segunda-feira, 17 de maio de 2010

Chantagem: Como a elite dominante controla os políticos



Chantagem: Como a elite dominante controla os políticos

Por: Paul Joseph Watson

Prison Planet.com

26 de abril de 2010

Rumores de homossexualidade ao redor do senador Lindsey Graham revelam a razão central porque a vasta maioria dos membros do Congresso habitualmente apóia a legislação que é anátema para os interesses das pessoas que eles supostamente representam, porque os políticos raramente alcançam posições de influência sem estarem presos a uma forma ou outra de chantagem.

William Gheen da ALIPAC (Americanos pela Imigração Legal) provocou manchetes nacionais na semana passada durante um discurso em frente de milhares de apoiadores do Tea Party quando ele publicamente solicitou que Graham saía do armário e admita que é gay.

"William Gheen pediu ao senador Lindsey Graham para ser honesto com os eleitores americanos sobre seu estilo de vida homossexual para garantir que o desejo de Graham de guardar isso como um segredo não poderá mais ser potencialmente usado por pessoas do meio político para manipularem o comportamento de Graham," relata Before It's News. "Há muitos precedentes na política americana onde casos amorosos, corrupção, vícios e outras situações que os políticos queriam esconder foram usadas para manipulá-los com uma vantagem desleal."

"Quando você tem um senador americano de um Estado bastante conservador como a Carolina do Sul trabalhando de mãos dadas com Obama e os liberais de Nova York como Senador Schumer para passar uma lei de Anistia para imigrantes ilegais, há algo muito errado," disse Gheen. "Depois das transmissões nacionais de hoje, o público americano saberá o que pessoas do meio político de Washington sabem, esse foi meu objetivo."

O discurso de Gheen se tornou viral no Youtube e despertou um debate nacional sobre a sexualidade de Graham e se isso está sendo usado para chantageá-lo para empurrá-lo na grande agenda do governo.

O segredo aberto de que Graham é supostamente um homossexual explica porque ele constantemente apoia legislações e políticas que são quase universalmente detestadas pelo eleitorado da Carolina do Sul - taxas de carbono e a falsa agenda do aquecimento global, a reforma pró-anistia da imigração, bem como sua hostilidade em direção ao movimento Tea Party.

Graham tem sido rotulado um "Democrata forçado," um "traidor" e uma "desgraça" pelos conservadores por suas políticas e foi confrontado pela sua defesa do aquecimento global durante uma reunião na prefeitura em outubro do ano passado.

Esses golpes estão na própria raiz do porque o governo está quebrado - políticos podem fazer promessas vãs a vontade para o povo para serem eleitos, mas uma vez no gabinete eles mudam a direção e marcham na sintonia da elite dominante. É por isso que quase cada um deles tem algum segredo obscuro pelo qual eles podem ser chantageados se falharem em seguir o consenso de Washington.

Isso é precisamente o que temos testemunhado com o presidente Obama. A despeito de suas promessas de esperança e de uma mudança de direção da administração Bush, Obama tem seguido a mesma agenda com agressiva uniformidade - reclamando da guerra no Afeganistão enquanto expandia a do Paquistão, renovando a Lei Patriota, prolongando os grampos sem permissão e aumentando o tamanho do governo federal a níveis impensáveis enquanto prepara maciços aumentos de impostos.

A origem dúbia de Obama, não apenas a controvérsia do "berço" (o local de nascimento de Obama), mas o fato admitido de que seu nome real é Barry Soetero, tem sido manipulado pela elite dominante à perfeição. Embora nunca tenha sido comentado abertamente, o escândalo é mantido convenientemente borbulhando sob a superfície como uma ameaça de que se Obama alguma vez tentar ser um líder de verdade, seu legado será completamente destruído.

Um aspecto mais sinistro do mesmo processo de chantagem sendo exercida contra Obama é o fato de que ele é constantemente lembrado de que é um alvo para assassinato. Isso estava nas notícias novamente hoje com a história de um homem que foi preso carregando uma arma no aeroporto da Carolina do Sul enquanto o presidente Obama estava partindo a bordo do Air Force One.

Enquanto relatávamos no início desse ano, por toda a campanha presidencial, foi dito constantemente ao público que Obama era um alvo para assassinato e que sua segurança estava sempre em perigo, uma reivindicação que recebeu credibilidade depois de numerosos estranhos lapsos de segurança do serviço secreto em eventos públicos onde Obama realmente foi posto em perigo, seja intencionalmente ou de outro jeito.

A história dos "penetras" também serviu para aumentar a consciência sobre Obama ser vulnerável a ataques de pessoas que podem discretamente se esgueirar pela segurança e ficar face a face com o presidente de forma relativamente fácil.

É claro que os neoconservadores estão mantendo Obama refém e emitindo uma ameaça tenuemente velada pela repetição do mantra de que o único jeito de salvar sua carreira política e sua presidência é atacar o Irã. Há indubitavelmente uma montanha de sujeira sendo guardada no que diz respeito ao passado de Obama que está sendo usado para chantagear o presidente no prosseguimento da agenda da Nova Ordem Mundial - do mesmo jeito que com qualquer presidente antes dele.

Tornar-se presidente dos Estados Unidos e de fato ser eleito chefe de qualquer gabinete político proeminente não é uma oportunidade para mudar as coisas para melhor, é um negócio que os políticos fazem para seguir a agenda ou se eles não seguirem, terem cada complicação de suas vidas particulares expostas para a mídia atacar.

Ser tachado como homossexual, adúltero ou ter qualquer outro segredo pessoal exposto para a infindável excitação da imprensa é a punição mais leve que um político pode enfrentar por sair da linha. Se eles não têm suficiente sujeira neles que possa ser trazida para desacreditar seus nomes, então os métodos mais desagradáveis são usados todos juntos.

Chantagem é a razão primária porque aqueles em Washington consistentemente ignoram seus eleitorados e se empenham por políticas que agradam pouco ou não tem apoio da maioria dos americanos.

É por isso que o congresso tem uma taxa de aprovação de parcos 10 por cento. Nove em dez americanos acham que o congresso está fazendo um trabalho horrível. Essa falta de conexão entre os políticos e o povo não é meramente devido a corrupção inata, é primariamente porque os membros do congresso estão completamente comprometidos mesmo antes de assumir o cargo. Na maioria dos casos, políticos são destruídos pela mídia antes mesmo de serem eleitos se eles não tiverem sujeira que possa mais tarde ser usada para chantagem.

De fato, é por isso que foi permitido que fosse construído um culto da personalidade por trás de Obama para levá-lo ao cargo. É por isso que Wall Street derramou bilhões de dólares no fundo de campanha de Obama - porque eles sabiam que ele estava comprometido, poderia ser facilmente chantageado e, portanto, concordaria zelosamente com as ordens da elite bancária que ele obedientemente serve.


Nenhum comentário:

As 4 fases do Projeto Blue Beam