fotos mostrando deprimentes paisagens de rios supersaturados de lixo e fábricas jogando águas não tratadas nos riachos próximos.

Não há perigo de os "verdes" ocidentais divulgarem esta realidade tão anti-ecológica. Os "vermelhos" chineses são seus amigos!!!  
Fonte: Verde: a cor nova do comunismo

sexta-feira, 5 de abril de 2013

SUPERPOPULAÇÃO É UM MITO - A pobreza diminui com o aumento da população


Os Planos da Nova Ordem Mundial - Parte 3

 


2) Controle Populacional por Meio de Conflitos — Promovendo Conflitos Entre Homens e Mulheres

a) Movimento Feminista Atual

Acreditamos que o controle populacional esteja sendo patrocinado atualmente pelo movimento feminista radical. No entanto, essa não é nossa idéia original. O Dr. Wolf Wolfensberger, professor titular na Universidade Syracuse, na Divisão de Educação Especial e Reabilitação escreveu sobre esse conceito em seu livro The New Genocide of Handicapped And Afflicted People. Certamente, se você promover o conflito em homens e mulheres, pode atingir vários objetivos desejados por qualquer satanista, e que contribuem para objetivo deles de limitar de forma radical o crescimento populacional no mundo industrializado nestes tempos que antecedem a Nova Ordem Mundial.

1) Se os homens e as mulheres estiverem brigando um contra o outro e não tiverem confiança recíproca, haverá um número menor de casamentos e menor ligação sexual. Ambas as possibilidades limitarão o número ode filhos que nascerão. Quantas mulheres quererão se casar se o homem típico é o estereótipo criado e mostrado nas comédias de situação?

2) Se os casamentos que já existem puderem ser desestabilizados e até rompidos, o número de filhos será reduzido. A sociedade como um todo também fica desestabilizada, outro objetivo importante do Plano.

Entre os mais ferozes defensores do aborto hoje estão as feministas radicais. O controle da população e a desestabilização da nossa sociedade atual são dois dos principais objetivos do movimento feminista radical. Quem teria imaginado que esse movimento colaboraria com os planos da Nova Ordem Mundial?
2) Desarmamento: A transcrição do nosso programa de rádio CE1067 contém a discussão completa da importância do desarmamento na criação da Nova Ordem Mundial. Veremos apenas os detalhes aqui.

a) Nações

O Desarmamento foi planejado antes do advento da bomba nuclear, pois Alice Bailey escreveu em 1940:

"No período preparatório para a Nova Ordem Mundial, haverá um desarmamento obrigatório. Não será opcional. Nenhum país receberá a permissão de produzir ou organizar qualquer armamento para propósitos destrutivos ou para infringir a segurança das outras nações." ['Espírito-guia' Mestre D. K., escrevendo por meio por meio da líder da Sociedade Teosófica, Alice Bailey, no livro, The Externalisation of the Hierarchy, pág. 191].


Esse desarmamento dos países não será opcional. O plano é que cada país sistematicamente entregue suas armas ao Corpo Governamental do Mundo Unificado, que, alguns anos mais tarde, ficou conhecido como Organização das Nações Unidas. Desde que a ONU foi fundada, o mundo passou por várias guerras sob o guarda-chuva da ONU, ou como uma 'Aliança' de Nações, como a Guerra no Golfo'. Mas, em todos os casos, os combatentes foram à ONU para expor seus motivos e posições e para obter ou se opor às declarações da ONU.

Este, amigos, é o Plano das Seis Etapas para a Mudança de Comportamento. Por vários anos, o mundo tem estado sujeito à terrível idéia que as nações individuais devem abrir mão da sua soberania e aceitar a da ONU [Etapas de 1 a 3]. No entanto, as repetidas ocorrências de guerras lutadas sob a bandeira da ONU, ou com base em resoluções da ONU, e todos os debates que testemunhamos ao longo dos anos sobre vários assuntos, forneceram a repetição contínua necessária para a Etapa 4. Em breve, provavelmente após uma grave 'crise planejada', a etapa final será implementada. Todos os governos entregarão seus poderes políticos e econômicos à ONU. Acreditamos que isso somente ocorrerá após o aparecimento do Anticristo e as pessoas concordarão em fazer qualquer coisa que ele queira, devido aos seus muitos 'sinais e maravilhas' miraculosos.

Se você acredita que os líderes políticos não estão necessariamente seguindo o Plano traçado pelo Mestre D. K., escrevendo por meio de Alice Bailey, deve considerar atentamente o seguinte fato: Em 14 de agosto de 1941, pouco mais de um ano após Bailey ter escrito sobre esse plano para o desarmamento, o presidente Roosevelt e o primeiro-ministro britânico Churchill, assinaram a "Carta do Atlântico", um dos documentos mais influentes do século 20. Veja o Ponto 8:

"Oitavo... todas as nações do mundo... precisam aceitar o fim do uso da força. Como a paz no futuro não poderá ser mantida se armamentos para serem usados em terra, mar e ar continuarem a ser utilizados pelas nações que ameaçam... agressões além de suas fronteiras... o desarmamento das nações é fundamental..."

Quando a ONU obtiver total e absoluto poder sobre todas as nações do mundo, os aderentes da Nova Era ingenuamente crêem que a ONU exercerá uma liderança 'benevolente' e 'sábia'. No entanto, quero mostrar a você o Plano REAL, novamente citando Alice Bailey:

"A bomba atômica não pertence às três nações que a aperfeiçoaram... pertence às Nações Unidas para uso (ou ameaça de uso) quando qualquer nação tomar uma ação agressiva". [pág. 548].

Você está agora lendo aquela parte do Plano da Nova Ordem Mundial que cumprirá as profecias bíblicas em Daniel, Joel e Apocalipse que falam de guerras e destruições e mortes sem precedentes logo após a ascensão do Anticristo. Acredito que é assim que pelo menos 2 das 3 supernações serão totalmente aniquiladas pelo Anticristo, como profetizado nos Capítulos 2 e 7 de Daniel. Agora, qual sua opinião sobre as tropas americanas, brasileiras e de outros países também, colocando os capacetes azuis da ONU? Condicionamento, condicionamento, condicionamento, usando o Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento. O mundo já experimentou bastante da repetição contínua da Etapa 4, e logo, entraremos nas Etapas 5 e 6. Quando isso ocorrer, perderemos totalmente nossas liberdades.

Lembre-se da lição da Torre de Babel: Quando Satanás tentou pela primeira vez implantar um governo, uma religião e uma economia mundiais, Deus se opôs e confundiu as línguas, fazendo com que o único idioma que toda a população mundial falava originasse os muitos grupos lingüísticos. Essa ação forçou o aparecimento das nações, cada uma ocupando seu território e dispersas no globo. Satanás está novamente fazendo as nações se unirem em um governo global, exatamente como a Bíblia diz que acontecerá nos últimos tempos. A lição que temos a aprender é que o plano de Deus é a existência de muitas nações, nenhuma das quais com total hegemonia; o plano de Satanás é a unificação das nações, lideradas pelo seu homem, o Anticristo.

b) Cidadãos

Não sabemos qual sua opinião sobre o Controle de Armas. No entanto, permita-me contar um pequeno fato histórico. Sempre que uma democracia governa, ninguém se preocupa com as armas em poder da população, mas quando um regime totalitário toma o controle, a primeira ação do novo governo é confiscar as armas dos cidadãos. Como demonstramos que esta Nova Ordem Mundial é o Reino do Anticristo, e uma restauração do nazismo, você pode esperar que o confisco de armas seja uma das suas prioridades.

Usando todos os elementos das Etapas de 1 até 4 do Plano, nossos líderes governamentais de todos os escalões estão tentando convencer a maioria dos cidadãos que as armas precisam ser confiscadas. Fazendo uso de todos os tipos de estatísticas de crimes, mais as muitas tragédias de homens desequilibrados que alvejam pessoas inocentes em locais públicos (Etapa 4, Repetição Contínua), os líderes governamentais têm restringido por meio de novas leis a aquisição e o porte de armas. Logicamente, a retórica deles é sempre florida e parece repleta de boas intenções.

Lembre-se, porém, de quem estamos tratando aqui. Você está lidando com líderes governamentais que apóiam a Nova Ordem Mundial. Você certamente precisa ver o perigo em acreditar em qualquer coisa que eles digam ou queiram fazer. Cuidado!! Esteja alerta!!

3) Insensibilização dos Indivíduos, Homens e Mulheres

Há vários anos que advertimos que os planejadores da Nova Ordem Mundial enfrentam a mesma dificuldade que Hitler enfrentou quando se preparava para iniciar a matança de 18 milhões de pessoas, incluindo 6 milhões de judeus. Ele precisava de homens jovens que estivessem dispostos a "puxar o gatilho". Se os rapazes e moças alemães não estivessem dispostos a participar no Holocausto, Hitler não teria condições de executá-lo. No entanto, para a satisfação de Hitler, muitos rapazes tinham sido dessensibilizados, emocionalmente embrutecidos, por meio de vários elementos na sociedade alemã antes da ascensão de Hitler ao poder, que a mão-de-obra para puxar o gatilho era na verdade abundante.
As necessidades dos planejadores da Nova Ordem Mundial são idênticas em natureza, mas muito maiores em abrangência. Enquanto Hitler precisou de mão-de-obra da matar seus 18 milhões, os planejadores da Nova Ordem Mundial precisam de mão-de-obra para matar 4 bilhões de pessoas.

Quais são os elementos na nossa sociedade que podem estar embrutecendo as mentes e as emoções da nossa juventude? Quais são os elementos comuns que alcançam todo país, de norte a sul, de leste a oeste e que possam manipular a população juvenil? Logicamente, nossa mídia de massa: TV, rádios, revistas, jornais, computadores, para citar apenas alguns. Você vê algo nessas mídias que possa embrutecer nossa juventude, que possa dessensibilizá-la?

A. Televisão

1) Desenhos Animados — provavelmente a mais violenta de todas as programações e que está dessensibilizando as crianças, que são jovens demais para conseguirem distingüir realidade de fantasia. Sabe-se que as crianças que assistem muitas horas de desenhos animados passam a reagir de forma violenta com as outras crianças;

2) Programas de Violência mostram "ações" de violência, mais violência e violência gratuita. Não há dúvida que a Bíblia condena esse tipo de programa.

* Em 2 Coríntios 13:11, Paulo diz: "Quanto ao mais, irmãos, adeus! Aperfeiçoai-vos, consolai-vos, sede do mesmo parecer, vivei em paz, e o Deus de amor e paz estará convosco." Deus quer que "vivamos na paz".

* Em Filipenses 4:8, o apóstolo Paulo nos adverte a vigiar o que entra na nossa mente: "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento."

É possível ver alguma "virtude" nesses programas violentos? Pais, é hora de proibir que suas crianças — mas especialmente as crianças mais vulneráveis, seus meninos — assistiam a esse tipo de programação. Você está insensibilizando seus filhos! Você os está entregando diretamente nas mãos dos planejadores da Nova Ordem Mundial. Você gostaria de saber, possivelmente no Tribunal de Contas de Cristo, que seu amado filho foi um dos matadores no exército do Anticristo? Muitos pais alemães, pessoas decentes e cristãs descobriram essa horrível verdade sobre seus filhos após o término da Segunda Guerra Mundial. Não permita que isso aconteça com você.

* Programas que mostram sexo ou insinuações sexuais Estes programas são terrivelmente prejudiciais e insensibilizam os jovens, que estão em formação. Os meninos adolescentes já estão naturalmente mais interessados em sexo, devido à ação dos hormônios e as mocinhas estão no auge da beleza. Nos dias atuais, já é difícil para os pais manter seus filhos puros, sem a contaminação com o lixo mostrado na programação da TV e no cinema. Em muitos casos, sem o conhecimento dos pais, as crianças rapidamente passam dos programas com insinuações sexuais para a pornografia suave ou pesada. Além disso, como conseqüência dessa influência, os rapazes começam a desenvolver uma cruel "mentalidade de usuário" em relação às mulheres.
B. Rádio

A mais cruel influência no rádio, e outros canais de áudio, é a música popular, especialmente a música Rock. O Rock e, especialmente, a MTV, tem uma grande responsabilidade pela insensibilização dos rapazes. Quais são os temas freqüentes na música Rock? Existem sete temas principais:

(1) Niilismo — uma atitude negativa em relação à vida, sem o oferecimento de soluções;

(2) Suicídio — é explicitamente encorajado;

(3) O homem é simplesmente uma máquina aperfeiçoada;

(4) Violência e rebelião;

(5) Sexo é o mais antigo dos temas. Os subtemas do Rock sexual são desagradáveis de mencionar, mas recomendo em seguida um bom livro para servir para consultas futuras;

(6) Espiritismo, ocultismo, e adoração explícita de Satanás. Ensina que todas as religiões são igualmente válidas. A feitiçaria padrão está em toda a parte nas letras;

(7) Glorificação do uso das drogas.

[Dan e Steve Peters, Why Knock Rock?, Bethany House Publishers, Minneapolis, Mn., 1984, p. 153-156. Veja também: The Devil's Disciples, Jeff Godwin, Chick Publications, Chino, CA, 1985, págs. 310-311.].

No Seminário 1, dedicamos em tempo considerável para demonstrar o efeito terrível que a música Rock tem na sociedade americana, e como foi utilizada para levar nossa juventude a praticar os valores do satanismo. No entanto, para os propósitos deste artigo, é igualmente verdade que o desenvolvimento da música Rock também seguido pela Etapa 1 do Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento ocorreu em meados dos anos 60, quando o Rock suave da era Elvis Presley, influenciado pela música Country, mudou radicalmente, com o advento dos Beatles. Os Beatles cantavam músicas que glorificam as drogas e o misticismo oriental. O público ficou chocado com essa mudança radical. [Etapa 2] Mas, em seguida, outras pessoas levantaram-se para defender o direito da moçada de ouvir o que quisessem. [Etapa 3] A repetição contínua neutralizou a resistência das pessoas, fazendo os Beatles e outros grupos encherem estádios em suas apresentações. Em seguida, as Etapas 5 e 6 ocorreram tão rapidamente quanto um piscar de olhos. Hoje, os Beatles têm reconhecimento público e ninguém vê nada de errado na música deles. Assim, os valores e o comportamento deles, tão presentes em sua música, estão alcançando mais pessoas jovens do que nunca!

Depois, no início até meados dos anos 70, o mesmo Plano das Seis Etapas ocorreu quando bandas de Rock mais macabras entraram em cena. Exemplos são o K.I.S.S., cujos trajes e letras pareciam tão satânicos. Outros músicos, como Ozzie Osbourne, tentaram chocar as pessoas com seu comportamento extravagante, sua aparência e as letras. As pessoas ficaram horrivelmente chocadas [Etapa 2], mas passamos pelas Etapas 3 e 4 rapidamente. Hoje, completamos a Etapa 6, que é a aceitação total e essa música satânica é amplamente consumida e ninguém mais parece estar preocupado.

Pais, se seu filho está ouvindo música Rock, você precisa tomar uma ação enérgica e proibi-la de entrar na sua casa, não importando qual seja a reação do filho. Ele está sendo insensibilizado e sua alma está sendo levada para longe do amor e da paz de nosso Senhor Jesus Cristo. Ore, ore e ore mais, depois ataque a música Rock que seu filho está ouvindo!

C. Computadores — Têm uma grande influência nas crianças, tanto meninos quanto meninas, insensibilizando-as, mas, novamente, parece que os meninos recebem um impacto maior. Os jogos de ação no computador são muito violentos e muitos deles usam símbolos do ocultismo. Jogos que mostram pessoas sendo detonadas por bombas, que mostram indivíduos e grupos lutando fisicamente são também exemplos do tipo de estímulo que embrutecem os corações e mentes de suas vítimas. A Internet também está repleta de material vil, de pornografia suave às perversões sexuais, violência, conversas com estranhos sobre tudo o que se pode imaginar, de modo que você também precisa ter o controle sobre essa mídia que seu filho utiliza.

D. Revistas — Colaboram na insensibilização das crianças e dos jovens. Não somente promovem a violência, mas também estimulam os meninos e meninas a pensarem apenas em si mesmos e a serem egoístas. As revistas voltadas para as adolescentes desenvolvem uma atitude narcisista nas jovens leitoras. Além disso, as revistas de 'detetive' são tão explícitas nas histórias sobre crimes contra a mulher, que os estudos já comprovaram uma ligação delas com crimes reais contra mulheres.

E. Revistas em Quadrinhos são muito satânicas atualmente. As ilustrações, enredo e temas parecem estar muitos próximos da música Rock. Quanta mudança desde os meus tempos, quando os quadrinhos eram as histórias do Super-Homem/Batman. Hoje, o ocultismo, a violência e o sexo pervertido parecem ser os assuntos do dia.

Já discutimos até agora as influências que a mídia de massa exerce sobre os jovens. Na maioria desses casos, o Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento está sendo seguido de perto. Mas e daí? Você diz. Não podemos ser tão influenciados assim pela mídia, certo? Leia as estatísticas a seguir e depois me diga qual é o impacto potencial que a mídia de massa pode ter em nossas vidas diárias com essas técnicas sofisticadas.

Diariamente, o americano médio:

*Identifica de 20 a 30 mil palavras impressas, das 70-80 mil às quais é exposto;
*Ouve 75 minutos de rádio, recebendo ainda mais algumas milhares de palavras;
*É exposto a outras 70-80 palavras em 6.5 horas com a TV ligada;
*É exposto a mais de 500 mensagens de publicidade diariamente;
*Esses anúncios nos bombardeiam com 100 mil palavras. (Wilson Bryan Key, Subliminal Seduction: Ad Media's Manipulation of a Not So Innocent America, New American Library, New York, NY, 1981, pág. 79).

Você percebeu que estamos sendo bombardeados com 100 mil palavras por dia, pelas várias propagandas na mídia de massa? Os executivos das grandes empresas compreendem isso, e é a razão porque estão dispostos a gastar bilhões de dólares anuais em verba publicitária. Não se engane, Satanás, o inimigo de nossas almas, está ao derredor, procurando a quem possa tragar. Não permita que ele trague sua alma, ou as almas de seus filhos preciosos. Lembre-se também que os planejadores da Nova Ordem Mundial sabem mais sobre o funcionamento intrincado de nossas mentes do que nós, e certamente mais do que deveriam saber. Não se apresse a rejeitar algo simplesmente porque parece ser "esquisito" ou extremado. Pesquise, como fizeram os bereanos diante da mensagem anunciada por Paulo, pesquisando as Escrituras para ver se a mensagem era coerente!

Esta é apenas uma lista parcial das muitas influências que estão dessensibilizando os jovens e levarão milhões deles no futuro a participar no Holocausto planejado onde aproximadamente 4 bilhões de pessoas estão marcadas para morrer. Tome uma atitude agora, no poder e na autoridade do Senhor Jesus Cristo, para recuperar seus filhos para o Senhor!!

4) Convencendo as pessoas a mudar dramaticamente seu estilo de vida

Você já observou que, nas últimas décadas, praticamente tudo do que gostamos de fazer, praticar, ou comer foi, uma vez ou outra, declarada como nociva? Tomar café, comer carne, peixe, praticar exercícios físicos, não praticar exercícios físicos, etc. tudo o que gostamos de fazer é declarado prejudicial! No início dos anos 70, antes de eu saber qualquer coisa sobre a vindoura Nova Ordem Mundial, comecei a rejeitar essas afirmações, simplesmente com base no bom senso. Se uma fração dessas afirmações fosse verdadeira, o povo americano estaria morrendo a olhos vistos, mas ao contrário, nossa expectativa média de vida continua a subir!

Mas, como apontei tão claramente nos nossos Seminários, a pauta de ações da Nova Ordem Mundial está estimulando todos esses temores. O objetivo é persuadir uma parte significativa da população que esse estilo de vida da Economia Industrial está nos destruindo e que o planeta não conseguirá sustentar por muito tempo. Assim, essas pessoas, convencidas voluntariamente, abrirão mão de seu estilo de vida, adotando um estilo de "Baixa Entropia". Esse estilo é a contracultura, em que os participantes vivem em um padrão muito baixo, alimentando-se com muita simplicidade, dirigindo carros velhos, ou de preferência não usando automóveis.

Lembre-se, que o plano final é dissolver a sociedade industrial atual, substituindo-a por uma sociedade agrícola como a que existia trezentos anos atrás. O estilo do índio americano naquela época é nosso modelo, e é a razão porque as lojas de presentes e de artigos de Nova Era oferecem tantos objetos de indígenas americanos. A outra razão é que a religião dos índios americanos é muito similar a do Movimento da Nova Era atual.

a) Tornar-se vegetariano

Um dos denominadores comuns dos grupos ocultistas de todas as eras é que ensinam e seguem uma dieta vegetariana. Hitler era um vegetariano fanático. A religião da Nova Era ensina o vegetarianismo. Grande parte da feitiçaria, tanto Branca quanto Negra, ensina o vegetarianismo. Hoje, grandes esforços de todos os tipos de grupos ambientalistas, agências estaduais e federais, estão unindo esforços para nos convencer que não é saudável comer carne.

O governo federal (nos EUA) está fazendo um esforço sério, por meio da regulamentação excessiva, com base em temores infundados. Você se lembra da "Doença da Vaca Louca" na Inglaterra? Aquele temor provocou o sacrifício de dezenas de milhares de cabeças de gado, embora o número real de vacas que realmente tinham a doença era somente 10! Sempre que você vir um artigo atacando o consumo de carne, ou sobre a falta de condições sanitárias adequadas nos abatedouros e nas indústrias de processamento de carne, simplesmente compreenda que está vendo a operação do Plano da Nova Ordem Mundial para modificar o estilo de vida de todos na terra para uma dieta vegetariana.

b) Aceitar a eliminação de nossa Economia Industrial, e voltar à economia agrícola de 300 anos atrás — o livro de Al Gore, A Terra em Balanço é o maior exemplo da operação desta parte do Plano. Gore regularmente ataca muitas das facetas do nosso atual padrão de vida. Ele continuamente chama esse estilo de vida industrial de 'insustentável' e chama a indústria automobilística de a maior ameaça ao planeta que a humanidade já enfrentou. Compre esse livro, leia-o e chore. Ele está repleto de 'fatos' e 'números', a maioria dos quais não tem notas de rodapé e apela terrivelmente às emoções. Ele pinta um quadro falso que a humanidade está prestes a destruir o planeta, a não ser que adotemos logo a Nova Ordem Mundial.

Se você digitar "New Age" ou "Nova Era" em qualquer sistema de buscas na Internet, encontrará esses temas em abundância. Eu o encorajo a ler, depois enviar via correio eletrônico para mim as coisas importantes que encontrar, já que eu sozinho não posso acompanhar tudo. Muitas pessoas que lêem os artigos escrevem para mim, sugerindo que visite determinados sites e acho isso muito útil para minhas pesquisas. Alterar nossos estilos de vida é uma parte do Plano que você verá muito nas notícias do dia-a-dia.

c) Ambientalismo extremado — Isto é, destruição da camada de ozônio, aquecimento global, resfriamento global, destruição das florestas, desaparecimento de cardumes de peixes, mentiras sobre a impureza na água, poluição de lagos e fontes — só tenho a lhe oferecer o Plano conforme foi esquematizado da metade para a quarta parte final do século 18:

"Quando chegarmos ao nosso reino [Nova Ordem Mundial], nossos oradores exporão grandes problemas que deixarão as pessoas seriamente preocupadas e para trazê-las, no final, ao nosso domínio benevolente. Quem suspeitará, então, que todas aquelas pessoas foram manipuladas por nós, de acordo com um plano político que passou despercebido durante vários séculos? {Protocolos dos Sábios de Sião, Protocolo 13}

Essa citação, de algo que foi escrito mais de 200 anos atrás, é tudo o que você precisa lembrar ao considerar as afirmações sobre questões ambientais. Uma "crise" global exige a ação de um governo global, e este, amigos, é o Plano.

Sempre que leio um artigo ou ouço uma notícia sobre um desses assuntos, fico irritado com as mentiras. Fique ciente que o Fundo para a Defesa do Meio Ambiente, o Grupo de Trabalho dos Recursos Ambientais, ou seja lá qual for o nome da organização, é uma agência da Nova Ordem Mundial. Todos os informes que publicam são falsos, mas objetivam convencer a população que o "céu está caindo sobre nossas cabeças" em questões ambientais. A mídia de massa continua a apresentar esses grupos com uma face limpa, dando-lhes um manto de respeitabilidade e confiabilidade.

5) Modificar as Crenças Religiosas das Pessoas

a) Desacreditar o Cristianismo — A indústria do cinema, os programas de TV, escândalos, cristãos liberais que atacam os fundamentalistas, a imprensa.


Não precisamos falar muito para convencê-lo que a mídia constantemente mostra os cristãos de uma maneira depreciativa. Nos filmes e nas comédias de situação, os cristãos são sempre retratados como indivíduos fronteiriços, quase loucos, ou como pervertidos. Os líderes cristãos e os pastores são o alvo predileto.

No entanto, ultimamente, o alvo mudou e se estreitou um pouco. As principais denominações cristãs (luterana, batista, presbiteriana, para citar apenas algumas) participam do Movimento Ecumênico, como tipificado pelo Conselho Mundial de Igrejas. Esses grupos estão buscando o vindouro sistema religioso global do Falso Cristo, uma posição que o Plano da Nova Ordem Mundial assegurou para o papa da Igreja Católica.

Portanto, o cristianismo liberal não representa mais uma ameaça para o Plano da Nova Ordem Mundial. Somente aqueles chatos fundamentalistas, das igrejas evangélicas que seguem a Bíblia é que ainda representam um obstáculo. Portanto, somos agora o alvo para uma estereotipagem insidiosa. Você já observou que, a partir de meados da década de 80, a mídia começou a chamar os terroristas árabes de "fundamentalistas"? Os terroristas árabes não são seguidores "fundamentalistas" do Islamismo. Já li muitas declarações de líderes árabes negando que o Alcorão ensine o terrorismo praticado pelos grupos liderados e armados pelo Irã e pela Líbia. No entanto, acreditamos que essa inteligente associação entre terroristas árabes "fundamentalistas", que todos detestam e condenam, com os cristãos "fundamentalistas" é o estereótipo que convence muitos americanos que, na análise final, somos tão perigosos à sociedade quantos os terroristas árabes. Na verdade, você vê este estereótipo mais claramente quando a mídia automaticamente denuncia todo o cristianismo "fundamentalista" pelos ataques à bomba contra as clínicas de aborto. Não se engane: nós, cristãos fundamentalistas que cremos na Bíblia estamos sendo sistematicamente desacreditados nas mentes de muitas pessoas. Em breve, poderemos chegar ao ponto crítico que somos perigosos e que a sociedade precisa nos dar um corretivo. Quando a Convenção Batista do Sul e a Igreja do Nazareno assinaram o Acordo com a Igreja Católica Romana, nós, fundamentalistas, passamos a ser uma "minoria que pode ser perseguida". Em outras palavras, nosso número agora é pequeno e podemos ser perseguidos e eliminados.

b) Crenças religiosas da Nova Era sendo divulgadas por meio de vários canais

Cinema e programas na TV, Guerra nas Estrelas, Jornada nas Estrelas, Arquivo X, Millenium.

Livros, como os de Shirley MacLaine, Michael Jordan e Paulo Coelho.

Música Rock e música New Age.

c) Condicionamento para aceitar a legalização das drogas

Não se surpreenda por eu ter incluído este tópico em "Mudanças na Religião". Outro denominador comum dos diferentes grupos ocultistas de todas as eras é o uso de drogas. As drogas são essenciais para a prática da Nova Era e da feitiçaria, e é certo dizer que, se não existissem as drogas, não haveria a feitiçaria! As drogas ajudam dramaticamente na "expansão da consciência de uma pessoa", o que realmente significa duas coisas: 1) Aniquila a moral e os dogmas religiosos anteriores, e 2) Abre o coração, alma e mente da pessoa para maior influência demoníaca.

A partir de 1988, o ex-Secretário de Estado George Schultz, servindo na Administração Reagan, chocou o mundo quando propôs a legalização das drogas, em uma importante palestra. Certamente, isso pode ser qualificado como a Etapa 1 no Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento e observei isso nos meus seminários e no programa de rádio. Previsivelmente, a Etapa 2 foi iniciada pela proposta de Schultz, pois as pessoas ficaram pasmadas. Logo, as Etapas 3 e 4 foram completadas. Desde então, muitas pessoas 'influentes', de todos os setores da sociedade, incluindo da medicina, vieram em defesa da radical proposta de Schultz. O Estado da Califórnia legalizou recentemente o uso da maconha por razões 'médicas' e Massachusetts deve adotar a mesma medida. Logicamente, essa é apenas a ponta do iceberg. Logo, a maconha será legalizada em muitos Estados, até que, finalmente, o governo federal intervenha na questão.

Por agora, você pode desconsiderar totalmente a oposição do presidente Clinton à legalização na Califórnia. Sabemos que isto está em sintonia com o programa da Nova Ordem Mundial, que é a razão porque muitas pessoas estão confusas com a oposição dele à legalização da maconha na Califórnia. No entanto, se você compreender o funcionamento da Etapa 4, no Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento, compreenderá facilmente porque ele está "contra" a proposta. Veja, a Etapa 4, repetição contínua por meio do Conflito Controlado, é tão importante em modificar com sucesso os valores e atitudes das pessoas que, se não houver um opositor natural ao assunto controverso, alguém precisa ir à frente para "se opor" a ele. Isso cria o Conflito Controlado", produzindo a necessária 'repetição contínua' para modificar as mentes das pessoas". O presidente Clinton está cumprindo esse papel com perfeição. Sua inesperada "oposição" à legalização da maconha na Califórnia simplesmente estimula o debate. E o debate convence mais pessoas hoje que aquela idéia radical deve ser adotada.

O processo é insidioso, não?

d) Condicionamento para aceitar a legalização de outros crimes

* Assassinato

A doutrina da Nova Era ensina que não existe 'assassinato'. Quando alguém é assassinado, seu espírito "volta para o ciclo de reencarnação" mais cedo do que teria ido. Pode até ser que isso seja um 'favor' à vítima, se aquela pessoa estava vivendo uma vida sem dignidade humana, ou se estava enfrentando muitos problemas. Esses problemas podem ser um sinal que a pessoa estava simplesmente vivendo um "Carma ruim" que tinha se acumulado em suas vidas passadas!

No entanto, há outra razão porque os neo-satanistas ensinam que não devem existir leis sobre o assassinato; o Deus da Bíblia judaica originou a proibição e eles pretendem desfazer tudo o que Ele instituiu! Deus disse que isso aconteceria nos últimos dias. "Proferirá palavras contra o Altíssimo... e cuidará em mudar os tempos e a lei." Daniel 7:25) O contexto dessa seção em Daniel é claramente sobre o fim dos tempos e o Reinado do Anticristo. A profecia diz que o Anticristo tratará de mudar os tempos e a lei. Essa é a verdadeira razão pela qual essa lei será modificada.

Na verdade, todos os Dez Mandamentos serão modificados, ou por leis escritas ou por prática. Por exemplo, vemos hoje que o nome de Deus freqüentemente é tomado em vão na conversação diária. Não há nenhuma lei contra isso e a profanação a Deus na linguagem diária é comum. O mesmo se aplica ao mandamento que diz para honrar o pai e a mãe. Vemos hoje um total desrespeito aos pais e leis foram aprovadas que interferem na disciplina das crianças; por exemplo, um pai não pode proibir sua filha menor de idade que tenha engravidado de fazer um aborto, pois o Estado intervém em defesa dela. No entanto, alguns pais podem proibir a escola em que seus filhos estudam de lhes dar uma simples aspirina sem permissão! Essa situação é totalmente maluca e caótica.

* Prostituição

Elementos da Nova Era são ansiosamente tentando legalizar a prostituição. Freqüentemente vemos artigos sobre isso nos jornais, revistas e na TV. Os autores desses artigos chamam a prostituição de 'crime sem vítima' e argumentam que não devemos tentar 'legislar sobre moralidade'. O que? Não legislar sobre moralidade? Mas as leis sempre foram redigidas para fazer isso! O assassinato é considerado imoral, como também o furto, e a mentira; portanto, as leis foram criadas para proibir esse tipo de comportamento. Eles não querem que as leis morais dos Dez Mandamentos e do Pentateuco tenham qualquer influência sobre as leis adotadas pela sociedade. Estamos apenas vendo o início disso nas notícias do dia-a-dia. No artigo N1054, mostramos que os programas de TV e filmes do cinema mostram regularmente cenas de sexo. Isso não é a anulação do mandamento sobre o adultério em Êxodo 20:14? É claro que sim, e nossa cultura já despreza totalmente essas proibições de Deus. Nesta área da prostituição, a TV e o cinema cumprem seu papel de convencer as pessoas que aquilo não é errado, por exemplo, criando filmes como "Uma Linda Mulher", sobre uma prostituta que é abordada na rua por um milionário, que acaba se apaixonando por ela. O filme mostra a prostituição como uma atividade absolutamente 'normal'.

A prostituição é uma violação do mandamento sobre o adultério, que é definido como qualquer atividade sexual fora do casamento. No entanto, se você quiser ver como Deus encara a prostituição especificamente, leia estas passagens bíblicas: [Provérbios 3:13-22; 5:3-23; 7:5-27] Esse último verso é muito instrutivo, pois mostra como Deus vê a casa onde uma prostituta mora e 'trabalha': "A sua casa é caminho para a sepultura, e desce para as câmaras da morte."

Observe as notícias diariamente, e você verá todos os Dez Mandamentos, bem como todas as demais proibições de Deus no resto do Pentateuco sendo rejeitados como leis anacrônicas e irrealistas.

6) Condicionamento para aceitar a existência de seres extraterrestres

Esta situação está ficando ridícula!! Depois de vários anos apresentando filmes de segunda categoria sobre seres estranhos de outros planetas, Jornada das Estrelas, Guerra nas Estrelas, TV e cinema, estamos sendo sufocados com todos os tipos de filmes e programas e pseudodocumentários sobre extraterrestres, vida em Marte e em outros planetas e um crescente ocultismo em tudo. Listamos alguns desses programas a seguir:

a) Filmes e programas na TV, como por exemplo, Guerra nas Estrelas, Jornada nas Estrelas, Arquivo X, Millenium;

b) Revistas em quadrinhos, livros de ficção científica;

c) Relatos de 'testemunhas oculares'.

O que está acontecendo aqui? Iniciemos com alguns fatos.

1) Primeiro, uma admissão dos próprios aderentes da Nova Era:

"Em 1982, Michael London, do jornal LA Times, reuniu um grupo de oito pessoas que afirmavam ter encontros com óvnis e extraterrestres para uma apresentação especial do filme E. T., de Steven Spielberg. O jornalista observou as seguintes reações do grupo ao filme:

"Este é um filme verídico, não um romance. É parte de um PROCESSO DE CONDICIONAMENTO PARA PREPARAR A HUMANIDADE PARA A CHEGADA DOS EXTRATERRESTRES."

Quais seres alienígenas poderiam estar para chegar? Isso nos leva ao fato 2:

2) Quando o Anticristo aparecer, ele afirmará ser um Mestre Elevado, isto é, um ser extraterrestre totalmente amigo e que tem nossos melhores interesses em vista. Os líderes da Nova Era compreendem que uma crença nas afirmações do Anticristo serão aceitas mais facilmente e por mais pessoas, se elas tiverem sido condicionadas a acreditar na existência de extraterrestres bonzinhos!


3) Esta é a razão por que os pesquisadores, até mesmos os seculares, como Jaques Vallee, descobriram que os alienígenas estão ensinando ocultismo e doutrina da Nova Era, para aquelas pessoas que afirmam terem sido visitadas e/ou levadas por eles. Vallee verificou que todas essas pessoas contam a mesma história. Além disso, o que elas aprenderam durante o tempo em que estiveram em contato com os 'alienígenas' é doutrina de Nova Era padrão! Vallee até mesmo descobriu que os alienígenas estavam ensinando os mesmos seis objetivos fundamentais que o Comunismo e os Illuminati ensinam há anos! [Messagers of Deception: UFO Contacts and Cults, de Jacques Vallee]. Lembre-se que esse homem não é um cristão, mas é um cientista objetivo;

4) Vallee também descobriu que os alienígenas ensinam práticas ocultistas padrões aos seus 'hóspedes', como as experiências de sair do próprio corpo, telepatia mental, escrita automática, uso de cristais para obter energia e muito mais;

5) William Cooper, autor de livros sobre Nova Era também explica a razão pela qual os alienígenas são uma parte importante do Plano para a Nova Ordem Mundial. Desde a Torre de Babel, Deus tem usado a existência de nações soberanas separadas como um obstáculo importante para impedir a união da humanidade em um governo global. No livro Behold a Pale Horse (leia a resenha) pág. 27, Cooper diz:

"... desde 1917 as sociedades secretas planejavam inventar uma ameaça artificial vinda do espaço exterior para fazer a humanidade unir-se em um governo global, que chamam de Nova Ordem Mundial."

Você se lembra do programa de rádio "Guerra dos Mundos", em que Orson Wells convenceu seus ouvintes que os marcianos existiam e que estavam invadindo a Terra? E o filme "Independence Day?"

A realidade chocante é que Satanás está manipulando os eventos do mundo para criar um governo, uma economia e uma religião global, e está usando as sociedades secretas, o comunismo, a Nova Era e os óvnis. A fusão total que gerará a Nova Ordem Mundial está quase completada. Além disso, os seres alienígenas e as naves espaciais não são nada mais que demônios que receberam do Espírito Santo de Deus a permissão de, nesta época final, manifestarem-se fisicamente no nosso reino. Os alienígenas não existem, são demônios disfarçados.

Finalmente, eles estão planejando permitir que o Anticristo realize muitos sinais e maravilhas da mentira durante o tempo da sua atuação. Não se engane. A simples enxurrada de tantos programas sobre extraterrestres e discos voadores é outra prova que o aparecimento do Anticristo está muito próximo.

Outra questão sobre a qual gostaríamos de abordar, é a suposta 'descoberta' de 'vida' em Marte. Discutimos isso no nosso artigo N1029. Vários anos atrás, fiquei sabendo do plano de 'descobrir' vida em Marte no fim do Período Preparatório que levará à Nova Ordem Mundial. As razões para criar esse mito são aumentar ainda mais a credibilidade desses programas sobre alienígenas e óvnis e destruir o sistema de crença judaico-cristã, que afirma claramente que Deus criou um mundo totalmente distinto na Terra, com pessoas criadas à sua imagem, a quem Jesus Cristo veio redimir dos pecados. Toda essa estrutura de crença cairia em ruínas se as pessoas fossem levadas a acreditar em vida em Marte!

Mais uma coisa, não creia no mito cuidadosamente criado que a NASA [National Aeronautics and Space Administration] é uma organização científica objetiva interessada apenas em fatos científicos reais. Nada poderia estar mais longe da verdade. A NASA é uma agência do governo federal norte-americano que está em total sincronismo com os planos e propósitos da Nova Ordem Mundial. Campanhas cuidadosas de publicidade foram feitas que retratam esse quadro de objetividade científica; do mesmo modo, jornais, revistas e TV publicam esse mesmo tipo de publicidade, alardeando ainda sua 'objetividade' e o 'jornalismo profissional' que praticam. Por quê? Porque a pesquisa mostra que a audiência mais provavelmente acreditará nas matérias se tiverem primeiro sido condicionadas a acreditar na 'objetividade' da emissora. Não se engane.

7) Modificando Fundamentalmente Nosso Sistema de Governo

Aqui está o Plano da Nova Ordem Mundial em sua essência. Para que os EUA e os outros países entrem no governo global final da Nova Ordem Mundial, precisaremos dissolver nosso atual sistema de governo do povo, que é garantido pela Constituição. No entanto, essa tremenda mudança precisa ocorrer com o consentimento popular!! Agora, você pode perguntar, por que qualquer pessoa razoavelmente inteligente estaria disposta a apoiar a dissolução de um sistema de governo que nos oferece liberdades e garantias individuais e que têm permitido liberdade de expressão e a busca da felicidade e da prosperidade?

A primeira etapa é criar uma classe inteira de cidadãos que não pensem. Por esse motivo, o Plano da Nova Ordem Mundial concebeu a tomada do controle do sistema escolar norte-americano, no início do século 20 e gradualmente 'emburreceu' o currículo. Como todo mundo sabe, isso foi feito de forma muito competente. Quando a população começa a reclamar para os deputados e ministros da queda nos níveis acadêmicos, a resposta deles é culpar tudo e todos pela bagunça e propor a alocação de mais verbas como solução! Estamos agora no ponto em que dezenas de milhões de jovens e crianças mal sabem ler e escrever e não sentem prazer algum em ler jornais e revistas para se manter informados. Tudo o que querem é assistir televisão, filmes e, se receberem alguma notícia, é por meio da televisão, que é totalmente controlada pelos interesses da Nova Ordem Mundial.

Os homens estão interessados apenas em esportes ou pelo computador, e as mulheres só se interessam por novelas e a leitura de revistas de moda e beleza. Estamos no ponto descrito no livro de Nova Era Behold a Pale Horse (leia a resenha), de Bill Cooper:

"A experiência prova que o método mais simples de... ganhar controle do público, é mantê-lo indisciplinado e ignorante dos princípios básicos do sistema e, ao mesmo tempo, mantê-lo confuso, desorganizado e distraído com assuntos supérfluos. Isso é obtido por: 1) desengajamento das mentes; sabotando suas atividades mentais; oferecendo um programa de baixa qualidade para o ensino da matemática, da lógica, do projeto de sistemas e da economia; desencorajando a criatividade técnica. 2) estimulando suas emoções, o hedonismo e a indulgência em atividades emocionais e físicas dos seguintes modos: a) afrontas e ataques emocionais constantes — estupro mental e emocional — por meio de uma enxurrada de filmes com cenas de sexo, violência e imagens de guerra na mídia, especialmente na TV, cinema e jornais. b) dar-lhe os que desejam — em excesso — 'lixo para ocupar suas mentes' — e privando-os do que realmente necessitam. 3) Reescrever a história e a lei, e sujeitar o público a uma arte degradada... A regra geral é que há lucro na confusão; quanto maior a confusão, maiores os lucros. Portanto, a melhor abordagem é criar problemas e depois oferecer a solução... Mantenha o público ocupado, ocupado, ocupado, sem tempo de parar e refletir; de volta na fazenda com os outros animais irracionais." [págs. 56-57].

Se você estudar atentamente esse discurso, encontrará o gênesis de muitos, talvez da maioria, dos problemas que nossa sociedade enfrenta atualmente.

Mas, voltando a esse Plano de dissolver nosso maravilhoso sistema de governo, substituindo-o com a maior de todas as ditaduras na história mundial por meio do Anticristo e da Organização das Nações Unidas, e fazendo isso com a aprovação entusiástica da população. Como isso poderá ser feito? Convencendo-nos que nosso sistema atual não funciona.

A educação é a primeira chave, para produzir cidadãos emburrecidos, como citado anteriormente. Isso já foi obtido em grande parte. Lembro-me de ter ouvido os resultados de uma pesquisa feita anos atrás, na qual os alunos de curso colegial nos EUA foram solicitados a descrever as diferenças entre o sistema americano de governo e o sistema comunista russo. Quase a maioria dos alunos respondeu dizendo que não havia diferença e os demais mal podiam descrever algumas diferenças!

Os escândalos na administração pública são outro modo de atingir esse objetivo. Listamos algumas das áreas de escândalos a seguir. Abra os jornais do dia, as revistas ou ligue a TV e verifique você mesmo.

* Mau uso do poder político

Quando o eleitor continua a reeleger candidatos que não cumpriram promessas de campanhas anteriores, você pode ver como o povo não sabe votar. Quando os candidatos fazem mau uso dos fundos para a campanha, e recursos governamentais são utilizados para beneficiar o bolso privado, e ainda assim conseguem se reeleger, ou manter sua posição nas pesquisas, você novamente pode constatar o quanto a população não sabe pensar criticamente. Quando os políticos podem contar grandes mentiras, muitas das quais são depois desmascaradas, e mesmo assim conseguem se reeleger, você vê que a população está pronta para a matança! Tudo o que essa população precisa é ser levada ao matadouro. De acordo com o Plano, isso ocorrerá durante uma série de 'crises' planejadas.

* Gastos maiores do que a arrecadação e tributação excessiva

Quando o público tolera o alto nível de tributação — em todos os níveis da administração pública, você sabe que estamos prontos para a servidão. Por quê? Já demonstramos a disposição da população de se submeter à servidão econômica! Não importa que o jornalismo investigativo descubra de tempos em tempos vários exemplos de desperdício do dinheiro e dos recursos, a população sempre acaba reelegendo os políticos que foram responsáveis por aquele descalabro! Mas na verdade, esse tipo de jornalismo também se encaixa bem com o Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento! Portanto, os jornalistas que fazem a exposição sabem que estão colaborando com esta parte do Plano da Nova Ordem Mundial, de modo a enojar as pessoas e fazer com que percam a confiança no sistema de governo atual e venham a aceitar a alternativa que será oferecida pela Nova Ordem Mundial; particularmente, quando essa oferta for feita pelo super-homem, o Anticristo, que assombrará a todos com seu poder, sua personalidade, seus sinais e maravilhas. Esse cenário está sendo montado e, em breve, o Anticristo fará sua oferta para que a população permita modificar o governo e passe a confiar nele e na sabedoria dos 'Mestres Elevados'.

* Exemplos consistentes de impropriedade sexual, envolvendo homossexualidade e heterossexualidade

Isto é auto-explicativo. No entanto, um novo fator emergiu com o presidente Clinton. Suas pilantragens estão bem documentadas e ele é o único presidente na história a ser processado, com uma grande quantidade de evidências apresentadas aos tribunais. As pesquisas mostram que os americanos crêem nas acusações, pelo menos em parte. No entanto, mesmo assim, Clinton foi reeleito, por uma grande margem de votos! Como isso pode acontecer? Trinta anos atrás, os políticos americanos seriam derrotados nas eleições, ou removidos do cargo, se apenas uma fração dos escândalos que existem sobre Clinton fosse imputados a eles. No entanto, Clinton foi reeleito e as pesquisas mostraram que muitos eleitores jovens não mudaram sua opinião favorável a ele só por causa dessas impropriedades sexuais e financeiras. As pesquisas revelaram dois fatores em operação aqui. Primeiro, muitos eleitores tinham praticado, em suas vidas, as mesmas coisas das quais Clinton estava sendo acusado. Segundo, os eleitores que expressaram desconsideração pelos escândalos disseram que estavam apenas interessados 'naquilo que realmente importa'; em outras palavras, estavam meramente interessados no que o governo pode fazer por eles.

Agora, os planejadores da Nova Ordem Mundial sabem que, de acordo com os escritos de Cooper, mencionados anteriormente, o sistema de valores do povo americano já foi suficientemente modificado e permitirá que as mudanças econômicas e políticas sejam implementadas na ditadura do Anticristo.

8) Condicionando o público a aceitar a marca da Besta

Com base em Apocalipse 13:16-18, os estudiosos da Bíblia, têm consistentemente declarado sua crença que o único modo em que essas profecias poderiam ser cumpridas é se a economia durante o reinado do Anticristo não utilizar o papel-moeda. Antes do advento dos computadores, ninguém tinha a menor idéia sobre como isso poderia ser feito. Até mesmo os autores ocultistas estão agora falando sobre a necessidade de termos um sistema econômico sem a circulação de dinheiro na Nova Ordem Mundial.

O primeiro sistema de compra e venda sem o uso de dinheiro foi o sistema de pagar as compras e as contas com cheque. Em seguida, outros sistemas foram implementados, cada um dos quais nos condicionou um pouco mais a aceitar o pagamento por meio eletrônico, comprando e vendendo sem o uso de dinheiro. Listamos alguns desses sistemas a seguir. Precisamos destacar, antes de discutirmos esses três sistemas, que a promoção que está ocorrendo com cada um deles segue perfeitamente o Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento. Nos anúncios de cartões de crédito e de débito, a ênfase se tornou global, mundial. Na verdade, na próxima vez que você estiver assistindo TV, observe quantos anúncios enfatizam a abrangência global do produto ou serviço. Você ficará surpreso:
 
a) Promoção do cartão de crédito

Existe hoje uma proliferação grande de cartões de crédito. O que era uma idéia radical quando surgiu, hoje está totalmente assimilado na economia. No entanto, o cartão de crédito é apenas o precursor do cartão de débito.

b) Promoção do cartão de débito

Os cartões de débito automaticamente retiram fundos da sua conta corrente ou da poupança para o pagamento de compras ou contas. Quando foram lançados, muitas pessoas olharam com ceticismo. Hoje, as máquinas de caixa automático estão em toda a parte. Assim, agora, muitas pessoas usam os cartões de débito, fornecidos pelos bancos, e máquinas especiais para a leitura existem em quase todas as lojas.

No entanto, há um grande problema com o uso de cartões de crédito e de débito na nossa economia. Os ladrões estão roubando e clonando os cartões. Algum dia, após o aparecimento do Anticristo, ele promoverá o impensável: a inserção de minúsculos microcircuitos eletrônicos sob a pele, ou na mão direita ou na testa das pessoas. Todos passarão a comprar e vender com esses dispositivos, que serão lidos por um scanner nos caixas das lojas.

A razão porque cremos que esse evento ocorrerá somente após o aparecimento do Anticristo é que os escritores da Nova Ordem Mundial já deixaram claro: receber a marca do Anticristo — marca da primeira besta — ocorrerá durante um Ritual Luciferiano de Iniciação Global. Toda a população será reunida para declarar sua confiança e lealdade espiritual ao Anticristo. Como sinal do voto de confiança, elas receberão essa marca eletrônica. Portanto, todos saberão que estão recebendo a marca devido a sua decisão espiritual de aceitar o Anticristo. Portanto, Deus estará totalmente justificado em condenar cada pessoa que receber a marca da Besta e em lançá-la no lago de fogo. [Apocalipse 14:9-11].

No entanto, nos meses que antecederem essa Iniciação Satânica, toda a mídia do mundo tentará convencer a população a aceitar a marca. Além de dizer que a marca é um símbolo de lealdade ao 'Cristo da Nova Era', ela promoverá os outros benefícios, um dos quais é acabar de vez com o roubo e a clonagem de cartões, como discutimos anteriormente. Quando essa campanha for iniciada, você pode ter as seguintes certezas: 1) Outros 'benefícios' serão descobertos. 2) O Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento será usado poderosamente durante a promoção. Quando a Iniciação Luciferiana começar, todas as pessoas não-salvas no mundo serão convencidas que precisam receber a marca. Na verdade, as pessoas estarão tão imensamente convencidas que mostrarão grande entusiasmo quando receberem a marca, o mesmo entusiasmo que demonstram durante os jogos de futebol e de basquete!

c) Microcircuitos para uso veterinário sendo usados e promovidos

Quando essa campanha começou, eu a vi como um sério sinal que estamos, realmente, na iminência do aparecimento do Anticristo. Esse dispositivo eletrônico de identificação para nossos animais de estimação é o precursor da marca da Besta. O simples fato que vemos essa marca implantável para animais disponível no mercado, é um forte sinal, entre muitos outros, que o aparecimento do Anticristo está muito próximo.

Este artigo foi o mais longo que já escrevemos até aqui, pois o Plano das Seis Etapas para a Mudança do Comportamento está sendo usado em muitas áreas da sociedade, para nos condicionar às muitas vias para o vindouro reinado do Anticristo. Agora que sabe o que está acontecendo, você precisa tomar uma ação corretiva, começando com a reconciliação com o Senhor Jesus Cristo. Esta é uma guerra espiritual, de uma ferocidade e abrangência sem precedentes.

Extraído de Espada.eti.br

“Dia da Terra”, 1970: as 13 mais ridículas previsões

Por Jon Gabriel No último sábado, 22 de abril, foi celebrado o “Dia da Terra” – um evento anual lançado pela primeira vez em 1970. As...