sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Jornalista registra acusações contra a OMS e as Nações Unidas por bioterrorismo e intenção de cometer assassinato em massa.

İsviçre Basel'deki Novartis binasıImage via Wikipedia

Jornalista registra acusações contra a OMS e as Nações Unidas por bioterrorismo e intenção de cometer assassinato em massa.

Por Barbara L. Minton, jornalista cidadã.

(NaturalNews) - como antecipava o comunicado de julho o compromisso da Baxter na abordagem da vacine da gripe A/H1N1, uma jornalista investigativa austríaca está alertando o mundo que o maior crime na história da humanidade está em andamento. Jane Burgermeister recentemente registrou acusações criminais no FBI contra a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Nações Unidas (ONU), e diversas das mais altas autoridades do governo e das corporações com respeito a bioterrorismo e tentativa de cometer assassinato em massa. Ela também preparou um mandado contra a vacinação forçada que foi entregue na América. Estas ações seguem suas acusações entregues em abril contra a Baxter AG e Avir Green Hills Biotechnology da Áustria por produzir vacina da gripe aviária contaminada, alegando que isto era um ato deliberado para causar e lucrar com a pandemia.

Sumário das declarações e alegações entregues ao FBI na Áustria em 10 de junho de 2009.

Em suas acusações, Burgermeister apresenta evidência de atos de bioterrorismo que estão em violação contra a lei dos Estados Unidos por um grupo operando dentro dos Estados Unidos sob a direção de banqueiros internacionais que controlam a Reserva Federal (FED), bem como a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Nações Unidas (ONU) e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Este bioterrorismo é com o propósito de levar a cabo um genocídio em massa contra a população dos Estados Unidos pelo uso de vírus da pandemia da gripe geneticamente modificado com a intenção de causar mortes. Este grupo tem incorporado altas autoridades do governo dos Estados Unidos.

Especificamente, é apresentada evidência de que o acusado, Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos, David Nabarro, coordenador do Sistema das Nações Unidas para a gripe, Margareth Chan, Diretora Geral da Organização Mundial da Saúde, Kathleen Sibelius, Secretária do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Janet Napolitano, Secretária do Departamento de Segurança Interna, David de Rothschild, banqueiro, David Rockefeller, banqueiro, George Soros, banqueiro, Werner Faymann, Chanceler da Áustria, e Alois Stoger, Ministro da Saúde da Áustria, entre outros, são parte deste sindicato corporativo criminoso internacional que tem desenvolvido, produzido, estocado e empregado armas biológicas para eliminar a população dos Estados Unidos e outros países para ganhos políticos e financeiros.

As acusações afirmam que estes acusados conspiraram uns com os outros para planejar, financiar e participar na fase final de implementação de um programa internacional secreto de bioarmas envolvendo as companhias farmacêuticas Baxter e Novartis. Eles fizeram isso modificando geneticamente e liberando agentes biológicos letais, especificamente o vírus da "gripe aviária" e o vírus da "gripe suina" com o objetivo de ter um pretexto para implementar um programa de vacinação em massa que seria o meio de administrar um agente biológico tóxico para causar morte e ferimentos às pessoas dos Estados Unidos. Esta ação está em violação direta da Lei de Armas Biológicas e Antiterrorismo.

As acusações de Burgermeister incluem evidências de que a Baxter AG, subsidiária austríaca da Baxter internacional, deliberadamente enviou 72 quilos de vírus vivos da gripe aviária, fornecidos pela Organização Mundial da Saúde no inverno de 2008 a 16 laboratórios em 4 países. Ela alega que esta evidência oferece uma clara prova de que as companhias farmacêuticas e as agências dos governos internacionais elas mesmas estão ativamente engajadas na produção, desenvolvimento, manufatura e distribuição de agentes biológicos classificados como as mais mortíferas armas biológicas da terra com o objetivo de disparar uma pandemia e causar mortes em massa.

Em suas acusações de abril, ela notou que os laboratórios da Baxter na Áustria, um dos supostamente mais seguros laboratórios de biossegurança do mundo, não aderiu a um dos mais básicos e essenciais passos para manter 72 quilos de um patógeno classificado como arma biológica seguro e separado de outras substâncias sob os rigorosos níveis das regulamentações de biossegurança, mas permitiu que fosse misturado com vírus da gripe humana comum e enviado de suas instalações em Orth no Donau.

Em fevereiro, quando um membro do quadro de Bio Test na República Tcheca testou o material dos pretensos candidatos a vacinas em furões, os furões morreram. Este incidente não foi seguido por uma investigação da Organização Mundial da Saúde, Estados Unidos, ou autoridades de saúde austríacas. Não houve investigação do conteúdo do material do vírus, e não há dados da sequência genética do vírus liberados.

Em resposta as questões parlamentares em 20 de maio, o ministro austríaco da saúde, Alois Stoger, revelou que o incidente tinha sido tratado não como uma falha de biossegurança, como deveria ter sido, mas como uma ofensa ao código veterinário. Um médico veterinário foi enviado ao laboratório para uma breve inspeção.

O dossiê de Burgermeister revela que a liberação do vírus era para ser um passo essencial para disparar uma pandemia que permitiria a Organização Mundial da Saúde declarar o nível 6 de pandemia. Ela lista as leis e decretos que permitiriam as Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde tomar o controle dos Estados Unidos no caso de uma pandemia. Em adição, uma legislação exigindo obediência com vacinações obrigatórias seria imposta a força nos Estados Unidos sob as condições de uma declaração de pandemia.

Ela acusa que todo o negócio da pandemia de "gripe suina" está baseado em uma mentira maciça e que não há nenhum vírus natural lá fora em condições de ameaçar a população. Ela apresenta evidência que leva a crer que o vírus da gripe aviária e da gripe suina tem, de fato, sido alterados geneticamente em laboratórios usando financiamentos fornecidos pela OMS e outras agências governamentais, entre outras. Esta "gripe suina" é um híbrido com parte suina, parte humana e parte de gripe aviária, algo que só pode vir de laboratórios de acordo com muitos especialistas.

A OMS alega que esta "gripe suina" está se espalhando e uma pandemia deve ser declarada e ignora as causas fundamentais. Os vírus que foram liberados foram criados e liberados com a ajuda da OMS, e a OMS é a grande responsável pela pandemia em primeiro lugar. Em adição, os sintomas da suposta "gripe suina" são indistinguíveis dos da gripe comum ou do resfriado. A "gripe suina" não causa morte mais frequentemente do que a gripe comum causa.

Burgermeister nota que os números de mortes relatados para a "gripe suina" são inconsistentes e não há clareza de como o número de "mortes" tem sido documentado.

Não há potencial de pandemia a menos que a vacinação em massa seja realizada como arma para a gripe sob o pretexto de proteger a população. Há razoável fundamento para acreditar que as vacinas obrigatórias serão contaminadas propositalmente com doenças projetadas especificamente para causar morte.

A referência é feita com a vacina da gripe aviária licenciada pela Novartis que matou 21 pessoas sem tetos na Polônia no verão de 2008 e tem como sua "avaliação de efeito primário" uma "taxa de eventos adversos", dessa forma adequando-se a própria definição do governo dos Estados Unidos de uma bioarma (um agente biológico projetado para causar uma taxa de eventos adversos, isto é, morte ou ferimentos) com um sistema de distribuição (a injeção).

Ela alega que o mesmo complexo de companhias farmacêuticas internacionais e agências governamentais que desenvolveram e liberaram o material da pandemia envenenaram a si mesmos para lucrar com o disparo da pandemia com contratos para fornecer as vacinas. A mídia controlada pelo grupo que está desenvolvendo a agenda da "gripe suina" está espalhando desinformação para tranquilizar o povo dos Estados Unidos na tomada da perigosa vacina.

As pessoas dos Estados Unidos sofrerão substancial e irreparável dano e ferimentos se forem forçadas a tomar esta não comprovada vacina sem seu consentimento em concordância com a Lei do Modelo Estatal de Poderes Emergenciais para a Saúde, Lei de Emergência Nacional, Diretiva Presidencial de Segurança Nacional/NSPD 51, Diretiva Presidencial de Segurança Interna/HSPD-20, e a Parceria Internacional sobre Aves e Pandemia da Gripe.

Nos Estados Unidos desde 2008, Burgermeister declara que aqueles citados em suas alegações implementaram um novo ou aceleraram a implementação de leis e regulamentos projetados para esvaziar os cidadãos dos Estados Unidos de seus direitos legais constitucionais de recusar uma injeção. Estas pessoas criaram ou permitiram que as provisões permanecessem em lugares que faz disso um ato criminoso se recusar a tomar uma injeção contra o vírus da pandemia. Eles impuseram outras excessivas e cruéis penalidades tais como aprisionamento e/ou quarentena nos campos da FEMA enquanto proíbe os cidadãos dos Estados Unidos de reclamar compensação dos danos ou mortes das injeções forçadas. Isso está em violação das leis de corrupção do governo federal e de abuso de autoridade bem como da Constituição e da Declaração de Direitos. Por estas ações, os acusados citados estabeleceram os fundamentos para um genocídio em massa.

Usando a "gripe suina" como pretexto, os acusados pré-planejaram o assassinato em massa da população dos Estados Unidos por meio da vacinação forçada. Eles instalaram uma extensa rede de campos de concentração da FEMA e identificaram locais para sepulturas em massa, e estiveram envolvidos em desenvolver e implementar um esquema para passar o poder dos Estados Unidos para um consórcio internacional do crime que usa as Nações Unidas e OMS como uma frente para atividades criminosas ilegais influenciadas por chantagistas organizados, em violação das leis que governam a traição.

Ela, além do mais, acusa que o complexo de companhias farmacêuticas consistindo da Baxter, Novartis e Sanofi Aventis são parte de um programa de armas biológicas de duplo propósito com base no exterior, financiado por um consórcio criminoso internacional e projetado para implementar um assassinato em massa para reduzir a população mundial em mais de 5 bilhões de pessoas nos próximos 10 anos. O plano deles é espalhar o pânico para justificar forçar as pessoas a desistir de seus direitos, e forçar quarentena em massa nos campos da FEMA. As casas, indústrias e fazendas e terras daqueles que forem assassinados estarão disponíveis para apropriação por este consórcio.

Pela eliminação da população da América do Norte, a elite internacional ganha acesso aos recursos naturais tais como água e áreas de petróleo subaproveitadas. E pela eliminação dos Estados Unidos e sua constituição democrática pela submissão dele a União Norte Americana, o grupo criminoso internacional terá total controle sobre a América do Norte.

Destaques do dossiê completo

O dossiê completo da ação de 10 de junho é um documento de 69 páginas apresentando evidências para provar todas as acusações. Isto inclui:

O plano de fundo dos fatos que delineiam as linhas de tempo e fatos que estabelecem as causas prováveis, as definições e papéis das Nações Unidas e da Organização Mundial da Saúde, a história e os incidentes de abril, e a explosão da "gripe suina em 2009.

Evidências de que as vacinas da "gripe suina" são definidas como armas biológicas como delineiam as agências do governo e as normas de classificação e restrição de vacinas, e o medo de países estrangeiros de que as vacinas da "gripe suina" serão usadas para guerras biológicas.

Evidência científica de que o vírus da "gripe suina" é um vírus artificial (geneticamente modificado).

Evidência científica de que a "gripe suina" foi modificada geneticamente para assemelhar-se com o vírus da gripe espanhola de 1918 incluindo citações da gripe suina de 2009 é o Vírus da Gripe Espanhola de 1918 usado como arma de A. True Ott, PHD, N.D, e um relatório da Revista Ciência do Dr. Jeffrey Taubenberger et. al.

A sequência do genoma da "gripe suina".

Evidência da soltura deliberada da "gripe suina" no México.

Evidência do envolvimento do Presidente Obama que delineia sua viagem ao México que coincidiu com a explosão recente da "gripe suina" e a morte de diversas autoridades envolvidas nesta viagem. A alegação é de que o Presidente nunca foi examinado para "gripe suina" porque ele já havia sido vacinado anteriormente.

Evidência do papel da Baxter e da OMS na produção e liberação do material do vírus da pandemia na Áustria inclui uma declaração de um funcionário da Baxter afirmando que o vírus H5N1 distribuído acidentalmente na República Tcheca foi recebido do centro de referência da OMS. Isto inclui o delineamento de evidências e alegações das acusações de Burgermeister registradas em abril na Áustria que estão atualmente sob investigação.

Evidências de que a Baxter é um elemento de uma rede secreta de armas biológicas.

Evidências de que a Baxter contaminou deliberadamente o material da vacina.

Evidências de que a Novartis está usando as vacinas como armas biológicas.

Evidências do papel da OMS no programa de armas biológicas.

Evidências da manipulação de dados de doenças pela OMS com o objetivo de justificar a declaração de pandemia nível 6 para apossar-se do controle dos Estados Unidos.

Evidências do papel da FDA no acobertamento do programa de bioarmas.

Evidências do papel do Laboratório Nacional de Microbiologia do Canadá no programa de bioarmas.

Evidências do envolvimento de cientistas que trabalham para NIBSC e a CDC da Inglaterra no desenvolvimento da "gripe suina".

Evidências de que as vacinações causaram a mortífera gripe espanhola de 1918 incluindo a crença do Dr. Jerry Tennant de que o uso desenfreado da aspirina durante o inverno que se seguiu ao fim da I Guerra Mundial pode ter sido o fator chave contribuinte para antecipar a pandemia por suprimir o sistema imunológico e baixar as temperaturas corporais, permitindo ao vírus da gripe se multiplicar. Tamiflu e Relenza também baixam as temperaturas do corpo, e da mesma forma também se pode esperar que contribuam para espalhar a pandemia.

Evidências da manipulação da estrutura legal para permitir assassinato em massa com impunidade.

Questões constitucionais: A legalidade vs. a ilegalidade de pôr em perigo a vida, a saúde e o bem público pela vacinação em massa.

A questão da imunidade e compensação como evidência da intenção de cometer um crime.

Evidência da existência de um consórcio corporativo internacional do crime.

Evidência da existência dos "Illuminati"

Evidências da agenda de despopulação dos Illuminati/Bilderberg e seu envolvimento do planejamento e soltura vírus artificial da "gripe suina".

Evidências de que o uso da gripe como arma foi discutido na reunião anual do grupo Bilderberg em Atenas de 14/17 de maio de 2009, como parte de sua agenda de genocídio, incluindo uma lista de participantes que, de acordo com uma declaração uma vez feita por Pierre Trudeau, viam a si mesmos como superiores ao resto da humanidade.

A mídia está mantendo os americanos sem a mínima ideia da ameaça que paira sobre eles.

Jane Burgermeister tem dupla nacionalidade irlandesa/austríaca e já escreveu para a Nature, para o Jornal Médico Britânico, e para o Perspectiva Americana. Ela é a corresponde europeia do website Mundo da Energia Renovável. Ela tem escrito extensamente sobre mudanças climáticas, biotecnologia e ecologia.

Em adição as acusações correntemente sob investigação que ela registrou contra a Baxter AG e Avir Green Hills Biotechnology em abril, ela registrou acusações contra a OMS e Baxter entre outras relativas a casos de explosão de garrafas de "gripe suina" encaminhadas para um laboratório de pesquisa em um trem da agência de inteligência lotado na Suíça.

Em sua visão, o controle da mídia pela elite governante tem permitido ao consórcio mundial do crime avançar sua agenda sem pausa enquanto o restante das pessoas permanece no escuro sobre o que realmente está acontecendo. Suas acusações são uma tentativa de contornar este controle da mídia e trazer a verdade à luz.

Sua maior preocupação é que "a despeito do fato de que a Baxter tenha sido pega em flagrante perto de disparar uma pandemia, eles ainda estão indo adiante, juntamente com companhias farmacêuticas aliadas, com o fornecimento de vacinas para a pandemia." A Baxter está se apressando para ter essa vacina no mercado em algum momento de julho.

Fonte: www.naturalnews.com/026503_pandemic_swine_flu_bioterrorism

Nota: Todas essas informações podem ser encontradas na internet, mas por que não se debate isso publicamente já que diz respeito a toda a população?

Onde está a imprensa dita livre, que vocifera quando Israel se defende de pessoas que dizem abertamente que querem destruí-lo, mas que não dão uma nota sobre uma questão tão importante?

Alguns dirão que isso é apenas mais uma teoria da conspiração, mas e se a conspiração não for uma teoria?


Reblog this post [with Zemanta]

Nenhum comentário:

As 4 fases do Projeto Blue Beam